[#covid19] Coronavírus: Apelo da Image à indústria e apoio local

O COVID-19 (ou coronavírus) mudou tudo. A crise de saúde pública que está dominando o planeta e causando medidas extremas em todos os cantos do planeta está resultando em mudanças econômicas, trabalhistas, rotineiras e sociais. Graças a internet e às redes sociais, podemos ter contato com amigos, família e até profissionais de saúde que possam ajudar psicologicamente ou de outra forma. Isso dito, vamos ao que interessa no Terra Zero: quadrinhos.

Nos Estados Unidos, o COVID-19 está tendo um impacto profundo em toda a indústria, provocando fechamento de comic-shops e mudanças nos lançamentos e distribuição de alguns quadrinhos. A fim de unir toda a classe para melhorar as condições de trabalhar e propor situações que não causem a falência de editoras ou lojas pequenas, Eric Stephenson, publisher da Image Comics, fez uma carta aberta à Marvel e DC, contendo um grande apelo para a melhoria do mercado durante este momento de crise mundial.

Image fez apelo à toda indústria graças ao COVID-19.
Image fez apelo à toda indústria graças ao COVID-19.

A carta dele pode ser conferida logo abaixo, na íntegra, em português:

Queridos colegas,

Quando você é mais jovem, não pensa em ter idade suficiente para contar histórias do tipo “lembra quando…?”, mas para a maioria de nós esse dia chega, inevitavelmente.

Hoje, lembro-me de quando não havia lojas de quadrinhos.

Encontrar quadrinhos na época poderia ser um verdadeiro desafio.

Encontrá-los hoje, no entanto, sem os esforços do mercado direto para evangelizar em nome de nossa indústria para leitores de todos os lugares seria quase impossível.

Encontrá-los amanhã pode ser impossível, e ponto final, se todo o nosso setor não se reunir agora em nome das lojas de quadrinhos de todos os lugares.

Estamos todos vivendo um momento de mudança importante, enquanto lutamos para lidar com os efeitos do COVID-19. Não podemos simplesmente fingir que são negócios como os de sempre. Poucos de nós escaparam dos danos causados pela rápida disseminação desse vírus em nossos negócios, relacionamentos e vida cotidiana. Todos estamos assustados com as implicações a longo prazo de uma crise de saúde tão grande, mas, mais do que isso, todos estamos lidando com o medo que sempre surge quando o futuro imediato não é apenas sombrio, mas incerto.

O que mais me frustra agora é que sei quão horrível essa incerteza deve ser para nossos parceiros de varejo. Quando os clientes optaram por ficar de fora das lojas como medida de segurança pública, isso já era ruim o suficiente, mas agora que todas as empresas não essenciais estão sendo obrigadas a fechar, as consequências de tais fechamentos certamente causarão um efeito cascata econômico com resultados desconhecidos.

Já descrevemos um pouco do que estamos fazendo na Image:

– Agora estamos devolvendo todos os novos produtos no “final order cutoff” para os próximos 60 dias (até 18/5), e estamos preparados para estendê-lo conforme a necessidade;

– Estamos cancelando lançamentos não essenciais, como segundas impressões e reimpressões;

– Estamos oferecendo sugestões à Diamond [Comics, principal canal de distribuição de quadrinhos a lojistas dos EUA] sobre formas de mitigar o impacto dessa crise nos varejistas ameaçados pelo fechamento obrigatório de lojas;

– A partir de ontem, estamos procurando maneiras de reagendar e escalonar o lançamento de nossos quadrinhos, livros de bolso e graphic novels, para que não possamos lançar produtos no mercado em um momento em que varejistas e consumidores estejam lidando com dificuldades financeiras por um período indeterminado de tempo.

Fazemos isso porque amamos quadrinhos, amamos esse setor e reconhecemos nosso lugar no ecossistema em que todos confiamos para sobreviver.

No entanto, o que fazemos não é suficiente.

A Image pode ser a terceira maior editora de quadrinhos dos Estados Unidos, mas em termos percentuais, está muito longe da número dois. Apesar de reagirmos rapidamente à crise que enfrentamos nossos parceiros de varejo e com a melhor das intenções, somos uma editora e, embora muitas lojas confiem em nossos quadrinhos para seus negócios, somos apenas um pedaço da torta de vendas geral.

Para um verdadeiro alívio, e se o mercado direto conseguir superar essa provação, todos precisamos nos unir para minimizar os efeitos do fechamento de lojas, para que esse mercado sobreviva. Alguns editores já discutiram a possibilidade de tornar seus produtos retornáveis, mas isso ainda não é suficiente: precisamos de todos.

Com o devido respeito aos nossos colegas de publicação, pedimos que vocês adotem medidas semelhantes, que ajudem nossos parceiros de varejo a enfrentar esses tempos difíceis. Todo mundo, em todos os níveis de nossa indústria, precisa fazer tudo o que puderem para se apoiar. Vamos juntar nossas cabeças e encontrar maneiras de proteger as pessoas que tornam possível o que fazemos.

Entendo que nem todo editor está na posição em que a Image se encontra quando se trata de tomar essas decisões. A Image não pertence a uma grande corporação, nem é devida aos acionistas. Independentemente disso, este é um momento em que todos devemos fazer nossa parte. Eu sei que, para alguns de vocês, isso significa pular muitos obstáculos – mas, se houve um momento para fazê-lo, ele é agora.

Atenciosamente,
Eric Stephenson
Publisher
Image Comics, Inc.

Stephenson está certo. Muitos de nós já viram a mensagem que está circulando nas redes sociais pedindo que a população brasileira apoie comércios locais, pois o risco de eles quebrarem em meio a esta crise é gigantesco. Seja por falta de público ou por serem obrigados a fechar as portas através de decretos municipais ou estaduais.

É algo parecido com o que está acontecendo com toda a rede de comic-shops dos Estados Unidos e do Canadá, que estão, até o momento do fechamento desta matéria, no top 20 de países com mais mortos pelo COVID-19. Tudo isso afeta diretamente todas as etapas da organizada cadeia de produção e venda de quadrinhos nos Estados Unidos. Resta saber se o apelo de Stephenson terá efeito nas majors, que formam quase 90% da fatia de vendas mensais.

Falando agora de Brasil, ainda não sabemos como ficarão as bancas de jornais locais, mas sabemos que as poucas lojas de quadrinhos pelo país serão obrigadas a fechar as portas por um tempo. Isto lhes permitirá vender seus produtos online, mas dependerá do público fazer isso acontecer. Lojas como Itiban, Comix, Ugra Press, Comic Hunter, Comic Boom, Banca Tatuí e tantas outras precisam da nossa ajuda, não por uma questão de “pena”, mas de consciência. A classe quadrinística brasileira é pequena e nem sempre está unida. Mas estas diferenças não importam agora. Lojas e artistas precisam que os fãs que querem continuar comprando, consumam diretamente com eles para manter girando a pequena economia deste setor e evitar que ainda mais gente quebre, ou seja obrigada a, literalmente, pedir dinheiro para sobreviver.

Procure seu artista favorito, compre online, se possível, na loja mais próxima de você. Aproveite promoções. Não pense nas grandes redes no momento, a não ser que você queira muito algo que só tenha nelas. Caso contrário, como sempre dizem, ajude o mercado nacional! Nós aqui do Terra Zero temos parceria com Amazon para ganharmos comissões com suas compras através de nossos links, mas nada disso importa neste momento. Precisamos da comunidade quadrinística unida e faremos o possível para isso acontecer.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com