Heróis Pulp: O Sombra – Parte 1

“Quem sabe o mal que se esconde no coração dos homens? O Sombra sabe!”

O Sombra apareceu pela primeira vez em 31 de julho de 1931 como o misterioso narrador do programa radiofônico Detective Story Hour. O programa servia como suporte transmídia para auxiliar nas vendas da revista Detective Story Magazine, da editora Street & Smith. Além do nome e da voz marcante, nada se sabia sobre o personagem, mas, com o sucesso do programa, pessoas começaram a procurar pela revista do Sombra nas bancas, fazendo com que a Street & Smith contratasse o mágico e prolífico escritor Walter B. Gibson para desenvolver uma história de 75 mil palavras para a primeira edição quinzenal do Sombra.

Gênese

Gibson, que às vezes assinava com o pseudônimo Maxwell Grant, foi um dos principais escritores das lendárias revistas pulp, aquelas publicações de baixo custo impressas em papel vagabundo que foram bastante populares no início do século passado. O autor foi responsável por cerca de trezentas novelas deste tipo, escrevendo por volta de dez mil palavras por dia para atender a crescente demanda de leitores durante os anos 1930 e 1940.

Foi assim que, no auge da Depressão Americana nos anos 1930, quando os EUA viviam um estado constante de medo e apreensão com o radicalismo político e a ascensão do Crime Organizado devido à Lei Seca, nasceu o Sombra. Um dos principais heróis da Era de Ouro das revistas pulp. Um herói urbano capaz de eliminar o crime das ruas com suas Magnum 45 e seu olhar hipnotizante serviu como válvula de escape para as fantasias do povo estadunidense que buscava uma solução à situação de violência em que se encontrava.

Com sua capa e chapéu pretos e seu rosto quase todo encoberto por uma echarpe vermelha, com exceção de seu nariz aquilino, a figura misteriosa do Sombra é considerada por muitos como a origem do arquétipo do super-herói noturno como o Batman, que possui inspiração clara no personagem, em oposto ao herói solar, cujas origens remontam ao Doc Savage, contemporâneo do Sombra nos pulps e rádio. Como mágico e estudioso do ocultismo, cujos trabalhos nessa vertente incluem material de palco para Houdini, Gibson também atribuiu poderes sobrenaturais ao personagem, como seu olhar hipnótico, aprendido com místicos tibetanos, e o ilusionismo.

Quem é o Sombra?

Embora o personagem tenha sofrido algumas alterações e atualizações ao longo dos anos, seu cerne permanece praticamente o mesmo desde sua criação. Em suas primeiras aventuras na década de 1930, seu nome verdadeiro é Kent Allard, um piloto francês da Primeira Guerra que forja sua própria morte e viaja pelo mundo em busca de autoconhecimento e aventuras, incluindo o Tibete, onde aprende a arte do hipnotismo.

De volta aos EUA, Allard se depara com um país decadente e começa sua própria guerra contra o crime, adotando uma série de identidades secretas para atingir seus objetivos. Uma de suas identidades mais famosas, e uma das mais usadas nos quadrinhos, é a do playboy milionário (onde será que eu já vi isso?) Lamont Cranston. Nos pulps, o Sombra usa frequentemente a identidade de Cranston enquanto o milionário está fora da cidade até que ambos se encontram e o Sombra convence Cranston a ajuda-lo na luta contra o crime. Esta identidade foi adotada como única nos programas de rádio do personagem, como facilidade de roteiro, e acabou sendo a adotada em diversas encarnações do herói nos quadrinhos.

Com sua base estabelecida em Nova York, o herói começa a montar uma rede de associados formada por diversas pessoas de quem salvou a vida, todos reconhecíveis pelo anel similar ao usado pelo próprio Sombra. Os mais conhecidos são Moses “Moe” Shrevnitz, um taxista que serve como seu motorista particular, e Margo Lane, uma socialite que apareceu pela primeira vez no radio e posteriormente foi levada para os pulps. Margo muitas vezes foi utilizada como par romântico do personagem.

O Sombra já estampando a capa de sua própria publicação.
O Sombra já estampando a capa de sua própria publicação.

O Sombra lutou contra o crime durante décadas, e acabou sendo transportado para o futuro diversas vezes através do ocultismo e meditação, métodos utilizados por Cranston para rejuvenescer a mente e o corpo  e permanecer na sua incansável e infindável luta contra o crime. Este aspecto obcecado do personagem, junto de sua identidade secreta de playboy servindo como disfarce perfeito para as reais intenções do vigilante, serviram de inspiração para muitos vigilantes mascarados dos pulps e dos quadrinhos, sendo o Batman o principal deles.

A aventura Partners of Peril, escrita por Theodore Tinsley, a primeira não escrita por Gibson, teve papel importante na criação do Cavaleiro das Trevas, por Bill Finger e Bob Kane. As semelhanças entre o roteiro desta aventura e The Case of the Chemical Syndicate, a primeira aparição do Batman, publicada em Detecive Comics #27, não são mera coincidência, uma vez que os próprios criadores do Homem-Morcego confirmaram, anos depois, a inspiração direta do Sombra na criação do personagem. Partners of Peril traz, entre outras coisas, a primeira aparição dos bumerangues customizados do Sombra.

Pulp Fiction

Em Abril de 1931, chegava às bancas a revista The Shadow Magazine #01, com a história The Living Shadow, escrita por Walter B. Gibson. O sucesso foi tanto que a revista durou 325 edições, com Gibson escrevendo 282 delas entre 1931 e 1949. Alguns anos depois, a Belmont Books Books lançou novas aventuras do Sombra no formato paperback entre 1963 e 1967. Como curiosidade, vale a pena dizer que o herói como conhecemos hoje, só apareceu na capa da segunda edição do segundo volume da revista, publicada em dezembro de 1932. Até então, ele sempre aparecia como uma sombra ou sem destaque, em uma cena de ação. Somente um ano depois, seu visual marcante estampou a capa de sua revista pela primeira vez.

Algumas republicações e tentativas de ressuscitar o personagem na literatura apareceram aqui e ali ao longo das décadas seguintes, mas foi a Sanctum Books juntamente da Nostalgia Ventures que deram início ao mais longevo run de publicações do Sombra até o momento. Em 2006 a associação lançou reimpressões em capa dura compilando algumas edições do personagem, incluindo ilustrações originais até 2008, quando a Nostalgia Ventures decidiu seguir com o projeto sozinha. Ao todo foram republicadas, até 2018, 126 volumes e duas edições anuais.

Com o sucesso de sua revista, a Mutual Network desenvolveu um programa de rádio com  o Sombra como astro principal, expandindo o universo do personagens dos pulps para o áudio drama. The Shadow estreou em 26 de setembro de 1937, com um grande sucesso de audiência, e durou até 26 de dezembro de 1954. Ao todo foram lançados 665 episódios ao longo de 18 temporadas, incluindo especiais de verão no primeiro ano da série.

Reimpressão de conto clássico de O Sombra.
Reimpressão de conto clássico de O Sombra.

Foi nesta série de audiodramas que surgiu pela primeira vez a famosa frase “Quem sabe o mal que se esconde no coração dos homens? O Sombra sabe!” (Who knows what evil lurks in the heart of men? The Shadow knows!) que abria cada um dos episódios, seguida de uma sinistra gargalhada. Ao final do programa outra frase encerrava a aventura do dia: “A árvore do crime dá frutos amargos. O Crime não compensa. O Sombra sabe.” (The weed of crime bears bitter fruit. Crime does not pay. The Shadow knows.), menos famosa, mas tão marcante quanto aquela pela qual o personagem ficou conhecido.

Infelizmente, mais de 170 episódios foram perdidos ou estão incompletos, mas a Radio Spirits tem lançado CDs com todos os programas, incluindo a celebrada segunda temporada, onde o Sombra era vivido por Orson Welles, lendário cineasta que aterrorizou os EUA com sua dramatização em rádio da invasão marciana de A Guerra dos Mundos, de H.G. Wells, em 1938, e dirigiu Cidadão Kane, considerado pela crítica e por especialistas como o melhor filme de todos os tempos.

A primeira “aparição” do personagem no cinema se deu em uma série de curtas produzidos pela Universal Pictures entre 1931 e 1932, baseados em histórias do programa Detective Story Hour. Alguns destes curtas traziam a narração em off do Sombra, assim como os originais do rádio. Em 1937, o herói chegou ao cinema interpretado por Rod La Rocque no filme The Shadow Strikes, cuja continuação, International Crime, chegou aos cinemas em 1938. Apesar do visual um pouco diferente daquele eternizado nas capas das pulps, os filmes são bem interessantes, com uma pegada noir detetivesca divertida.

Em 1940, o Sombra estreou um seriado de 15 capítulos produzidos pela Columbia com Victor Jory no papel principal. O visual do herói é mais parecido com aquele que conhecemos hoje, mas muito aquém da figura marcante do personagem. Em 1946, a Monogram Pictures produziu um filme de baixo orçamento com Kane Richmond como o Sombra intitulado The Shadow Returns, com o herói usando uma mascara cobrindo todo o seu rosto, ao invés do lenço vermelho.

O Sombra ainda teve duas tentativas de ser levado para a  TV, a primeira em 1954, em The Shadow, com Tom Helmore na pele do personagem e, em 1958, o herói ganhou um piloto de seriado que não deu certo e acabou nomeado como Invisible Avenger. O filme foi reeditado e lançado em 1962 como Bourbon Street Shadows.

Alec Baldwin sabe!

Foi apenas em 1994, durante a prolífica série de produções de filmes baseados em histórias em quadrinhos que surgiu após o Batman de Tim Burton, que o Sombra ganhou sua melhor adaptação para as telonas. O filme, intitulado apenas de O Sombra, foi produzido pela Universal Pictures e dirigido por Russel Mulcahy, diretor australiano que já havia trabalhado com conceitos super-heróicos em Highlander – O Guerreiro Imortal. No papel principal, Alec Baldwin interpretou o mehor Sombra dos cinemas, que era visualmente impecável, principalmente devido à maquiagem que destacava seu nariz e o olhar insano do Sombra.

O roteiro de David Koepp, dos primeiros Jurassic Park e Homem-Aranha, faz um bom trabalho apresentando a origem do personagem, que está toda ali, apesar de algumas adaptações, e todo o universo do herói, inclusive trazendo o elenco de personagens coadjuvantes famosos como Margo Lane, interpretada por Penelope Ann Miller, e Moe Shrevnitz, interpretado por Peter Boyle.  Mesmo assim, o tom mais leve e o forte cunho sobrenatural usado no filme desagradou os fãs do Sombra, que esperavam algo mais soturno e violento.

O Sombra foi planejado como uma grande franquia e preparado para ser o grande blockbuster de verão no ano do seu lançamento. Com um orçamento de 40 milhões de dólares, o filme rendeu apenas 48, sendo considerado um fracasso para os padrões da indústria. A linha de brinquedos do Sombra (!!!) produzida pela Kenner como parte importante do merchandising do filme é considerada por muitos até hoje um dos maiores flops da indústria de brinquedos.

Pôster oficial do filme do Sombra com Alec Baldwin.
Pôster oficial do filme do Sombra com Alec Baldwin.

Visualmente impecável, mas com um roteiro simples demais, o filme acabou sendo esquecido durante anos, mas aos poucos adquiriu status de cult. O que é realmente uma injustiça, pois ainda hoje o esmero técnico do filme impressiona e muitos de seus problemas ainda são compartilhados por filmes de super-heróis bastante elogiados da última década, por exemplo. Para os saudosos, o filme foi finalmente lançado no Brasil em DVD recentemente pela Empire Films.

Mas o Sombra está longe de ser esquecido nas telonas. Desde 2006, o diretor Sam Raimi e o produtor Michael Uslan veem tentando produzir uma nova adaptação do personagem para os cinemas. As últimas notícias que se tem é que em 2012, durante um painel na San Diego Comic-Con, o diretor disse que ainda não conseguiram um roteiro à altura do personagem para ser filmado. Boatos dizem que Quentin Tarantino assumiria a adaptação do herói para as telonas. Será verdade? Só o Sombra sabe!

O Sombra é, sem dúvida alguma, um dos personagens mais adaptados para os mais diversos meios dentro da cultura pop. “Mas e os quadrinhos” você deve estar se perguntando. Para manter o clima de seriado cinematográfico dos anos 1930, volte aqui nos próximos dias e confira a parte dois deste artigo!

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com