ECCC: Brian Bendis fala sobre o seu Superman e Jinxworld

De modo geral, a Emerald City Comic Con deste ano foi tranquila. Não houve grandes novidades por parte de nenhuma das editoras dos Estados Unidos, fazendo com que elas apenas explorassem um pouquinho mais do que já tinha sido anunciado. Contudo, Brian Bendis teve a chance de se reunir com seus fãs, em um painel dedicado totalmente à sua carreira e à sua chegada na DC depois de quase duas décadas trabalhando exclusivamente para a Marvel.

Antes de falar do que todo mundo mais queria saber (sua vindoura fase no Superman, escrevendo as duas revistas mensais do herói), o autor anunciou novidades de outros de seus trabalhos, principalmente os relacionados ao chamado Jinxworld, que reúne todas as suas criações independentes. O universo ficcional e seus títulos foram todos transferidos para a DC com a ida de Brian Bendis para lá.

Powers em arte de Michael Avon Oeming.
Powers em arte de Michael Avon Oeming.

Primeiramente, os novos projetos do autor são Pearl, que foi criado ao lado de seu parceiro de longa data Michael Gaydos, e Cover, com David Mack, também um colaborador conhecido do autor. A sinopse do primeiro quadrinho diz que Pearl, a protagonista, é uma tatuadora que trabalha para a Yakuza vivendo na São Francisco moderna e que se apaixona por alguém de uma facção rival.

Já a sinopse de Cover diz que ela é inspirada em uma história verdadeira em que a comunidade de inteligência recruta um conhecido artista de quadrinhos como espião. Bendis citou influências de filmes como Confissões de Uma Mente Perigosa e os Até que os Parentes nos Separem.

Além disso, a Jinxworld dará continuidade às séries Powers, que ganhará um nova graphic novel no meio deste ano lá fora (Bendis afirmou que ela já está pronta) e Scarlet, na qual seu amigo e aclamado quadrinista Alex Maleev está trabalhando com ele. O autor garantiu que tudo isso está sendo finalizado antes das datas de lançamento serem oficializadas para garantir que não haja atrasos, um espaço que ele deve ter conseguido com sua excelente negociação com a DC. Sendo assim, Bendis entra para o rol dos que produzem e fazem curadoria de quadrinhos para a editora, mantendo nada menos que quatro títulos com sua marca saindo por lá.

As capas de Cover e Pearl, as novas HQs de Brian Bendis.
As capas de Cover e Pearl, as novas HQs de Brian Bendis.

Por fim, o Superman.

O autor revelou que é fascinado pelo fato de Clark Kent ter escolhido ser repórter. “Ele não precisava ter nenhuma identidade secreta. Eu acho que a razão pela qual ele escolheu ser jornalista é que é a única coisa que ele pode fazer para servir a justiça sem estar vestido como Superman. Ele pode revelar a verdade”, afirmou Bendis, complementando ainda que explorará o lado de repórter investigativo do personagem.

Brian Bendis também fez muitos elogios aos seus colaboradores, inclusive os que estão deixando os títulos do Superman para ele cuidar. Segundo ele, Patrick Gleason, Peter Tomasi e Dan Jurgens estão passando o bastão para ele como verdadeiros cavalheiros e que tudo que eles produziram até agora não será desconsiderado por ele nas futuras histórias.

Por fim, Bendis diz que se sente bem escrevendo o Superman. Ainda que os conceitos de “verdade, justiça e modo de vida americano” serão todos questionados em suas histórias, “principalmente porque, do jeito que as coisas estão hoje, o sonho de vida americano foi colocado em xeque”, afirmou, ele disse que o personagem lhe traz esperança. “Escrever Superman me faz sentir bem. Além disso, sou pai. Eu sou um homem com alguns empregos. Eu me relaciono mais com essas coisas do que imaginava. E eu fico incrível usando calças azuis. Eu não sabia!”