Heroes in Crisis: Capas de Ryan Sook e outros momentos traumáticos

Como acontece com qualquer grande lançamento de uma editora, Heroes in Crisis também tem sua leva de capas variantes. Entre seus autores estão nomes como J.G. Jones, Francesco Mattina e Mark Brooks. Mas o que lançou as mais interessantes até agora é Ryan Sook.

Ele dispensa apresentações e produziu muita coisa para Marvel e DC em sua carreira. Para Heroes in Crisis o artista está desenhando uma série de capas que relembram momentos traumáticos da cronologia da DC. Isso porque o objetivo da saga é justamente esse: lidar com traumas dos heróis enquanto narra uma nova história.

Até agora Sook foi contratado para fazer três capas: Morte do Superman, Queda do Morcego e assassinato de Maxwell Lord. Porém, sabemos muito bem que há outros momentos terríveis na cronologia que poderiam entrar nesta série. Aqui relembramos alguns deles e, claro, convidamos nossos leitores a darem sugestões nos comentários. Lembrando que esses momentos não precisam necessariamente serem válidos ainda na cronologia pós-Renascimento. O importante é que sejam profundamente simbólicos para os personagens.

Morte de Jason Todd

Foi um dos momentos mais doloridos pelos quais o Batman passou em sua carreira. Há alguns anos Jason voltou e até passou a fazer parte da Batfamília novamente. Contudo, nem sempre foi assim; foram anos de luto e amargura pelo pupilo, que foi brutalmente assassinado pelo Coringa em uma história clássica de Jim Starlin e Jim Aparo.

Jason Todd morto em arte de Jim Aparo. Daria uma capa impressionante e emotiva para Heroes in Crisis, não?
Jason Todd morto em arte de Jim Aparo. Daria uma capa impressionante e emotiva para Heroes in Crisis, não?

Enlouquecimento de Hal Jordan

Pois é, Zeronautas. Essa doeu em muitos fãs da mitologia clássica dos Lanternas Verdes. Aconteceu nos anos 1990 e serviu de gancho para o surgimento de Kyle Rayner. Portanto, não é à toa que um dos membros humanos mais jovens da Tropa até hoje não seja aceito por alguns leitores.

Na história Crepúsculo Esmeralda, um enlouquecido Jordan (esgotado por tentar ressuscitar toda a cidade de Coast City, destruída por Superman Cyborg e Mongul) assassina toda a Tropa. Sim, leitores: todos! A não ser por um Guardião do Universo, Ganthet, que escolhe Kyle e o treina para ser o novo Lanterna. Único do universo. Logo depois, alguns anos no futuro, Hal Jordan voltou, assim como toda a Tropa. O resto é história.

Página dupla da terceira parte de Crepúsculo Esmeralda. Arte de Darryl Banks.
Página dupla da terceira parte de Crepúsculo Esmeralda. Arte de Darryl Banks.

John Stewart e a destruição de Xanshi

Os Lanternas Verdes humanos possuem um bocado de traumas. Anos antes de Hal Jordan pirar, seu colega John Stewart… bem, explodiu um planeta!

Xanshi estava na obscuridade, mas acabou se tornando um local importante durante a crise envolvendo a Equação Anti-Vida. Vocês devem se lembrar que essa é a história da saga Odisseia Cósmica. Na época, o Lanterna Verde John Stewart se juntou ao Caçador de Marte para investigar este planeta. Logo descobriram que os habitantes foram atingidos por uma doença contagiosa. Arrogante, Stewart decidiu se aventurar à frente sem J’onn J’onzz, já que a Equação Anti-Vida tinha começado a manipular o clima e o virou contra ele. Em seguida, o Lanterna descobriu uma bomba no núcleo do planeta que ameaçava destruí-lo. Pior: ela era revestida na cor amarela. Portanto, isso o impediu de parar o dispositivo, que devastou Xanshi.

A destruição do planeta traumatizou Stewart para sempre.

O momento em que tudo dá errado para John Stewart. Arte de Mike Mignola.
O momento em que tudo dá errado para John Stewart. Arte de Mike Mignola.

Mortes de Barry Allen e Supergirl (Crise original)

Essa pegou os leitores da época de calças curtas. Se nós, leitores um pouco mais jovens, ficamos chocados quando Wally West foi morto na Crise Infinita, imaginem o que sentiram os fãs de Barry Allen! A Crise nas Infinitas Terras foi um marco dos quadrinhos, queira ou não. Logo, nada mais justo que lembrarmos daquele momento. E mais: vamos nos lembrar também que muitos outros heróis se foram naquela saga, com destaque para Supergirl!

A Morte de Barry Allen em arte de George Pérez.
A Morte de Barry Allen em arte de George Pérez.
Um dos momentos mais importantes dos quadrinhos de super-heróis, esta capa poderia muito bem ganhar uma releitura para Heroes in Crisis. Arte de George Pérez.
Um dos momentos mais importantes dos quadrinhos de super-heróis, esta capa poderia muito bem ganhar uma releitura para Heroes in Crisis. Arte de George Pérez.

O surgimento de Cyborg

Cyborg já teve sua origem contada algumas vezes nos quadrinhos, como acontece com a maioria dos super-heróis. Logo, pudemos testemunhar sua tragédia algumas vezes. E sabemos muito bem que é isso que ela é: uma tragédia. Por mais que ele tenha se desenvolvido, superado alguns pontos e se tornado um grande herói, Vic Stone passou por algumas das transformações mais horríveis da DC.

A trágica origem do Cyborg em arte de Edgar Salazar.
A trágica origem do Cyborg em arte de Edgar Salazar.

Que outros momentos dariam grandes capas para Heroes in Crisis, Zeronautas? Comentem abaixo!

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com