[#TerraZero10Anos] Superespecial: Rapina e Columba Parte 1

Nota do Editor: Rapina e Columba estão entre as criações mais icônicas do lendário Steve Ditko. O quadrinista que também deu vida a Homem-Aranha, Dr. Estranho, Besouro Azul (Ted Kord), Questão e tantos outros, faleceu há alguns dias, deixando um legado impressionante para fãs de super-heróis e de quadrinhos.

No texto abaixo, que inicia o especial lançado originalmente em 2010 (por isso ele vai até os eventos de A Noite Mais Densa), os leitores do site poderão conferir um de nossos mais importantes Dossiês, analisando a dupla de heróis criada por uma dupla de Steves: Skeates e Ditko. A sequência de textos foi feita pelo cofundador e eterno membro do site, Tarcísio Aquino, que também fundou o blog Torre Titã. A fim de manter a proximidade com a publicação original deste texto, ele foi apenas revisado, sem necessidade de reedição.

Rapina e Columba em versão televisiva. Créditos: DC/Warner.
Rapina e Columba em versão televisiva. Créditos: DC/Warner.

Obviamente, o artigo também prepara leitores para a chegada de Rapina e Columba à série de TV Titans, que estreará em breve no serviço de streaming da DC.

O Especial de 10 Anos do Terra Zero republicará alguns dos maiores textos já lançados aqui. Semanalmente, com a hashtag #TerraZero10Anos. Além disso, teremos um item no menu que redireciona para uma página com todas essas republicações. Não percam – e aproveitem para conhecer nossa história!


Hoje começamos a publicação semanal de mais um especial aqui no Multiverso DC. Escrito e bolado pelo meu amigo Tarcísio Aquino, lá da Torre Titã, este especial dá uma boa geral na carreira desta dupla que é uma das chaves para a resolução da Noite Mais Densa, que deve começar no Brasil mês que vem.

Rapina e Columba de Steve Ditko, recoloridos para o lançamento especial de todas as histórias produzidas por ele.
Rapina e Columba de Steve Ditko, recoloridos para o lançamento especial de todas as histórias produzidas por ele.

Também pretendo escrever algumas coisas a respeito deles neste especial (que já está completo lá na Torre), pois agora que vi os textos do Tar, fiquei empolgado em conhecer mais sobre estes personagens :D


Por Tarcísio Aquino

Rapina e Columba na arte de Steve Ditko.
Rapina e Columba na arte de Steve Ditko.

Criadores: Steve Ditko e Steve Skeates
Primeira Aparição:
Showcase #75
Personagens: Rapina
(Hank Hall, Sasha Martens, Holly Granger) e Columba (Don Hall, Dawn Granger, Wiley Wolverman)

Rapina e Columba são os nomes usados por alguns personagens da DC, que lutaram contra o crime como uma dupla, a despeito de seus diferentes métodos e atitudes sobre violência. A diferença é caracterizada pela iconografia das aves águia (agressivo) e pombo (pacífico). Nos artigos abaixo, pode-se conhecer alguns dos personagens que já lutaram como representantes da Ordem e do Caos e como a dupla foi criada.

Hank e Don Hall

Criados por Steve Ditko e Steve Skeates, os irmãos Hank e Don Hall apareceram, pela primeira vez, em Showcase #75. Ambos adquiriram poderes que aumentaram suas forças e resistências através de uma misteriosa voz (mais tarde, em Secret Origins #43, explicou-se que vinha dos apaixonados Lordes da Ordem e do Caos), passando a combater o crime como Rapina e Columba, respectivamente. Seus ideais distintos determinaram os super-heróis que se tornariam – o agressivo Rapina e o pacifista Columba.

Rapina e Columba na arte de Steve Ditko.
Rapina e Columba na arte de Steve Ditko.

O conflito central da série Hawk & Dove (no original, em inglês) não se caracterizava pelas batalhas entre heróis e criminosos da cidade de Elmond, mas, sim, como já dito, através das ideologias extremistas dos personagens Hank e Don Hall. Hank Hall, o irmão mais velho, era um militante, que acreditava que a força física era a solução dos problemas, especialmente por serem super-heróis. Como Rapina, ele liderava as batalhas, agindo instintivamente. Don Hall, o caçula, por sua vez, procurava mostrar o pacifismo à comunidade jovem da época, acreditando que a violência não solucionaria problema algum. Ele preferia usar o raciocínio a praticar violência. Seu maior problema era o fato de que seus ideais intensos colocavam em xeque a ideia de se manter como super-herói, mas, ao mesmo tempo, era o que mantinha o comportamento de seu irmão, Rapina, estável. Sua indecisão em batalha fazia dele pouco efetivo, enquanto as discussões filosóficas entre os irmãos pioravam quando o pai, Irwin Hall, um juiz arrogante, porém respeitado, criticava a atuação de Rapina & Columba, pois ele desconhecia o fato de que os vigilantes eram seus próprios filhos.

A série durou seis edições (1968 – 1969), das quais Ditko trabalhou apenas na primeira. Skeates, por sua vez, infeliz com a direção que o título tomava, sentia que Don se portava inefetivamente, enquanto Ditko preocupou-se como o primeiro caracterizou o Rapina. Assim, Skeates deixou o título após a quarta edição, sendo substituído por Gil Kane, que trabalhou até o último número.

O editor Carmine Infantino foi entrevistado pela Revista Comic Book Artist #1, em 2000, quando falou dos heróis:

CBA: Você elaborou tudo com Steve Ditko?

Carmine: Sim. Steve veio me ver e eu acabei gostando dele. Ele tem uma personalidade forte, mas é o Steve. Então, ele fez algumas edições para mim, mas, infelizmente elas não venderam.

CBA: Você se lembra de como nasceu a ideia?

Carmine: Foi minha e não funcionou. Steve chegou e eu simplesmente joguei a ideia sobre ele, chamando um de Rapina e o outro de Columba. Foi uma idéia inteligente e Steve escreveu e desenhou, mas, como disse, não funcionou. Naquele tempo, não tínhamos medo de tentar as coisas. Havia minha promessa de apenas tentar, pois isso é o que podia ser feito.

Rapina e Columba na arte de Steve Ditko.
Rapina e Columba na arte de Steve Ditko.

Dick Giordano entrevistado pela Comic Book Artist Magazine #1, 2000:

CBA: Você esteve com Rapina e Columba durante suas concepções?

Dick: Na verdade, entrei como editor bem na metade da história de Rapina & Columba, em Showcase. Steve Ditko já estava trabalhando com eles e, concomitantemente, Steve Skeates passou a trabalhar dali com um roteiro. Showcase era o ideal, pois Steve seguiu basicamente o que Ditko queria. Entretanto, daquele momento em diante, aquilo foi terrível para ambos.

A ideia básica para a dupla surgiu de Ditko e o conceito era um triângulo: pai severo que era representado pelos dois filhos, e todas as outras coisas foram reunidas para fazer o triângulo funcionar. Os poderes foram discutidos em seguida. “Rapina & Columba”, naquele momento, um termo usado com frequência, muito popular devido à Guerra do Vietnã; Haviam “rapinas” e “columbas”. Os dois garotos representavam muito os extremos e, para fazê-los funcionar, usamos o pai para julgar estes extremos. Seus nomes – Hank para Rapina (Hawk) e Don para Columba (Dove) foram escolhidos para ilustrar bem este aspecto. Eram simples e coesos; quase uma parábola. Não tenho certeza onde Skeates se encaixou ali, mas acho que ele se identificou mais com Hank.

Steve Skeates entrevistado pela Comic Book Artist Magazine #5, 1999:

CBA: Como foi a concepção de Rapina e Columba?

Steve: Foi desenvolvida através de um comitê em que eu, Dick [Giordano], Carmine [Infantino], Steve [Ditko] nos encontramos. Carmine veio com o título em cada reunião e, parte do conceito estava diretamente relacionado à “contra-cultura”. Minha principal contribuição foi a sugestão de que os personagens deveriam pronunciar seus codinomes para se transformarem nos heróis.

Quadro de Rapina e Columba desenhado por Steve Ditko.
Quadro de Rapina e Columba desenhado por Steve Ditko.

Eles queriam que os personagens utilizassem um nome mágico, como “Shazam”, por exemplo, mas eu sugeri que eles dissessem seus codinomes apenas. Eles gostaram e a idéia foi aceita. Também criei a comunidade onde eles viviam, o colégio da cidade, enquanto Ditko elaborou os conceitos principais, tais como uniformes, poderes etc.

CBA: Houve mudanças em suas histórias?

Steve: Foi estranho, pois muitas das mudanças ocorreram após elaborarmos o roteiro. Eu havia sugerido que Columba representasse o guerreiro, mas depois, mudaram o conceito para o Rapina, naturalmente. Eles afirmaram que este conceito não caberia em Columba, ao contrário das características pacíficas ou até mesmo covardes. Eu acho que eles não sabiam, na verdade, quem seria o Columba. Em seguida, muitos problemas surgiram, até porque eu trabalhava à distância – na época eu viva em um campus universitário (daí a ideia de utilizarmos o colégio nas histórias). Na verdade, Ditko e Denny O’Neil se concentravam mais em Beware the Creeper do que eu e Steve em Rapina e Columba, pois Denny trabalhava de perto e podia argumentar ao mesmo momento em que diferenças criativas surgiam. E o que eu poderia fazer à distância? Discordar com o título após já ter sido lançado? Entretanto, o título foi bem recebido pelos leitores.

Quadro de Rapina e Columba desenhado por Steve Ditko.
Quadro de Rapina e Columba desenhado por Steve Ditko.

Uma das regras foi que você não poderia questionar autoridades toda vez que eu quisesse que Columba dissesse algo contra o governo americano. Dick mudaria esses diálogos referindo ao governo com um “eles”. Em minha opinião, isso mascarava nossos objetivos, além de atrapalhar o seguimento da história.

CBA: Foi mais confortável trabalhar no título após a saída de Ditko?

Steve: Assim que Dikto deixou o título, aparentemente por estar doente, e Gil Kane chegou, tentei trazer o conflito que planejava e mudar a direção da revista, fazendo com que Columba mudasse. Gil nunca entendeu aonde a caracterização segueria e pensou que eu fosse a reencarnação do Rapina. Para melhorar o título, entretanto, seria necessário trazermos certa solidificação no conceito do Columba. Era o que eu planejava, mas o título não sobreviveu o suficiente para concretizarmos isso.

CBA: Você tem uma reputação hippie na DC. Surpreendi-me ao perceber que isso acabou funcionando para eles.

Steve: Eu contava com pessoas como Roger Brand que me disse: “Deus, você não está representando o Rapina como eu pensei”. Ele realmente achava que eu lia as edições. O primeiro roteiro que escrevi, realmente, foi editado por Ditko, acrescentando algumas cenas e tirando outras. Assim, tive que retornar ao estilo Marvel, mesmo já tendo terminado o roteiro. Foi ridículo. A partir da segunda história (The Hawk and the Dove #4), eu pedi que eles mesmos tomassem conta dos roteiros, argumentando: “Já que vocês mudam todo meu roteiro, escrevam vocês mesmos”. Eu tentava dar algum sentido aos personagens, em vão.

A história chamada “The Sell-Out” foi inspirada do filme “The President’s Analyst“. Há tempos eu não lia a edição e, quando alguém, recentemente, enviou-me uma cópia, fiquei surpreso do quanto eu gostei da história [risos].

Após o cancelamento da série, os personagens tornaram-se membros regulares da Turma Titã (divisão Costa Oeste). Columba morreu em 1985, durante o evento conhecido como CRISE NAS INFINITAS TERRAS, ao salvar um garoto que estava sendo atacado por um dos demônios das sombras do Anti-Monitor. Esta criatura agiu por trás, deixando Rapina inapto a ajudar seu irmão.

Capa de Showcase #75 mostrando o surgimento de Rapina e Columba desenhado por Steve Ditko.
Capa de Showcase #75 mostrando o surgimento de Rapina e Columba desenhado por Steve Ditko.

Em homenagem ao jovem herói, os Titãs preparam sua estátua no Memorial da Torre Titã, em São Francisco. Rapina, por sua vez, passou a agir solitariamente e, sem seu irmão para ajudá-lo a conter sua ira, acabou tornando-se excessivamente violento a ponto da comunidade super-heróica considerá-lo tão ameaçador quanto os super-vilões.

Tempos depois, ambos apareceram rapidamente na graphic novel O Cavaleiro das Trevas 2.


Confiram aqui os outros capítulos deste especial:

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com