[Atualizado] Crisis: Boatos de novo reboot geral da DC são desmentidos

[Atualizado: Jim Lee, copublisher da DC, desmentiu o boato do reboot geral ontem à noite em seu Twitter. Contudo, nada foi dito sobre o chamado DC Fresh Start]


Parece que os rumores anteriores sobre o DC Fresh Start são ainda maiores do que se esperava. Crisis pode ser o nome do primeiro mega crossover da DC a sair em alguns anos e provocar um reboot geral, assim como aconteceu com Crise nas Infinitas Terras e Ponto de Ignição, em 1985 e 2011, respectivamente. A editora que se especializou em eventos cósmicos para rearranjar sua cronologia de tempos em tempos parece estar se preparando para um novo movimento editorial de mesma linha. As informações são do Bleeding Cool.

Após a publicação de Crise Final em 2008, foi prometido pela DC que o prefixo “Crise” nunca mais seria usado. Contudo, foi revelado recentemente que Scott Snyder e Greg Capullo precisaram persuadir a editora a não usar Crisis no evento Metal, encabeçado pelos dois. Desta vez, contudo, não haverá escapatórias.

Capa de Crisis on Infinite Earths: Absolute Edition por George Pérez.
Capa de Crisis on Infinite Earths: Absolute Edition por George Pérez.

Se isso acontecer de verdade (e tudo indica que vai), o Bleeding Cool aponta para o fato de que será um reboot geral. Portanto, os casamentos de Superman e Batman serão apagados da cronologia, bem como as origens mais modernas de diversos personagens. Isso deve resultar em má receptividade dos fãs, especialmente pelo retorno do tão aguardado casamento de Lois e Clark e da geração de seu filho, Jonathan, uma grande contraparte para o pentelho Damian Wayne.

Em termos de mercado, vários títulos da editora estão estáveis, como o portal de Rich Johnston apontou. Batman, Superman, Mulher-Maravilha, Flash e Arlequina estão entre os títulos de maior sucesso na editora. Todos seriam colocados em xeque caso essa atitude fosse colocada em prática, motivada, aparentemente, pela discrepância entre quadrinhos e o material multimídia destes personagens – uma desculpa já ouvida antes pelos fãs.

As coisas também estão diferentes nos bastidores e isso pode estar relacionado com essas mudanças. Diane Nelson não está mais no comando da DC Entertainment, assim como Geoff Johns está quase 100% afastado dos quadrinhos. Com os dois pilares do Renascimento fora do jogo, outros profissionais da editora (como executivos e editores-chefe) podem tomar outras iniciativas que acreditem serem corretas para a correção mercadológica da empresa. Isso pode ser visto no recente anúncio de que a DC elevará os preços de suas principais revistas de US$ 2,99 para US$ 3,99.

Resta saber o que motivará Crisis a acontecer (possivelmente o final de Doomsday Clock) e quais serão suas consequências.