[#Review] Besouro Verde está de volta em HQ de Amy Chu

Amy Chu já esteve no Brasil em duas ocasiões, mas sempre com poucos de seus quadrinhos publicados por aqui para que ela pudesse se popularizar ainda mais. Infelizmente, seu mais novo trabalho, a HQ do Besouro Verde, tende a cair nesta categoria. Isso porque praticamente tudo que a editora independente Dynamite Entertainment vem fazendo com a propriedade desde o início da década é inédito por aqui, com raríssimas exceções.

Green Hornet, que é desenhada por German Erramouspe e colorizada por Brittany Pezzillo é o primeiro grande esforço feminino na franquia, e o momento não poderia ser mais propício. Não apenas por todos os movimentos feministas dos últimos anos que estão buscando igualdade em diversos setores de destaque social, como a cultura pop, mas também porque a nova revista tem a proposta de colocar uma mulher no manto do vigilante esmeralda. E ela não foi criada por Chu.

Na verdade, ela é Mulan Kato, a filha do Kato original, criada por Kevin Smith quando ele revolucionou a franquia ao transformar um roteiro cinematográfico não filmado que ele fez para o personagem em um quadrinho para a Dynamite. A decisão de Smith não poderia ser melhor para sua carreira e para o personagem, pois isso o colocou de volta nos holofotes da indústria que ele tanto ama e também deu nova vida a um ícone popular dos Estados Unidos que estava esquecido.

Página da nova Besouro Verde por German Erramouspe e colorizada por Brittany Pezzillo.
Página da nova Besouro Verde por German Erramouspe e colorizada por Brittany Pezzillo.

Mas sobre o que esta nova HQ é? Uma coisa muito simples, na verdade: Britt Reid Jr., o verdadeiro Besouro Verde, está desaparecido. Kato e sua filha estão cuidando da cidade como podem, mas uma série de imitadores do vigilante tomaram conta de Century City desafiando a lei e os princípios pelos quais o herói lutava até então. Isso porque suas atuações ficaram escondidas do público, mesmo ele sendo um magnata da imprensa, dono do famoso jornal Daily Sentinel. Portanto, como a verdadeira natureza do que ser o Besouro Verde significa começa a ser questionada por toda a cidade quando crime e vigilantismo sem aprovação da lei convergem em uma única onda assustadora de ações, é hora de Mulan e seu pai entrarem em ação enquanto buscam por Britt.

Mulan é uma personagem interessante, mas muito pouco do que ela pode fazer foi explorado neste início de série. De acordo com o que foi definido no cânone até agora, ela foi treinada a vida toda para trabalhar ao lado do Besouro e tem treinamento em nada menos que 486 formas de combate (!!!) manual e 113 com armas (!!!). Contudo, Chu explorou muito pouco disso, preferindo deixar a primeira edição para a montagem do palco da história que pretende contar. Claro que isso é bom para situar o leitor e fazê-lo entender o que vem por aí, mas a escolha tem um preço: os personagens.

Quem conhece a mitologia fica feliz de ver a família Kato em ação e caminhando para uma direção nova, mas novos leitores terão pouco (ou nada) para se importar com quem eles são. Como o objetivo da nova revista não é apenas agradar os poucos fãs existentes do Besouro Verde, mas sim atrair novos fãs, ela falha bastante, mesmo que Chu escreva um bom roteiro.

Página da nova Besouro Verde por German Erramouspe e colorizada por Brittany Pezzillo.
Página da nova Besouro Verde por German Erramouspe e colorizada por Brittany Pezzillo.

Acompanhado deste bom roteiro também está uma arte muito boa e cabível com a proposta da nova HQ, mas mesmo assim não é suficiente para deixar consumidores interessados em investir nesta revista, o que é uma pequena. Com tanta gente talentosa e personagens com potencial para crescimento grande, chega a ser decepcionante que a mão editorial tenha falhado em guiar melhor as escolhas que os talentos fizeram para começar a série. Se os personagens tivessem sido melhor apresentados, talvez este debute fosse mais impactante e capaz de angariar mais leitores.

Tomara que as próximas edições melhorem e façam jus ao talento de todos os envolvidos – inclusive dos personagens.

Quer saber mais sobre o Besouro Verde? Confira estes artigos que escrevi na época em que o filme dele foi lançado, no Terra Zero e no Ambrosia:


Sinopse/Ficha Técnica:
Título: Green Hornet #1
Roteiro: Amy Chu
Arte: Germán Erramouspe
Cores: Brittany Pezzillo
Páginas: 32
Publicação: Dynamite Entertainment (Março de 2018)
Idioma: Inglês
Preço de Capa: US$ 3,99

Britt Reid Jr., o descendente do Império midiático Daily Sentinel, desaparece durante uma festa selvagem no iate de seu amigo. Enquanto isso, ocorrem picos de crime nas ruas de Century City com o misterioso vigilante criminal/secreto, o Besouro Verde, desaparecido. É apenas uma questão de tempo antes que ALGUÉM coloque duas e duas juntas, e cabe a Kato, ex-parceiro do pai de Britt, e sua filha Mulan para proteger a cidade e o legado de Besouro Verde, enquanto descobre o que aconteceu com Britt. Amy Chu (Red Sonja, Poison Ivy, KISS) pega a história de onde Kevin Smith deixou e adiciona um mistério cheio de ação.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com