[#Catarse] Rafael Koff apresenta Relativamente Hilário aos fãs

Rafael Koff já está consagrado na cena independente dos quadrinhos nacionais. Financiando seus quadrinhos irreverentes no Catarse há anos, como o famoso Cueca por Cima das Calças, o quadrinista está apresentando uma nova obra para seus fãs: Relativamente Hilário, uma série de quadrinhos humorísticos que trazem as marcas clássicas do artista.

Na entrevista abaixo ele apresenta seu novo projeto e fala um pouco sobre seu processo criativo. Vamos conhecê-los?

Terra Zero: Vamos lá, Rafael: sobre o que é e como surgiu a ideia de Relativamente Hilário?

Rafael Koff: Relativamente Hilário é uma série de quadrinhos de humor que pretendo transformar em um livrinho. O projeto está atualmente captando recursos no Catarse (catarse.me/hilario). São quadrinhos sem um tema ou personagem fixo: a única coisa que eles têm em comum é o estilo de ilustração e o fato de todos terem o meu tipo de humor. A ideia de criar algo assim surgiu depois de eu ter feito vários livrinhos diferentes de paródias ou com temas bem fechados. Senti vontade de fazer algo que me permitisse ter ideias sem muita restrição.

Há alguns anos você começou a produzir tirinhas de humor com ícones da cultura pop. O que te fez seguir para este caminho?

Rafael Koff: Eu sou muito fã de cinema, quadrinhos e heróis. Quando você é fã, acaba pensando bastante sobre a lógica por trás de cada personagem e das coisas estranhas que fazem parte do mundo dele. Então criar paródias acaba sendo algo muito natural. Foi assim que surgiram o Tirinhas do Zodíaco e o Cuecas por Cima das Calças: como um modo de expressar aquilo que eu acho curioso e engraçado sobre alguns dos meus personagens preferidos. Se eu seguisse fazendo paródias, teria ainda muitos territórios que gostaria de explorar, como Star Wars ou videogames, por exemplo.

Como encontrar humor em tantos personagens diferentes e bem estabelecidos?

O humor vem de um olhar diferente sobre algo considerado comum por todos. Pode surgir de uma conversa com amigos sobre determinado personagem ou apenas desconstruindo ele na sua cabeça. O fato de todo mundo já saber quais são as características de um personagem é uma vantagem na hora de quebrar a expectativa apresentando uma visão inusitada dele ou ao colocá-lo em uma situação que ninguém imaginaria.

Página de Relativamente Hilário, de Rafael Koff.
Página de Relativamente Hilário, de Rafael Koff.

Em termos de edição, como é feita a escolha de quais tirinhas entram em um álbum e o formato da HQ impressa?

Eu já crio imaginando o livro impresso e com um formato definido para a impressão. Elimino apenas os quadrinhos que eu realmente acho que não funcionaram, mas quase tudo que crio entra nas publicações impressas e vai direto para as mãos das pessoas, sem muita censura. Acho que por isso tenho tantos livrinhos auto-publicados: se fosse mais criterioso possivelmente teria só metade e talvez eles tivessem uma qualidade melhor (risos). Tento não me preocupar tanto com a reação que as pessoas vão ter ao ler. Pra mim é mais uma questão de fazer coisas que eu acho engraçadas/interessantes e torcer para que outros também achem.

Já tem planos para novos álbuns?

Estou sempre com novas ideias, mas nada que possa divulgar ainda. Estou primeiro me concentrando em acabar o Relativamente Hilário e a próxima coisa que vou fazer vai ser adaptar meus livrinhos para as redes sociais. Fazia isso no passado, mas parei para me concentrar apenas no formato impresso. Agora estou pensando em adaptar o material e ter ele também online.

Gostou do novo projeto de Rafael Koff? Clique aqui para apoiá-lo!

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com