[#Entrevista] Magdalene Visaggio e a Garota Eterna da Young Animal

Os títulos do selo Young Animal da DC são produtos diferenciados dentro do mercado de quadrinhos norte americano. Meio super-heróis, meio ficção surrealista e meio situações cotidianas, estas revistas são a mais ousada empreitada da editora em termos de conteúdo desde que a Vertigo foi lançada nos longínquos anos 1990.

A segunda leva de títulos da Young Animal consolidou a proposta do subselo com a nova Shade, Cave Carson e Mother Panic. Em meio a estas continuações, surge um novo título, protagonizado por uma personagem tão complexa e fascinante quanto os protagonistas de Patrulha do Destino ou outros da Young Animal. O quadrinho se chama Eternity Girl (leia nosso review aqui).

Para apresentar Eternity Girl ao público brasileiro, o Terra Zero entrou em contato com a roteirista do título, Magdalene Visaggio que respondeu a algumas perguntas sobre a personagem e o processo de introdução desta franquia, além de sua relação com os temas abordados no quadrinho.

Arte: Sonny Liew

Terra Zero: Você poderia apresentar Eternity Girl para o público brasileiro?

Magdalene Visaggio: Eu acho que Eternity Girl se apresenta sozinha muito bem. Entretanto, a premissa básica do quadrinho é que Caroline Sharp é uma ex-super-heroína sofrendo de intensa depressão após perder o controle de suas habilidades de alteração de forma. Então ela foi excluída do time de super-heróis do qual faz parte e ela é suicida. Ela também é imortal. Dá pra ver como isso pode ser um problema. Um dia, o fantasma de uma de suas inimigas mais velhas lhe oferece uma maneira de morrer. O único problema é que ela tem de destruir o universo para isso.

Arte: Sonny Liew

Como o pessoal da Young Animal entrou em contato com você para fazer este quadrinho?

Na verdade, eu entrei em contato com eles. Eu já tinha feito um trabalho com a Young Animal em 2016 e, baseado nisso, falei com meu editor lá, Jamie Rich, sobre a ideia que tive deste quadrinho esquisito. Naquela época, era uma história da Moça-Elemento derivada de uma história adicional que fiz com essa personagem. Jamie gostou da ideia e a mostrou a Gerard [Way – curador do selo Young Animal], que gostou também. Em seguida conseguimos trabalhar nela, desenvolvê-la para seu formato atual e enviá-la para sua posterior aprovação editorial.

Arte: Sonny Liew

Eternity Girl lida com questões pesadas (depressão e suicídio) de uma maneira muito respeitosa, direta e interessante. Como você equilibra a escrita em se tratando de uma personagem com problemas psicológicos tão sensíveis?

Eu não sei como responder a essa pergunta. Eu gosto de escrever e falar de maneira franca. Portanto, Eternity Girl é franca, e eu gosto de mostrar compaixão com meus amigos – é algo que eu priorizo fortemente. Logo, Eternity Girl mostra compaixão também. O que ajuda é que depressão e suicídio são temas com que eu luto todo o tempo, então eu conheço muito bem isso. Acho que essa perspectiva de alguém que está passando por isso dá uma certa carga de autenticidade.

Arte: Sonny Liew

A história backup de Shade, The Changing Girl / Wonder Woman Special, de Cecil Castellucci, é muito bem feita. Você teve algo a ver com essa história?

Na verdade, tive muito pouco a ver com esta edição. Eu só escrevi a história de backup da Eternity Girl que aparece nesta edição, mas acho que ela fez um trabalho maravilhoso.

No primeiro arco de Eternity Girl vemos Caroline comprometida a acabar com a existência para dar cabo da própria vida. O que ou quem poderia impedi-la?

Isso seria entregar a história.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com