Gerard Jones: Quadrinista e historiador é condenado em caso de pedofilia

Gerard Jones, escritor e um dos maiores historiadores de quadrinhos conhecidos, foi condenado na última quarta-feira, em São Francisco. A sentença foi de seis anos de prisão por acusações de pedofilia. Aos 60 anos de idade, Jones tornou-se famoso na indústria por revolucionar os Lanternas Verdes nos anos 1980. Criou vários dos membros mais carismáticos da Tropa.

Na década seguinte, aumentou a fama por escrever livros seminais estudando a história por trás das histórias em quadrinhos. Destaque para Homens do Amanhã: Geeks, Gângsteres e o Nascimento dos Gibis. Esta publicação é comumente citada como uma das mais completas e influentes quanto se trata de falar sobre quadrinhos nos Estados Unidos.

Mugshot de Gerard Jones.
Mugshot de Gerard Jones.

O caso estava circulando desde 2016. Em setembro daquele ano, o Youtube notificou a polícia de que havia movimentação na conta de Jones. Eram tentativas de fazer upload de conteúdo sexual com crianças. Ele foi preso em seguida, mas, na primeira audiência, alegou inocência. Contudo, no começo deste ano, por volta de abril, assumiu culpa para negociar a pena.

Neste meio-tempo, alguns profissionais da indústria até chegaram a escrever cartas oficiais testemunhando o bom caráter do autor. Entre eles, o famoso Mike W. Barr. Porém, a justiça americana mostrou-se forte em uma tema criminoso complexo como esse e penalizou Gerard Jones.

O autor cumprirá seis anos de prisão, cinco de liberdade condicional e pagará uma multa de cerca de 10 mil dólares. Sendo assim, a sentença começará a ser cumprida em novembro deste ano.

Havia muita expectativa em torno dos fãs da DC para o material dele nos Lanternas Verdes que seria todo reimpresso. Isso não acontecerá mais. A editora cortou todo e qualquer laço com Gerard Jones.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com