Heróis Pulp: O Sombra – Parte 2: Sombra em Quadrinhos

Na segunda parte deste dossiê sobre o Sombra, vamos explorar como a popularidade do personagem chegou aos quadrinhos. Mas antes, confira a primeira parte desta série, onde contamos a história do Sombra, de seu surgimento lá nos anos 1930, passando por décadas de vida de um dos heróis mais populares de todos os tempos. Pronto? Então, boa leitura!


As tiras do Sombra

No início dos anos 1940, as histórias em quadrinhos, principalmente aquelas sobre super-heróis, cresciam em popularidade. Estima-se que a revista do Capitão Marvel (da Fawcett) vendia mais de 1.400.000 cópias por mês no começo daquela década. Com esta popularidade crescente refletindo-se nos cofres das editoras, todo mundo estava procurando um personagem de sucesso para chamar de seu. E foi assim que O Sombra, personagem extremamente popular nos rádios, romances pulp e cinema, chegou aos quadrinhos em 17 de junho de 1940.

Publicadas nos Estados Unidos através do Ledger Syndicate – os syndicates eram e ainda são uma espécie de agenciadores de tiras de jornais que negociavam a publicação de seus títulos com periódicos espalhados pelos EUA – as primeiras tiras do Sombra eram escritas por Walter B. Gibson, criador do personagem, demonstrando mais uma vez sua incrível e prolífica capacidade criativa, e ilustradas por Vernon Greene. As tiras diárias do personagem adaptavam alguns de seus arcos do rádio e romances, criando uma continuidade transmídia do herói (em um tempo em que isso sequer era cogitado e muito menos tinha uma nomenclatura), e foram publicadas em diversos jornais estadunidenses até 13 de junho de 1942, quando foram canceladas, devido à escassez de papel durante o período da Guerra.

Tira diária do Sombra (1940)
Tira diária do Sombra (1940)

Ao todo, foram nove sagas criadas por Gibson e Greene ao longo de quase dois anos de tiras, que foram posteriormente compiladas em treze encadernados pela Malibu Press entre julho de 1988 e novembro de 1989. Esta série de encadernados, intitulada Crime Classics, trazia o diferencial de apresentar as tiras totalmente colorizadas por profissionais da Malibu. Em 1999, a Avalon Comunications trouxe as tiras do Sombra, alternando com outros títulos da mesma linha temática, de volta em sua série intitulada Pulp Action, que durou apenas oito edições, sendo cancelada antes de republicar todas as tiras do personagem.

No Brasil, algumas das tiras diárias do personagem foram publicadas no suplemento Gibi, do jornal O Globo, a partir da edição 236, publicada em 28 de maio de 1941. É difícil precisar exatamente quantas edições trouxeram histórias do Sombra, devido à raridade destes títulos hoje em dia, mas o site Guia dos Quadrinhos aponta a publicação de uma HQ do herói na edição de número 557, publicada em novembro de 1942, e, por fim, no Almanaque Globo Juvenil, de 1943.

A chegada aos Comics

Em mais uma ação de marketing genial da Street & Smith, que publicava as novelas pulp do Sombra, em março de 1940, chegava às bancas a primeira edição de The Shadow, gibi lançado para aproveitar a popularidade do personagem e promover outros títulos pulp da editora.  Cada edição da revista trazia, além de uma HQ do herói, outras histórias que adaptavam outros personagens publicados pela Street & Smith. E adivinha só quem foi incumbido de escrever as histórias em quadrinhos do Sombra?

Se disse Walter B. Gibson, você acertou! O escritor, que aparentemente não possuía uma vida pessoal, foi responsável pelos roteiros do novo gibi do Sombra enquanto seu parceiro de tiras, Vernon Greene, ficou responsável pela arte. A dupla foi responsável por todo o primeiro volume da série, passando a dividir a tarefa de criar novas aventuras do herói com nomes como Otto Binder (Capitão Marvel), William Smith (Red, White and Blue), Jack Binder (Mary Marvel), Charles Coll (Doc Savage), entre outros, a partir do segundo volume da série, em 1942. Ao todo, a primeira revista em quadrinhos do Sombra teve nove volumes – um por ano – publicados entre março de 1940 e agosto de 1949, quando a editora cancelou diversos títulos devido a problemas financeiros.

The Shadow Comics #1 (1940)
The Shadow Comics #1 (1940)

Revezando a publicação das aventuras do Sombra com o periódico Gibi, que publicava as tiras originais do personagem, no Brasil, esta série de quadrinhos do herói começou a ser publicada na décima segunda edição de O Lobinho, de abril de 1941, com a história “O Sombra Aparece!”, publicada nos EUA em The Shadow #4. O suplemento trouxe diversas histórias publicadas no título original do personagem entre 1941 e 1951, pelo menos. Os registros de conclusão de publicação da série não são precisos, mas o último registro de uma história do Sombra no suplemento data de julho de 1951, segundo o site Guia dos Quadrinhos.

A volta do Sombra

Com a venda dos direitos do personagem pela Street & Smith para cobrir despesas, o Sombra passou de mão em mão até que em 1964, voltou para as páginas dos quadrinhos pela Archie Comics. Publicada em agosto daquele ano, The Shadow #1, escrita por Robert Bernstein (Adventure Comics) e ilustrada por John Rosenberger (Lois Lane), mais tarde substituído por Paul Reinman (Lanterna Verde), trazia um personagem um pouco diferente daquele que os fãs estavam acostumados. Enquanto a primeira edição trazia um herói que ainda se assemelhava ao visual original, a edição seguinte trazia o Sombra musculoso, vestindo um traje azul e verde, com direito a máscara, capa e superpoderes. O título durou apenas oito edições, sendo cancelado em Setembro de 1965.

The Shadow #5 (1964)
The Shadow #5 (1964)

Apesar do fiasco desse revival sessentista do Sombra pela Archie Comics, vale a pena citar como curiosidade que a partir de sua quarta edição, o gibi passou a ser escrito por Jerry Siegel, um dos criadores do Superman. Siegel sempre foi um grande fã dos heróis pulp, tendo criado a identidade secreta do Homem-de-Aço, Clark Kent, baseando-se nas identidades do Doc Savage (Clark Savage Jr.) e do Sombra (Kent Allard). (agradecimentos ao zeronauta Luiz Magno). Após o fracasso da tentativa de atualizar o personagem com uma roupagem super-heroica, os direitos do Sombra foram comprados pela DC, que optou por voltar às origens do herói, naquela que muitos fãs consideram a melhor encarnação do justiceiro em quadrinhos até o momento.

Quadrinhos de Detetive

Lançada em outubro de 1973 com roteiros de Dennis O’Neil (Lanterna Verde & Arqueiro Verde) e a arte embasbacante de Mike Kaluta (Starstruck), The Shadow #1 levava o herói de volta aos anos 1930, resgatando o clima pulp e urbano de suas aventuras originais. O’Neil trouxe de volta o elenco de personagens coadjuvantes do Sombra como Margo, Shrevvy, Harry Vincent e Burbank, chegando a adaptar livremente algumas aventuras originais do herói. Kaluta, com sua arte detalhada, acabou por não conseguir atender o cronograma da publicação, chegando a dividir a arte de algumas edições com as lendas Bernie Wrightson (Monstro do Pântano), Howard Chaykin (American Flagg) e Frank Robbins (Capitão América).

Como parte da estratégia de divulgação do personagem para um novo público, a DC promoveu dois encontros do herói com outro justiceiro urbano, o Batman. O Homem-Morcego se uniu a um já idoso Sombra em Batman #253, de novembro de 1973. Na HQ, Batman aproveita para declarar que o justiceiro foi uma grade influência em sua carreira. Em Batman #259, os dois personagens voltam a se encontrar e descobrimos que o Sombra salvou a vida de Bruce Wayne ainda criança. Ambas as aventuras foram escritas por Dennis O’Neil, que na época também comandava o título do Homem-Morcego, e ilustradas por Irving Novick. O Sombra seria referenciado posteriormente pelo Batman em Detective Comics #446, de Abril de 1975, em uma aventura produzida por Len Wein (Monstro do Pântano) e Jim Amparo, um dos maiores artistas do Batman de todos os tempos.

The Shadow #01 (1973)
The Shadow #01 (1973)

Apesar da qualidade indiscutível, o gibi durou apenas doze edições, sendo cancelado em agosto de 1975. Anos depois, quando o herói foi ressuscitado no Universo DC logo após a Crise nas Infinitas Terras, a DC reimprimiu a série dos anos 1970 em um encadernado incluindo uma aventura inédita.

No Brasil, esta fase do personagem foi publicada completa ao longo de três títulos pela Ebal entre 1974 e 1982. As nove primeiras edições originais saíram em O Sombra, publicado entre outubro de 1974 e junho de 1975. As edições 10 e 11, foram publicadas apenas em março de 1978 em O Sombra – Edição extra de Quadrinhos. Apenas em fevereiro de 1982, a Ebal lançou a edição 12 em Justiceiros das Sombras – Edição Extra de O Demolidor. Houve uma tentativa de reiniciar a publicação da série do personagem por O’Neil e Kaluta em As Maiores Aventuras do Sombra, de março de 1982, que trazia as duas primeiras edições originais. Ambos os encontros com o Batman foram publicados pela Ebal em Batman Em Cores. Mais especificamente nas edições 42, de abrl e 1974, e 64, de fevereiro de 1976.

Reboot!

Onze anos depois do cancelamento do último título do herói, e logo após o reboot editorial da DC em Crise nas Infinitas Terras, a editora deu a Howard Chaykin a tarefa de tornar o Sombra relevante para novos públicos. A minissérie em quatro partes “Sangue e Julgamento” traz o herói para a Nova York dos anos 80, ainda jovem, após duas décadas desaparecido. O herói teria caído de avião no lendário reino de Shamballa e se mantido vivo e jovem através da tecnologia avançada do local aliada a técnicas de meditação. A manobra ousada não agradou os fãs tradicionais do personagem, mas garantiram um novo fôlego para o herói nos anos 1980.

A Editora Abril publicou esta minissérie nas edições de 2 a 5 do Batman entre outubro de 1987 e janeiro de 1988. Em junho de 2017, a editora Mythos republicou a minissérie original no primeiro encadernado da série O Sombra: Grandes Mestres. O volume, com mais de 250 páginas, como o nome diz traz aventuras do personagem por grandes mestres dos quadrinhos, abrindo com duas aventuras escritas e ilustradas por Howard Chaykin: a minissérie Sangue e Julgamento e “Meia-Noite em Moscou”, uma aventura do Sombra passada nos primórdios da Guerra Fria ainda nos anos 1950.

O Sombra por Howard Chaykin
O Sombra por Howard Chaykin

Apesar de alguns fãs mais tradicionais do herói terem torcido o nariz, a versão moderna do Sombra ganhou uma revista mensal em agosto de 1987. Escrita por Andy Helfer (Esquadrão Atari) e ilustrada por Bill Sienkiewicz (Os Novos Mutantes), The Shadow #1 continuava as aventuras do justiceiro nos anos 1980, partindo de onde a minissérie original havia parado. Na sétima edição, os desenhos ficaram por conta de Marshall Rogers (Batman) e Kyle Baker (Plastic Man), com Baker assumindo sozinho, da edição seguinte até o cancelamento do gibi na décima nona edição, em Janeiro de 1989. Durante este período, o Sombra ainda ganhou duas edições anuais. Uma em 1987, escrita por Andy Helfer e ilustrada por Joe Orlando (Creepy), e outra em 1988, escrita por Andy Helfer e ilustrada por Kyle Baker.

No Brasil, a fase escrita por Andy Helfer com arte de Bill Sienkiewicz saiu na revista Batman entre abril e novembro de 1988. Toda esta fase foi reunida recentemente no encadernado O Sombra: Grandes Mestres #2 da editora Mythos, publicada em agosto de 2017. A fase, ilustrada por Kyle Baker, foi reunida parcialmente na minissérie em três partes O Sombra, publicada pela Editora Abril entre março e abril de 1989. Existe a possibilidade da fase toda ser reunida pela Mythos em um novo encadernado da série Grandes Mestres em um futuro breve.

Durante a publicação da série do Sombra por Andy Helfer, a Marvel lançou uma graphic novel do personagem reunindo a dupla Denny O’Neil e Mike Kaluta. A aventura The Shadow 1941: Hitler’s Astrologer foi publicada na edição 35 da série Marvel Graphic Novel, e devolvia o herói às suas raízes pulp e seu período de origem. As questões envolvendo os direitos de publicação do personagem durante esta fase são meio complexas, permitindo que o Sombra fosse publicado por duas grandes editoras rivais no ano de 1988. No Brasil esta aventura saiu na edição 16 da série Graphic Novel da Editora Abril com o título O Sombra 1941: O Horóscopo de Hitler, em outubro de 1989.

The Shadow Strikes #4 (1989)
The Shadow Strikes #4 (1989)

Em setembro de 1989, a DC tentou novamente emplacar o Sombra com a série The Shadow Strikes, que chegou às bandas em setembro de 1989, trazendo o Sombra de volta aos anos 1930 e adaptando alguns contos clássicos do personagem. A revista trazia texto de Gerard Jones (Mulher-Maravilha) e arte de Eduardo Barreto (Os Novos Titãs), mas, a partir da décima sexta edição, Rod Whigham (Star Trek), Gerry Fernandez (Mulher-Gato), Mark Badger (Excalibur), Matt Hollintsworth (Flash) passaram a revezar na arte com Steve Leialoba (Liga da Justiça Internacional) e Dan Spiegle (Falcão Negro) ilustrando algumas edições, já no final da série, que foi a mais longeva do personagem pela DC, chegando a trinta e uma edições, quando foi cancelada em maio de 1992, e um anual escrito por Gerard Jones e ilustrado por Dan Spiegle e Luke McDonell (Liga da Justiça).

No Brasil, as quatro primeiras edições originais da série The Shadow Strikes foram publicadas nas edições de 6 a 9 da revista Caçadores da Editora Abril entre outubro de 1990 e janeiro de 1991. A revista, considerada por muitos um dos melhores mixes já publicados no Brasil, toda focada em justiceiros urbanos, trazia ainda aventuras do Questão, um dos muitos personagens influenciados pelo Sombra.

O resgate cinematográfico

Tendo permanecido na gaveta durante os primeiros anos da década de 90, o Sombra foi resgatado pela Dark Horse bem a tempo da editora promover o gibi através da chegada do filme do personagem aos cinemas em 1994. A Dark Horse, na época uma expert em adaptações de filmes para os quadrinhos contava em sua linha com gibis baseados no universo dos Aliens e Predador, para citar os mais famosos, preparou algumas minisséries do Sombra para preparar o terreno para a estreia do filme dirigido por  Russel Mulcahy (Highlander).

A minissérie The Shadow: In The Coils of The Leviathan escrita por Mike Kaluta e ilustrada por Gary Gianni (Hellboy) chegou às bancas em outubro de 1993, mostrando o herói enfrentando uma terrível ameaça nos subterrâneos de Nova Iorque. A série em quatro partes, que contava com as belas capas de Mike Kaluta, foi concluída em Janeiro de 1994, apenas cinco meses antes da estreia do filme do personagem, que foi adaptado pela Dark Horse em uma minissérie em duas partes escrita e ilustrada por Kaluta em Junho e Julho de do mesmo ano. Kaluta ainda escreveu e ilustrou uma edição especial intitulada The Shadow and The Misterious Three, publicada pela editora em setembro de 1994.

O Sombra por Mike Kaluta.

No ao seguinte, o herói ainda se e encontrou com Doc Savage em The Shadow and Doc Savage, minissérie em duas partes de Steve Vance (Deadman) e Stan Manoukian (Heavy Metal), e a heroína Ghost, em Ghost And The Shadow, de Doug Moench (Batman) e H.M. Baker (Ghost). A últimas aventuras solo do personagem pela Dark Horse foram publicadas entre abril e junho de 1995 na minissérie Hell’s Heat Wave de Mike Kaluta e Gary Gianni. Nenhuma das HQs da fase Dark Horse do personagem foram publicadas no Brasil além de uma pequena participação anônima em The Rocketeer: As Aventuras Completas, de Dave Stevens, publicada por aqui pela HQ Maniacs em maio de 2016.

Encerrada a fase publicada pela Dark Horse, o Sombra ficaria quase vinte anos fora dos quadrinhos até que uma relativamente nova e desconhecida editora, a Dynamite Entertainment adquiriu os direitos do  personagem, que faria parte do universo pulp da editora em uma de suas mais longevas e consagradas sequencias de aventuras. Mas esta é uma história para a nossa terceira e última parte deste dossiê sobre o Sombra. Em breve!