[#TerraZero10Anos] Contos Prodigiosos: A Vida de Dick Grayson – Parte 1

Nota do editor: é um prazer imenso republicar, no especial de 10 anos do Terra Zero, uma análise da vida de um dos personagens mais queridos da DC. Laís C. Reis, tão apaixonada por quadrinhos quanto qualquer membro do site, é uma a leitora do site que mais entende de Asa Noturna. Logo, nada mais justo que abrir o espaço do site para que ela divague e analise a jornada de Dick Grayson. Com vocês: Laís e a primeira parte dos Contos Prodigiosos!

O Especial de 10 Anos do Terra Zero republicará alguns dos maiores textos já lançados aqui. Semanalmente, com a hashtag #TerraZero10Anos. Além disso, teremos um item no menu que redireciona para uma página com todas essas republicações. Não percam – e aproveitem para conhecer nossa história!

Capa de Nightwing #2 por Scott McDaniel, Karl Story e Patrick Martin.
Capa de Nightwing #2 por Scott McDaniel, Karl Story e Patrick Martin.

Por Laís C. Reis

Batman é um dos heróis mais icônicos e amados do mundo inteiro, não há dúvidas disto. Por outro lado, seu parceiro mirim de longa data, Robin, é frequente alvo de piadas, desprezo ou indiferença. Porém, pelo menos na opinião desta que vos escreve, Robin (em especial Dick Grayson) é um personagem mais profundo e interessante do que a maioria das pessoas pensa, além de ter um papel importantíssimo na mitologia do Homem-Morcego como um todo.

O papel de Robin, de certa forma, pode ser interpretado como de trazer equilíbrio ao Batman. Ambos são visualmente opostos e psicologicamente diferentes, mas ainda assim conseguem se articular com facilidade e trabalhar juntos de forma eficiente. Sem a presença do Menino-Prodígio, Batman muito provavelmente seria cada vez mais consumido por suas tarefas e ideais, tornando-se sombrio e recluso a ponto de abandonar sua persona Bruce Wayne. Em outras palavras, Robin possibilita ao Batman ter contato com seu lado humano, paternal e sobretudo com sua infância, perdida no momento em que vivenciou o trauma da morte dos pais. E na prática de combate ao crime, ter alguém ao lado é vantajoso não só pra estratégias e emboscadas, como também dá motivação para evitar riscos desnecessários.

Além disso, talvez pela própria carga de ícone e massiva popularidade nas HQs, Batman é um personagem relativamente estático em se tratando de mudanças. Seu símbolo e uniforme não sofreram mudanças muito drásticas ao longo dos mais de 70 anos de existência, sua origem pouco mudou até hoje e mesmo com todas diferentes interpretações do Homem-Morcego, sua essência continuava presente.

 

Evolução de Dick, por George Pérez.
Evolução de Dick, por George Pérez.

Mas Robin, por sua vez, pode mudar. Ele é um ícone mais flexível. Dick Grayson, primeiro Robin e enfoque desta série de artigos mensais, pode ser considerado o personagem de quadrinhos de heróis que mais amadureceu e evoluiu durante o tempo. Não somente fundou e liderou diversas equipes como também passou do status de ajudante para herói independente, saindo da sombra de seu mentor sob o codinome de Asa Noturna e conquistando um grande número de fãs e novos leitores no processo.

Todavia, apesar do nome Asa Noturna ser frequentemente associado a Dick Grayson, ele não foi o primeiro a utilizar esta identidade. A primeira aparição do codinome Nightwing foi em Superman em Kandor, publicada em janeiro de 1963 em Superman vol.1 #158, por Edmond Hamilton e Curt Swan.

Na história, um cientista de Kandor, cidade kriptoniana engarrafada, convence o povo a ficar contra Superman ao disseminar a ideia de que o Homem de Aço teria os meios de trazer Kandor ao tamanho normal mas se recusava a fazer isto. Sem poderes e foragido, com o intuito de provar sua inocência Superman e Jimmy Olsen se inspiram em Batman e Robin, criando assim as identidades de Asa Noturna e Flamejante, respectivamente. Os nomes para estes novos alter-egos foram escolhidos com base em dois pássaros nativos de Kandor que pertenciam a Nor-Kan, amigo de Superman. Mais terde, em 1977, Van-Zee (primo de segundo grau de Kal-El) também assume a identidade de Asa Noturna para combater o crime na cidade engarrafada.

 

Clark Kent e Jimmy Olsen como a Dupla Dinâmica de Kandor.
Clark Kent e Jimmy Olsen como a Dupla Dinâmica de Kandor.

 

Retornando ao personagem que realmente deixou a marca na história em quadrinhos como Asa Noturna: Richard Grayson. No início dos anos 40, temerosos de que as histórias do Batman pudessem estar se tornando muito sombrias e inadequadas para o público-alvo, foi introduzido um novo personagem em abril de 1940: Robin, o Menino-Prodígio, primeiro sidekick dos quadrinhos. Criado por Bob Kane, Bill Finger e Jerry Robinson, Dick Grayson era um jovem acrobata que, tal como o Batman, presenciou seus pais serem mortos, reflexo da criminalidade e violência que permeiam Gotham.

O nome Robin e as roupas foram baseados em duas fontes: as ilustrações do lendário ladrão Robin Hood por N.C Wyeth, daí o motivo para o uniforme similar à uma túnica e as famosas ‘botinhas de duende’, e a ave american robin (traduzida como tordo-americano), comum na América do Norte e cujo canto marca o início da primavera. As cores vibrantes do uniforme são também frequentemente associadas às origens circenses do personagem.

 

Robin Hood por N.C Wyeth, tordo-americano e capa de Detective Comics #38.
Robin Hood por N.C Wyeth, tordo-americano e capa de Detective Comics #38.

A identificação com os leitores foi um sucesso, levantando a venda dos títulos do Batman na época. Durante as décadas de 40 e 50, raramente eram publicadas histórias na qual a Dupla Dinâmica não agia em conjunto. Entre 1947 e 1952, chegaram a ser publicadas histórias estreladas unicamente pelo Menino-Prodígio.

Já em 1964, Robin, Aqualad e Kid Flash se unem para combater um inimigo em comum, o Senhor Ciclone, em The Brave and the Bold #54. Mais tarde, para liberar seus mentores do controle mental do vilão Antítese, o trio conta com a ajuda de mais dois heróis mirins: Ricardito e Moça-Maravilha. Surgia assim em 1966 a Turma Titã, grupo liderado por Robin e que servia como uma versão mais jovem da Liga da Justiça. O título foi cancelado em 1973, tendo um breve retorno no período de 76-78.

Primeira equipe dos Titãs, arte por Nick Cardy.
Primeira equipe dos Titãs, arte por Nick Cardy.

Eventualmente, em 1969, a dupla criativa Dennis O’Neil e Neal Adams iniciaram o processo de renovar as histórias do Batman, trazendo de volta os elementos sombrios de suas raízes que até então haviam sido esquecidos ou amenizados nas últimas décadas. Julgando que histórias solo do Homem-Morcego seriam mais adequadas para esta finalidade, Dick Grayson foi mandado para estudar direito na fictícia Universidade de Hudson, fazendo com que a participação de Robin nas aventuras de Batman fosse esporádica durante todos os anos 70.

Esse afastamento foi o primeiro passo de eventos que culminaram na emancipação de Dick Grayson enquanto herói. Não perca no próximo artigo da série: a independência e fase solo de Asa Noturna!


Os outros capítulos do especial, originalmente publicados em 2013, podem ser conferidos aqui!

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com