Com DC Ink e DC Zoom, editora mira no público jovem

Como se não bastasse a quantidade cada vez maior de selos dedicados a iniciativas criativas com curadoria de determinados nomes (populares) da indústria, a DC resolveu criar mais duas divisões: DC Ink e DC Zoom. Elas serão focadas nos públicos juvenil e de jovens adultos, com histórias inéditas e produzidas por talentos diversificados, que entendem do assunto.

Vale lembrar que a DC está sempre preocupada com o envelhecimento de seu público e, de tempos em tempos, cria selos infantis, infantojuvenis e para jovens adultos, com a intenção de criar uma nova base para leitores de seus quadrinhos e, por consequência, para novos criadores. Esse foi o caso de selos que jamais chegaram às terras brasileiras, como Johnny DCMinx e o seu primeiro selo exclusivamente digital, Zuda Comics.

Em um anúncio oficial feito ontem, a DC estabeleceu que 2018 será o ano em que ela voltará a investir pesadamente no público jovem com o objetivo de reciclar o consumo de quadrinhos nos Estados Unidos, indústria que há anos está vinculada a pessoas mais velhas e com poder aquisitivo. Levando-se em conta que o objetivo é começar as publicações a partir do terceiro trimestre do ano, é de se esperar que os maiores anúncios de DC Ink e DC Zoom surjam nas convenções durante o ano, com foco especial para a SDCC, agendada para julho.

Contudo, isso não significa que a editora não tenha revelado alguns de seus profissionais e de sua lista de títulos programados para sair nos próximos sob estes selos – pelo contrário. Confiram abaixo tudo que foi anunciado até agora!

Imagem promocional do DC Ink por Gabriel Piccolo.
Imagem promocional do DC Ink por Gabriel Piccolo.

Primeiramente, entre os nomes confirmados até agora estão Laurie Halse Anderson, Meg Cabot, Melissa de la Cruz, Shea Fontana, Kami Garcia, Minh Lê, Marie Lu, Lauren Myracle, Michael Northrop, Danielle Paige, Ridley Pearson, Mariko Tamaki e Gene Luen Yang. Destaque também para a arte de divulgação acima, do brasileiro Gabriel Piccolo, que falou conosco exclusivamente na CCXP do ano passado. Outros nomes devem surgir com o passar das próximas semanas.

Em termos de títulos e formatos, com exceção de Superman Smashes the Klan (provando o quão atualizada a DC está em relação à sociopolítica de seu país), que sairá de forma regular para ser colecionada depois, todas as publicações serão graphic novels originais. Os criadores terão liberdade de trabalhar com todo o elenco de personagens disponível para criar histórias que se encaixem nas propostas de cada selo, DC Ink e DC Zoom.

Portanto, se analisarmos bem, tanto o formato como o teor das histórias são muito parecidos com algo que já temos no Brasil: as Graphic MSP. Seria leviano fazer qualquer afirmação acerca de inspiração, mas Jim Lee e Dan DiDio, os publishers da DC, de fato conheceram Mauricio de Sousa na CCXP de 2015. E, alimentando a curiosidade desta linha de pensamento, veja só mais abaixo o estilo do teaser de um dos títulos, com o protagonista de costas e com apenas o nome do personagem e do criador aparecendo.

Como Diane Nelson, presidente da DC Entertainment, bem notou no anúncio à imprensa, o mercado de publicações para o público juvenil voltou a crescer e a editora quer se aproveitar da oportunidade criando divisões específicas para isso, sem envolver sua complexa cronologia. Os sucessos de publicações para esta faixa etária, como DC Super Hero Girls, também influenciou na decisão.

As primeiras graphic novels do DC Ink incluem Harley Quinn: Breaking Glass, de Mariko Tamaki e Steve Pugh, e Mera, de Danielle Paige. Na DC Zoom a primeira a chegar às lojas será DC Super Hero Girls: Search for Atlantis, de Shea Fontana e Yancey Labat. Todos estarão à venda ainda em 2018, ou seja, as próximas publicações sairão apenas em 2019.

Mera, de Danielle Paige.
Mera, de Danielle Paige.

Elas serão (na DC Ink):

BATMAN: GOTHAM HIGH – de Melissa de la Cruz (ALEX & ELIZA, BLUE BLOODS, WITCHES OF EAST END)
BATMAN: NIGHTWALKER – THE GRAPHIC NOVEL – de Marie Lu (LEGEND)
TEEN TITANS – de Kami Garcia (BEAUTIFUL CREATURES)
UNDER THE MOON: A CATWOMAN TALE – de Lauren Myracle (INTERNET GIRLS, KISSING KATE)
WONDER WOMAN: TEMPEST TOSSED – de Laurie Halse Anderson (SPEAK, CHAINS)

Outros títulos do DC Zoom incluem:

BATMAN TALES: ONCE UPON A CRIME – de Derek Fridolfs e Dustin Nguyen (BATMAN: LI’L GOTHAM)
BATMAN: OVERDRIVE – de Shea Fontana (DC SUPER HERO GIRLS)
BLACK CANARY: IGNITE – de Meg Cabot (THE PRINCESS DIARIES)
DEAR JUSTICE LEAGUE – de Michael Northrop (TOMBQUEST)
GREEN LANTERN: LEGACY – de inh Lê (DRAWN TOGETHER)
SUPER SONS – de Ridley Pearson (KINGDOM KEEPERS)
SUPERMAN OF SMALLVILLE – de Art Baltazar & Franco (TINY TITANS)
SUPERMAN SMASHES THE KLAN – Gene Yang (AVATAR: THE LAST AIRBENDER, NEW SUPER-MAN)

Com esta iniciativa, a DC mostra que, mais uma vez, está antenada na indústria, enxergando-a não apenas como um canal de venda direta de quadrinhos tradicionais para seu público de sempre, mas sim como um berço de iniciativas e tentativas de inovação para a mídia. O rejuvenescimento de leitores é fundamental para a sobrevivência dos gibis e este é um ótimo caminho para tentar alcançá-la.