[#Entrevista] Sandro Vaz fala tudo sobre a Butantã GibiCon!

Butantã GibiCon é um nome que tem circulado cada vez mais entre a cena de quadrinhos nacional. Pela primeira vez, o famoso bairro paulistano sediará um evento de quadrinhos, gratuito, atraindo leitores e entusiastas de toda sorte. Sediada na Casa de Cultura do Butantã, a primeira Butantã GibiCon terá espaço para nada menos que 250 artistas e atrações totalmente voltadas para quadrinhos, criando um dos maiores Artists’ Alleys do país.

Além disso, a Butantã GibiCon tem como primeiro homenageado o lendário Marcatti, que criou o logotipo do evento, sua identidade visual e tem ajudado em diversos detalhes da realização. Sandro Vaz, idealizador da feira, busca também um financiamento coletivo de R$ 10.000,00, para cobrir as despesas que teve preparando o evento. O link para apoiá-lo está aqui.

Confiram agora um bate-papo exclusivo com Sandro, que nos conta um pouco sobre a realização do evento e sua relação com quadrinhos!

Logotipo da Butantã GibiCon.
Logotipo da Butantã GibiCon por Marcatti.

Terra Zero: Primeiramente, Sandro, como tudo começou? Nao apenas sua paixão por quadrinhos, mas também a ideia de capitanear este novo evento na capital paulista.

Sandro Vaz: Eu sempre gostei de HQs, pois fui praticamente alfabetizado pela Turma do Pererê. Depois, na adolescência, meu irmão mais velho me apresentou ao Sandman e outras HQs. E desde 2013, apoio projetos nacionais em plataformas de crowdfunding, que me levaram aos eventos e a fazer amizade com vários artistas, tornando-se meu hobby preferido.

Quanto ao evento, ele meio que se foi se formando na minha mente ao longo desses anos. Fui a vários, grandes e pequenos, mas confesso que o FIQ (Festival Internacional de Quadrinhos de Belo Horizonte) foi uma inspiração, pelo “clima” e energia. Certo dia, visitei a Casa de Cultura do Butantã e falei com o coordenador Danilo Leite, perguntei-lhe se seria possível fazer uma GibiCon, e ele topou. Foi quando a coisa começou a se materializar.

Quais foram os primeiros desafios para tirar a ideia do papel?

Vários. Mas o kickoff foi fazer um PDF sobre a ideia do projeto e enviar aos quadrinistas que moram no Butantã. Fizemos uma reunião aqui em casa com Felipe Werner e o Guilherme Wanke, os primeiros a abraçarem o projeto. Em seguida, pensei em como maximizar o domingo, que foi cedido gratuitamente pela CCdB. E para isso, eu precisaria de uma empresa que tivesse experiência em eventos grandes. Eis que meu amigo Pedro Okuyama, baita quadrinista e que também faz parte da PerifaCon, me indicou a Prado Eventos. Aí a afinidade surgiu na hora e foi estabelecida a parceria.

O próximo passo foi a questão da convocatória, seleção, confecção do site, etc., em que tive a ajuda maravilhosa de muitas pessoas e que agora desembocou no projeto de crowdfunding que está na Benfeitoria.

Arte de Marcel Bartholo para o evento.
Arte de Marcel Bartholo para o evento.

Você pode nos falar um pouco sobre como foi selecionar a Casa de Cultura do Butantã para o evento? Aliás, por que especificamente no Butantã?

Esta é fácil, pois moro no Butantã, a 200 metros do local. E seria o local perfeito mesmo, tanto pela estrutura e tamanho e por ser “do outro lado do rio”, onde não temos eventos assim.

Consegue fazer uma estimativa de quantas pessoas são esperadas para a primeira edição? Como está sendo lidar com a expectativa?

Este é o grande desafio, levantado inclusive por vários quadrinistas amigos meus. Estamos trabalhando forte para termos um público rotativo de 2000 pessoas, panfletando no metrô, para não termos sempre o mesmo público fã de HQs nacionais (como eu) e sim formar novos leitores na região. Também estamos fazendo um trabalho nas redes sociais com os artistas selecionados pelo beco, que são 250. A expectativa já é grande pela proporção que o evento tomou, mas a energia de todos está sendo a melhor até agora.

Como as pessoas podem ajudar o evento, além de divulgá-lo e marcar presença?

No momento, ajudar com o projeto de financiamento coletivo, que vai pagar o que já foi investido previamente, trazer uma melhor estrutura e viabilizar algumas surpresas que virão por aí.

O que a Butantã GibiCon representa para você?

Representa a primeira iniciativa minha em fazer os quadrinistas brasileiros serem mais conhecidos no seu próprio país. Eles não devem nada para os americanos e europeus. E a população não sabe que vários deles foram premiados e editados em vários países, que contam histórias sequenciais lindas demais. Por isso fiz questão de ser “GibiCon” ;)


Butantã Gibicon (Primeira Edição)

É com grande prazer que convidamos a todos os públicos e interessados em quadrinhos a prestigiar a primeira edição da Butantã Gibicon! Feira de publicações autorais, exposição de desenhos originais e bate-papo com artistas e pesquisadores do universo das HQs. O evento gratuito (entrada franca e livre para todas as idades e públicos) acontece no dia 01/12/2019 (domingo), das 09h às 20h na Casa de Cultura do Butantã, em São Paulo.

Diferentemente dos eventos geek que ganham cada vez mais espaço e público no Brasil, a Butantã Gibicon foca direta e unicamente nas publicações (gibis) e no trabalho autoral dos artistas nacionais, com intuito de fomentar a produção da arte sequencial e a valorização da história do quadrinho nacional.

No evento, pensado para toda a família, o público poderá conhecer de perto o trabalho de cerca de 100 expositores que estarão comercializando suas publicações autorais, além de participar de debates, palestras e oficinas, e se deliciar com uma seleção de food trucks.

A Casa de Cultura Butantã, situada a quinze minutos a pé da estação São Paulo Morumbi da Linha Amarela do Metrô, é um amplo e agradável espaço de convivência que oferece diversas oficinas gratuitas à comunidade, além de promover também eventos semanais e mensais, como sarau e exposições.

A ideia do evento Butantã Gibicon nasceu do colecionador de quadrinhos Sandro Merg Vaz (47 anos), conhecido na cena do quadrinho paulista por apoiar amplamente projetos de financiamento coletivo e assim fomentar a produção e desenvolvimento de novos talentos nacionais. Sandro, que é morador do Jardim Trussardi, subdistrito do Butantã, deseja também poder atrair com o evento mais pessoas para os espaços públicos de cultura, produzindo um evento livre e sem fins lucrativos, fora dos circuitos tradicionais da Cidade de São Paulo.


Evento sem fins lucrativos, entrada franca e livre para todos os públicos e idades.

Data: 01/12/2019 (DOMINGO) – Horário: das 9h às 20h

Local: Casa de Cultura do Butantã – Av. Junta Mizumoto, 13 – Jardim Peri Peri, São Paulo / 1,2Km (15 minutos a pé) da estação São Paulo Morumbi da Linha Amarela do Metrô.

Contato / Mais informações:
Sandro Merg Vaz – [email protected] – WhatsApp: (11) 98527-6656
Siga @butantagibicon nas redes sociais

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com