[#Superman80Anos] Smallville: Quem foi Chloe Sullivan nos quadrinhos?

[Nota: Este artigo integra o Superespecial Superman 80 Anos, que fará parte do site até dezembro deste ano. Acompanhem todos os artigos deste especial clicando aqui!]

Allison Mack, conhecida por imortalizar Chloe Sullivan na série de TV Smallville, foi presa, mas está colaborando com as autoridades para diminuir sua pena. Como tudo isso aconteceu?

Se você esteve por fora das notícias ultimamente, Mack foi descoberta ano passado como membro de um culto sexual chamado Nxivm. Nesta seita, comandada por Keith Raniere (que foi preso em março), Mack e ele marcavam suas iniciais nas mulheres com ferro quente e abusavam delas de diversas formas. Como muitas seitas deste tipo, o culto era vendido como uma forma de celebridades (ou pessoas com recursos suficientes para ingressarem no esquema) melhorarem suas vidas de forma psicológica e no mundo dos negócios.

Raniere já era procurado pelas autoridades desde o ano passado por escravização sexual e por disfarçar diversos crimes sexuais com sua entidade de “autoajuda e liderança”. Mack era seu braço direito. Segundo informações divulgadas por toda a mídia internacional desde o ano passado, ela chegou à organização através da colega de Smallville Kristin Kreuk, que interpretou Lana Lang na série. Todavia, Kreuk saiu há anos da entidade e tem afirmado à imprensa que não fazia ideia da sujeira que acontecia por trás da fachada do Nxivm.

Allison Mack, a eterna Chloe Sullivan de Smallville, com seus advogados em audiência sobre a Nxivm.
Allison Mack, a eterna Chloe Sullivan de Smallville, com seus advogados em audiência sobre a Nxivm.

Isso posto de lado, Mack deixou um legado imenso para trás em Chloe Sullivan. Criada exclusivamente para a série de TV, a garota cheia de atitude era a personagem mais esperta e independente do programa. Mesmo com suas fraquezas e conflitos, Chloe foi leal a seus amigos e teve um dos arcos mais transformares do programa, que a fez passar de jornalista jovem a central de informações dos super-heróis.

Al Gough e Miles Miller, criadores da série e de Chloe, deram vida a ela com o objetivo de ter um “arquétipo de Lois Lane” ativo na história – afinal, era muito cedo para Clark já ter conhecido a futura jornalista do Planeta Diário (mas isso aconteceu na quarta temporada da série). A dupla também desejava que alguém visse os eventos estranhos da cidade com olhar forasteiro e questionador.

Muitos de nós acompanharam a trajetória evolutiva da atriz e da personagem entre 2001 e 2011, mas entre as questões que os fãs do Superman mais se fizeram durante estes 10 anos estava: “Por que Chloe não é absorvida pelo Universo DC dos quadrinhos?”. Kurt Busiek tinha a resposta pra isso.

Chloe Sullivan em Action Comics na arte de RB Silva, DYM e Dave McCaig.
Chloe Sullivan em Action Comics na arte de RB Silva, DYM e Dave McCaig.

Quando escrevia o Homem de Aço em meados dos anos 2000, Busiek explicou mais exatamente em 2007, quando a DC já pensava em absorver Chloe, que o problema de tê-la nos quadrinhos era que ela tinha duas características básicas já ocupadas: a garota da cidade natal e a repórter, ou seja, Lana Lang e Lois Lane. Busiek estava com a faca e o queijo nas mãos e cheio de ideias para dar um novo passado e novas motivações à personagem:

Ela é a irmã mais nova de alguém com quem Clark estudou, não uma colega de turma dele. Como resultado, ela é a nova estagiária do Planeta Diário, recém saída da escola de jornalismo e ansiosa para fazer seu próprio nome. Isso fará com que ela seja claramente diferente de Lois e Lana, e ao mesmo tempo mais familiar para os espectadores do programa.

Isso foi dito por ele ainda em 2007, quando Matt Idelson era editor da revista Superman, a que Busiek escrevia. Infelizmente, nada disso viu a luz do dia. Chloe Sullivan só foi aparecer nos quadrinhos no final de 2010, quando Smallville estava entrando em sua última temporada na TV. Os responsáveis por isso foram o escritor Nick Spencer e os artistas R.B. Silva (brasileiro) e DYM, com cores de Dave McCaig.

Nas últimas páginas das edições Action Comics #893 a #896, de 2010, e no especial Jimmy Olsen #1, de 2011, o quarteto desenvolveu a personagem até onde a DC deixou – logo em seguida vieram os Novos 52 e tudo isso foi apagado da cronologia. Mas o que aconteceu nessas histórias?

Momento emocionante entre Chloe Sullivan e Jimmy Olsen - arte de RB Silva, Amilcar Pina, DYM e Dave McCaig.
Momento emocionante entre Chloe Sullivan e Jimmy Olsen – arte de RB Silva, Amilcar Pina, DYM e Dave McCaig.

Chloe aparece bastante nelas, mas o foco é Jimmy Olsen e como ele lida com o fato de ter recebido um pé na bunda – dela, no caso. As histórias do quarteto estabelecem que Jimmy e Chloe foram um casal muito feliz como namorados, mas que não deram certo por diversas razões, quase todas de responsabilidade do melhor amigo do Superman. Spencer quis adaptar as histórias malucas que Jimmy tinha nos anos 1950 e 1960 para a modernidade e o fez muito bem. Chloe se encaixa nelas sendo a ex-namorada aventureira e intrépida, que descobre (e resolve) as coisas antes do próprio protagonista.

Aliás, Spencer investiu bastante em caracterizar sua Chloe Sullivan com os aspectos mais importantes do que foi mostrado na TV. O autor honrou o relacionamento dela com Jimmy bem como sua personalidade. Infelizmente ele não teve tempo de criar algo melhor para ela – os Novos 52 massacraram qualquer possibilidade de a personagem crescer no Universo DC. Ou seja, desde 2011 Chloe não aparece nos quadrinhos. Apesar de Smallville ter ganhado sobrevida nas HQs digitais, bem aos moldes do que aconteceu com Buffy na Dark Horse, a “Chloe do UDC” só viveu por alguns meses.

Allison Mack como Chloe Sullivan em cena de Smallville. Foto divulgação.
Allison Mack como Chloe Sullivan em cena de Smallville. Foto divulgação.

Levando-se em conta o que vem acontecendo com Mack agora, é improvável que a DC invista na personagem novamente. É uma pena.

*Nota: Todas essas histórias permanecem inéditas no Brasil.