[#Flash] Comentando o uniforme feito por Rafael Grampá

Na última sexta-feira fomos surpreendidos por redesign do uniforme do Flash, feito pelo brasileiro Rafael Grampá, que trabalhou recentemente com Frank Miller na HQ especial The Dark Knight Returns: The Golden Child. Grampá não é nem um pouco desconhecido dos fãs brasileiros e internacionais, já que seus trabalhos autorais tiveram ótima recepção aqui e lá fora, até lhe dando prêmios prestigiados, como o Eisner (pela antologia 5, na categoria Melhor Antologia).

Ao apresentar sua versão para o Flash, em uma capa variante da edição #754, ele afirmou:

Sempre vi o Flash correndo, mas nunca se alongando. Aqui está minha capa para Flash #754. Também fiz um redesign de seu uniforme. Muito divertido! #Flash #DCComics

O redesign do Flash por Rafael Grampá. Cores de Pedro Cobiaco.
O redesign do Flash por Rafael Grampá. Cores de Pedro Cobiaco.

Grampá tomou como modelo o Velocista Escarlate que seu mais novo mentor, Frank Miller, criou anos atrás, colocando o Flash com tênis amarelos e eliminando de vez as botas. Vimos este design pela primeira vez em Cavaleiro das Trevas 2, a controversa sequência do trabalho seminal de Miller, Klaus Janson e Lynn Varley. Podemos notar, também, outras influências, como a de Jim Lee e seu uniforme dos Novos 52, que deixou o herói com aquele protetor de maxilar, e até do traje do filme, com camadas e um projeto geral mais “cool”.

[Aproveite para comprar quadrinhos do Flash com nossas promoções na Amazon!]

Mas eu não sou o especialista em Flash do Terra Zero. Brunão e Vlad são!

Cena de Cavaleiro das Trevas 2, com o Flash de Frank Miller.
Cena de Cavaleiro das Trevas 2, com o Flash de Frank Miller.

O que eles tiveram a dizer? Brunão nos falou sobre a ausência das botas amarelas – e por que elas são importantes. Vlad fez um comentário geral. Vamos vê-los?

Brunão:

Ok, vamos lá: Uniformes de super-heróis quando bem feito), são um apanhado de tropes que ganharam significado por associação constante. Por exemplo, capa simboliza “nobreza”, mas se tiver por cima dos ombros, como no caso do Bats, entra no tropo do “vingador sombrio” e etc.

O uniforme “clássico” do Flash foi o penúltimo GRANDE uniforme a ser criado. E é o que definiu boa parte dos tropes do gênero: desde a associação de vermelho com velocidade (foda-se o Mercurio), até linhas diagonais serem um indicador de personagens ou power sets mais joviais – o que depois foi potencializado nas revisões de unifoirme da época do Wally. Como é basicamente um uniforme de duas cores, a cor mais clara é o indicativo do poder (isso vem lááááááááá do Superman e funciona como regra em 98% dos casos).

Outro indicativo de poder no design de uniformes são linhas horizontais que, no caso do Flash, só existem nas botas. Então, é um uniforme basicamente todo desenhado pra simbolizar “velocidade”, mas o núcleo do PODER, o que tem que chamar a atenção, são as botas. As botas amarelas são o que diferencia o uniforme do Flash de um uniforme pijamão vermelho padrão. Mais: são o que faz você olhar pro personagem e entender o que ele é/faz. As botas são pro Flash o que os zóião esbugaiado são pro Homi-Aranha.

Vlad:

Eu gostei da ideia de basear o uniforme no de um velocista de verdade, ao invés do colante de herói padrão. O único problema, como o Kajima falou, são as luvas sem dedos, pois não condiz com a outra persona do personagem. Porém, pessoalmente, eu não abro mão do uniforme clássico.

Por fim, fica a pergunta: será que este uniforme passará a ser usado regularmente nas revistas ou foi apenas um exercício de criatividade para uma capa especial? Veremos.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com