[#Batman80Anos] Batfleck: onde foi que tudo deu errado?

Lá no início, parecia um pesadelo. Ben Affleck foi escolhido para ser o Batman? “Batfleck”? Sério mesmo?

Primeiras reações colhidas na internet apontavam para uma recepção péssima, mesmo que Affleck tivesse revolucionado seu nome em Hollywood nas últimas duas décadas dirigindo bons filmes Medo da Verdade (2007, concorreu a Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante para Amy Ryan), Atração Perigosa (2010) e Argo (2012, vencedor de Oscar de Melhor Filme e de diversos outros prêmios). De que adiantaria ter um ator irregular fazendo um personagem icônico se suas maiores qualidades nos últimos anos foram demonstradas atrás das câmeras?

Em 2014, um ano após anúncio, as coisas passaram a mudar gradativamente. Fotos vazaram do set e os fãs começaram a repensar suas opiniões. No meio do ano, uma foto em preto e branco foi divulgada oficialmente pelo diretor Zack Snyder, mostrando Ben Affleck com o traje e seu Batmóvel.

A primeira foto do Batfleck, revelada em 2014.
A primeira foto do Batfleck, revelada em 2014.

De repente, uma certa empolgação começou a tomar conta das pessoas. Ele estava bem! Parecia adequado, tinha a aparência do Batman da HQ Cavaleiro das Trevas

Em seguida, veio a San Diego Comic Con. Lá, novas fotos da Trindade foram reveladas e o Batfleck parecia cada vez mais crível para as pessoas. Isso se confirmou quando o primeiro teaser do longa foi revelado, em abril de 2015. Nas poucas cenas em que Ben Affleck apareceu, como Bruce Wayne ou como Batman, ele deixou as pessoas empolgadas. Christian Bale nunca foi unanimidade, mas as pessoas ainda guardam boas recordações de sua interpretação na trilogia Cavaleiro das Trevas, do diretor britânico Christopher Nolan.

Vamos relembrar esse teaser?

Ainda havia dúvidas? Claro. Mesmo depois dos outros trailers terem sido revelados, com mais detalhes sobre cada personagem e seu papel na trama, todos estavam desconfiados acerca do que Zack Snyder faria. Seu histórico recente não era bom, ainda mais depois dos divisivos Watchmen (2009) e Homem de Aço (2013) e do criticado Sucker Punch (2011). Os últimos trailers também não ajudaram. Especialmente o último, que revelou o vilão Apocalypse e praticamente resumiu toda a trama do filme. O fator surpresa foi por água abaixo. Graças a um trailer, todos descobriram por que Batman e Superman lutaram e que eles se uniriam, ao lado da Mulher-Maravilha, para enfrentar o monstro.

Então Batman vs Superman chegou aos cinemas. Era março de 2016. Com ele, veio um massacre monumental de (grande) parte da crítica e dos fãs. Somando apenas 27% de aceitação dos especialistas, segundo o Rotten Tomatoes, o filme foi o segundo pior da carreira do diretor em termos de pontuação. O primeiro é Sucker Punch, com 23%.

Nas entrevistas de divulgação, Affleck não conseguiu esconder sua frustração. Até virou meme. Já se sabia que ele dirigiria um longa solo do Batman. Era intitulado The Batman e tinha roteiro do próprio Affleck e de Geoff Johns. Mas um baque daqueles poderia por tudo a perder. Torcíamos para que não acontecesse, mas o ator/diretor entrou em uma espiral de decadência após o fracasso de BvS. Essa espiral prejudicou sua vida pessoal e profissional. Houve recaídas no alcoolismo, novas internações em clínicas de reabilitação, uma participação criticada em Esquadrão Suicida (que também foi um fracasso de crítica, apesar do sucesso comercial) e, por fim, o primeiro filme dirigido por ele que foi um fracasso de crítica e público.

A Lei da Noite foi diretamente prejudicado pelo trabalho que Affleck assumiu com a Warner para viver o Batman. Sua produção foi “espremida” por filmagens e refilmagens de BvS, Esquadrão e Liga da Justiça, cuja pré-produção já estava em andamento. Some-se ao fato de que na divulgação de A Lei da Noite Affleck só era questionado sobre o Batman, e não sobre seu novo filme, e isso o deixou extremamente frustrado. Vejam o desabafo dele no programa de Jimmy Kimmel dois anos atrás:

A pressão começou a crescer e os fãs passaram a temer que Affleck se afastasse do Batman antes de provar todo seu potencial. Estava claro que BvS e Esquadrão não exploraram tudo que ele tinha a entregar para o personagem. Porém, tudo em volta do ator estava pesado demais. O desapontamento com o resultado de A Lei da Noite era o início de um novo ciclo infernal. Um pelo qual ele tinha passado na década anterior, quando interpretou outro super-herói urbano: o Demolidor da Marvel. Estava acontecendo de novo. A humilhação, a má recepção, a carreira sendo questionada por outros… Tudo que Affleck construíra com os filmes que dirigiu antes desse começava a desmoronar. Portanto, quando seu afastamento da cadeira de diretor de The Batman foi anunciado, poucos ficaram realmente surpresos.

Na época, 30 de janeiro de 2017, ele declarou à imprensa:

Existem certos personagens que ocupam um lugar especial nos corações de milhões de pessoas. Interpretar este papel exige foco, paixão e o melhor desempenho que posso dar. Tornou-se claro que não posso fazer os dois trabalhos ao nível que eles exigem. Juntamente com o estúdio, decidi encontrar um parceiro em um diretor que irá colaborar comigo neste enorme filme. Eu ainda estou no projeto, mas atualmente estamos procurando por um diretor. Eu permaneço extremamente comprometido com este projeto e estou ansioso para trazer isso à vida para os fãs de todo o mundo.

Era o fim da versão do Batman imaginada por Affleck e Johns. Logo em seguida, a Warner Bros. anunciou que Matt Reeves (Cloverfield, Planeta dos Macacos) seria roteirista e diretor do próximo Batman. Affleck ainda seria produtor e astro. Na San Diego Comic Con daquele, ele confirmou que continuaria vestindo o capuz: “Sou o cara mais sortudo do mundo. Batman é o papel mais f!#@ do universo”.

Ben Affleck, já quase um ex Batfleck, na SDCC 2017.
Ben Affleck, já quase um ex Batfleck, na SDCC 2017.

Boatos sobre diferenças entre criativas entre Affleck e o estúdio já circulavam nessa época. Aos poucos foi ficando claro que Matt Reeves queria fazer sua própria versão do Batman. Apesar de garantir à imprensa que Affleck continuava no projeto, Reeves estava, na verdade, interessado em oferecer uma visão própria do personagem. Uma que tivesse um Batman mais jovem que o Batfleck e seus 40 e poucos anos. Com autorização da Warner, Reeves rasgou o roteiro de Affleck e Johns e começou a criar sua própria história. Isso colocou o futuro do premiado ator em xeque neste papel. E veio a Liga da Justiça.

Houve uma série de problemas com este filme. Todos vieram a público. Efeitos bizarros no rosto de Henry Cavill, memes com o bigode, o triste suicídio de uma das filhas de Zack e Deborah Snyder… Quando o filme saiu, a recepção foi morna e o interesse do público, pequeno. Deu prejuízo. Ouvimos muitos rumores sobre a chegada de um Flashpoint, que “corrigisse” o chamado DC Extended Universe e desse uma despedida decente para Affleck. Durante 2018 percebemos que isso estava mais longe de acontecer do que imaginávamos. Vieram informações de que Jack O’Connell, Jake Gyllenhaal e Richard Armitage pudessem tomar o lugar de Affleck. Então veio 2019 e uma notícia bombástica.

The Batman finalmente ganhou uma data de lançamento: 25 de junho de 2021. Não terá Ben Affleck e, ao que tudo indica, terá diversos vilões em uma trama noir como ainda não se viu nos filmes do Morcego até agora.

O que deu errado na trajetória do Batfleck? Muito pouco teve relação com o ator em si. A palavra “culpa” geralmente é forte demais para ser usada, portanto vamos adotar “responsabilidade”. Tanto a Warner como Zack Snyder tiveram responsabilidade nisso. O segundo por não adotar uma visão amigável dos personagens, que conversasse com diversos públicos e os tornassem reconhecidos por qualquer pessoa; o primeiro por deixar o segundo fazer isso com carta branca e, ao perceber o problema que isso gerou, começar a interferir negativamente nas futuras produções.

Affleck também é cineasta, estava produzindo seu próprio filme e não podia pará-lo. Teve que fazê-lo virar entre as produções e divulgações confusas de BvS e LJ. Para um cineasta cujo filme mais recente tinha lhe rendido um Oscar e cujo casamento tinha acabado recentemente, o golpe foi duro demais. Some-se isso ao fato de que lá atrás, Affleck foi rejeitado pelo público e essa rejeição novamente o rodeava, a Warner tomou a atitude mais drástica possível: tirou o cara da jogada. Foram muitos altos e baixos entre 2013 e 2017. Mais baixos do que altos, na verdade. Aos olhos do estúdio, foi uma promessa que não se pagou.

Ao que tudo indica, é o fim de Batfleck. Ele desejou sorte a Reeves no Twitter recentemente, deixando implícita sua saída definitiva do papel. Acabou. Muitos ficam tristes com isso. Eu sou um deles.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com