[#FalconAndWinterSoldier] E se os Thunderbolts aparecerem mesmo?

Quando eu era um jovem leitor de quadrinhos, a Marvel dominava minha singela pilha de leitura. Vi de perto a chegada dos Thunderbolts, aquele novo e misterioso grupo de super-heróis que estavam prontos para substituir os Vingadores, “mortos” em uma batalha contra o vilão Massacre. Eles fizeram sua primeira aparição, curiosamente, em uma revista do Hulk, e foram criados – e por algum tempo, escritos e desenhados – por Kurt Busiek e Mark Bagley, respectivamente.

Uma dupla dessas impunha respeito. Moleque, eu era um grande fã do estilo Bagley. Quando vi aqueles novos heróis, com designs pouco comuns para o que tínhamos nos Vingadores, fiquei amarradão. Estava rendido aos Thunderbolts. Quando descobri que eles eram vilões com um plano maligno por trás de seu “heroísmo”, fiquei ainda mais fascinado – àquela época, eu nem fazia ideia da existência de um certo Esquadrão Suicida na Distinta Concorrência.

Para quem tem pouco conhecimento do grupo ou só teve oportunidade de vê-los mais recentemente, a formação original dos Thunderbolts consistia no Barão Zemo e seus Mestres do Terror em novos uniformes e papéis: Meteorita (Rocha Lunar), MACH-IV (Besouro), Soprano (Colombina), Atlas (Golias) e Tecno (Armador).

Os Thunderbolts originais em arte de Mark Bagley.
Os Thunderbolts originais em arte de Mark Bagley.

Choque foi convidada a participar também, mas, diferente de seus colegas, ela era uma idealista, uma verdadeira heroína. Não fazia ideia dos propósitos malignos de seus companheiros de equipe. Não demora para testemunharmos uma fissura na equipe que torna todo seu conflito interno interessantíssimo. E, ao que tudo indica, podemos ver isso acontecer na vindoura série Marvel’s The Falcon and the Winter Soldier, da Disney+.

O jornalista Daniel Richtman tem coberto boa parte da onda de rumores em torno dos Thunderbolts entrando no MCU nos últimos tempos. Zemo, o grande líder, estará na série, interpretado por Daniel Brühl. O General Thaddeus “Thunderbolts” Ross, ou membro importante do time, já faz parte do MCU há algum tempo, na pele de William Hurt, e aparecerá novamente no vindouro filme da Viúva Negra. E as coisas vão ainda além.

Acredita-se que a atriz Miki Ishikawa já tenha fechado com a Marvel para interpretar a idealista Choque. Ela entrou para o elenco da série do Falcão e do Soldado Invernal há algum tempo, mas sua personagem ainda não foi revelada. Isso sem contar que a atriz curtiu um comentário – agora deletado – em uma foto sua dizendo: “Mal posso esperar para vê-la como Choque no MCU!”. Desmond Chiam também entrou para o elenco há pouco tempo, podendo interpretar mais algum membro do futuro time.

[Aproveite nossas promoções na Amazon para comprar quadrinhos dos Thunderbolts!]

Com quase 25 anos de existência nos quadrinhos, os Thunderbolts entraram para o raro hall de personagens criados na Era Moderna dos quadrinhos que conseguiram se firmar e durar até os dias de hoje. O bacana de eles entrarem para o MCU é que esta progressão soaria natural. Os Vingadores como os conhecemos se foram. Não de forma trágica como na saga Massacre das HQs, mas de forma heroica. Contudo, na ausência de um time deste calibre para proteger o mundo, os vilões sentem-se confortáveis para fazer planos e mudar o planeta. Isso sem contar – e agora estamos falando de mundo real – a necessária mudança de paradigma para que o MCU continue saudável e interessante para o público.

É verdade que o público de super-heróis, que frequenta o cinema assiduamente para curtir esses personagens, já conhece o Esquadrão Suicida e entende bem o conceito de vilões tomando lugar dos super-heróis. Esquadrão Suicida e o vindouro filme das Aves de Rapina, com a Arlequina na liderança, são prova disso. Mas os Thunderbolts têm algo a mais para oferecer ao público. E esta pode ser a chave de mais uma decisão certeira e longeva para o MCU.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Secured By miniOrange