[#DCEULeaks] Liga da Justiça e Fim de Ano: Revelações e Despedidas

Acabou. Para todos nós. A partir de agora, o filme da Liga da Justiça entrará no menor período de arrecadação de seu percurso de exibição nos cinemas, entrando em seu terceiro final de semana de faturamento razoavelmente volumoso. Depois disso, o filme divisivo entra em uma segunda fase de arrecadação, em que públicos bem menores comparecerão ao cinema e darão cada vez menos milhões, tornando cada vez mais difícil fazer com que o filme chegue, por exemplo, à marca de 700 milhões de dólares – o que não deve acontecer, segundo levantamentos recentes.

Também é o fim de temporada para nós do Terra Zero, que estamos nos preparando para a CCXP 2017 e umas boas semanas de recesso depois disso, mas com um diferencial: até voltarmos, vocês terão conteúdo do evento e resenhas durante todo o tempo em que estivermos ausentes – sem contar o plantão de breakings que não para nunca! Mas para todos os efeitos, hoje começam as nossas férias! Sobre ela não temos muito o que falar, mas sobre o mais recente #DCEULeaks, temos. Infelizmente.

Infelizmente porque o microgerenciamento da Warner, tão transparecido após os fracassos críticos de Batman vs Superman e Esquadrão Suicida novamente mostraram sua cara. Agora já está cada vez mais claro que Joss Whedon foi colocado no jogo quando a Warner simplesmente não queria mais Zack Snyder na Liga, utilizando o suicídio de sua filha Autumn como bode expiatório para sua saída. Também é evidente que o filme planejado pelo diretor dos longas anteriores fecharia a trilogia de Homem de Aço de uma forma bem diferente do que foi lançado pelo estúdio duas semanas atrás.

Portanto, após dois vazamentos de informações cruciais de bastidores, isso acontece mais uma vez, o que promete minar ainda mais o faturamento do filme enquanto seus diretores, roteiristas e atores permanecem blindados pelo estúdio – para quem não percebeu, são pouquíssimas as entrevistas que todo esse pessoal tem dado para divulgar o longa, algo bem incomum para blockbusters. O próprio Zack Snyder afirmou no Vero, a rede social onde é mais ativo, que sequer viu o filme.

AT&T e a PLR

Muitas empresas pagam participação dos lucros (ou benefícios por mérito) para funcionários uma ou mais vezes por ano. Aqui no Brasil a prática é conhecida pelas siglas de PLR ou PL. A conversa da vez, e a fonte é ninguém menos que o The Wrap, um dos maiores e mais confiáveis sites de entretenimento do mundo, é que Kevin Tsujihara e Tobby Emmerich, os dois principais executivos da Warner responsáveis pelos filmes da DC, perderiam cerca de 85 milhões de dólares em bônus caso adiassem o lançamento do filme. Mas por que estamos falando isso?

Porque se chegou em um ponto em que o adiamento foi cogitado e parecia ser a melhor opção. Como consequência de toda a liberdade oferecida pelo estúdio a Snyder, muito graças ao presidente Greg Silverman (que trabalhou de perto com Christopher Nolan na trilogia O Cavaleiro das Trevas e aceitou o conselho do diretor de ter Snyder como arquiteto da nova DC no cinema), o que se viu foram dois filmes com abordagens sinistras, cínicas e nada otimistas, o que até caberia para o Batman, mas certamente passou bem longe do que a maior parte do público (e da crítica) esperava do Superman.

Christopher Nolan e Zack Snyder no set de Homem de Aço.
Christopher Nolan e Zack Snyder no set de Homem de Aço.

Logo, quando chegou a hora da Liga da Justiça ser feita, a Warner cogitou se livrar de Snyder:

Já havia problemas na pré-produção da Liga, mas demiti-lo custaria uma fortuna. Parece que a grande falha da Warner é querer projetar força.

De forma nada surpreendente, houve problemas na hora de a Warner e a AT&T fazem sua transação comercial por causa de Batman vs Superman. Sua baixa recepção, segundo o The Wrap, causou uma fissura em um negócio tido como praticamente certo. Mesmo que o público só tenha sabido dessa compra em outubro de 2016, por detrás das cortinas as coisas já aconteceriam desde abril, semanas depois do lançamento de BvS e seu fracasso com crítica e público.

Quando Jon Berg, presidente do DC Films, foi envolvido na jogada, ele ficou vistoriando tudo que Snyder fazia, chegando a tratar o diretor com desdém na frente das outras pessoas, piorando ainda mais o clima entre ele e a Warner. Foi dele inclusive a decisão de deixar para trás a ideia de fazerem dois filmes da Liga e concentrarem-se apenas em um, o deste ano. Originalmente a Warner lançaria uma sequência em 2019.

Imagem promocional da Liga da Justiça com o Superman ao centro superior.
Imagem promocional da Liga da Justiça com o Superman ao centro superior.

Quando Snyder saiu de vez do projeto, em maio, Whedon já estava prestando consultoria na forma de alteração de diálogos e pequenos trechos de roteiro, mas, em seguida, assumiu de vez o projeto. O que também não foi muito bom, nem para o filme e nem para ele, como a segunda parte deste #DCEULeaks vai mostrar.

“A Batalhas Perdidas”

A vida de Whedon anda infernal nos últimos anos. Problemas com a Marvel Studios viraram problemas com a DC Films, ainda que nem chegassem perto do que Snyder passou com eles nos últimos 18 meses. Ele teve que pegar o filme praticamente pronto de Snyder e criar uma narrativa diferente, porém coerente, para atender aos desejos do estúdio de mudança de tom e corte de tempo.

A mudança de tom veio do sucesso da concorrência; o corte, da chance de ter mais exibições do filme em um mesmo dia nas salas de cinema pelo mundo. Nenhuma das duas coisas ajudou de verdade, já que o filme está com a bilheteria mais baixa do agora infame DCEU (porque ele nunca teve esse nome oficialmente, sendo na verdade DC Films, o que foi descoberto recentemente) e as críticas não perdoaram o Frankenstein que Liga da Justiça se tornou. O The Wrap fez um levantamento muito bom e coerente de cenas que fazem parte do corte original de Snyder e do que foi filmado por Whedon – vale a pena conferir clicando aqui.

Percebendo que a contribuição de Whedon foi grande, muitos fãs acreditam que há um corte de Snyder preso na Warner, um que talvez, num futuro qualquer, veja a luz do dia. Um que tenha um retorno diferente do Superman (todas as cenas da volta dele são de Whedon), que tenha o Vulko de Willem Dafoe e a Iris West de Kiersey Clemons (que, na teoria, estará em Flashpoint, apesar de a Warner ter pensado em demiti-la depois que Rick Famuyiwa, que a levou para o futuro filme do Velocista, saiu do projeto do Flash). Algumas dessas cenas vazaram e foram descritas pelo Terra Zero no primeiro artigo do #DCEULeaks.

Não há dúvidas que uma assistida no filme já é suficiente para notar as diferenças entre as visões de cada diretor. A Vanity Fair descobriu que a cena de abertura com o Batman, que tem um estranho equilíbrio entre sombras e comédia, o Cruzado Embuçado de Ben Affleck rastreia o ladrão interpretado por Holt McCallany nos telhados de Gotham. Depois de uma porradaria que envolve um Parademônio, as coisas terminam de um jeito estranho. Como se faltasse algo. E faltava mesmo.

McCallany disse à People’s Fitness que a cena original era cômica, mas o estúdio reeditou para ter um pouco de cada diretor e esqueceu de fechar aquela história. “Parece que Warner Bros. agiu com mão mais pesada no trabalho de Whedon do que se acreditava originalmente. Não me admira que o filme esteja lutando na bilheteria”, disse o ator. E ele continuou: “Quando cheguei em casa, encontrei uma garrafa do meu champanhe favorito e um bilhete de Joss dizendo ‘A Batalhas Perdidas. Com gratidão, Joss'”.

Diz muita coisa.

O Futuro

Kevin Tsujihara terá seu contrato terminado na Warner ano que vem. Levando-se em conta que seu trabalho não deu tão certo quanto imaginado anteriormente, é bem provável que o estúdio não renove com ele.

Sobre os super-heróis da DC, Aquaman, Shazam e Mulher-Maravilha 2 estão confirmados, com The Batman, agora de Matt Reeves, ainda um pouco enrolado, já que não se sabe se ele será o início de uma nova trilogia com outro ator (sendo Jake Gyllenhaal o mais cotado) ou a despedida de Ben Affleck do papel. A teoria é de que Flashpoint, o filme do Flash, mostre Affleck e Jeffrey Dean Morgan (que viveu seu pai em BvS como o Batman da Terra de Flashpoint, onde Bruce morreu e ele virou o Morcego) em ação, para então termos um Batman novo no final. Mas são apenas teorias.

Montagem de Jeffrey Dean Morgan como o Batman da Terra Flashpoint.
Montagem de Jeffrey Dean Morgan como o Batman da Terra Flashpoint.

A boa recepção de Henry Cavill e o Superman no filme da Liga da Justiça pode garantir um novo filme a ele, mas tudo é especulação. O que se sabe, e isso tem sido confirmado pelo próprio ator nas poucas entrevistas que ele deu recentemente, é que ele tem contrato para um filme como o Homem de Aço, assim como Amy Adams (Lois Lane) e Diane Lane (Martha Kent).

Já sobre a versão completa de Zack Snyder do filme ser supostamente lançada ou o futuro da Liga e do Exterminador (e de outros vilões deste universo), ninguém sabe dizer com certeza o que virá. Mas estaremos de olho (o trocadilho com o Exterminador não foi proposital).

Nossas Férias

Entramos oficialmente de férias hoje, Zeronautas! Voltaremos entre o fim de janeiro e o começo de fevereiro com mais garra do que nunca – e atrações que vocês nem imaginam! Enquanto isso, teremos a cobertura da CCXP, plantão de breakings e resenhas de materiais que leremos nas férias.

O ano foi conturbado, não apenas por aqui, mas no mundo real também. Felizmente tivemos a volta do Grisa, a formação de um conselho editorial colaborativo em que estão Delfin, Pablo, eu e Igor, para agilizar algumas coisas e tomarmos decisões melhores e uma forma diferente (e mais abrangente e personalizada) de dar notícias importantes para vocês. Criamos nosso jeito de fazer as coisas, o que acarretou em perda de parte do público, mas passou a nos dar muito mais prazer e a formar a nossa própria comunidade. Nada poderia ser melhor que isso!

Mas o dia ainda não acabou! O Delfin fará um editorial [Nota do Delfin: e haja coisa pra escrever!] explicando tudo que houve de bom e ruim em 2017, mas saibam que, apesar de tudo, ele foi um bom ano.

Nos vemos em 2018!

  • Lucas Carvalho

    A triste realidade é que a Warner não tem tratado com o respeito e importância que merece uma de suas maiores franquias, com potencial para render muito mais dinheiro do que Harry Potter e Senhor dos Anéis. Está mais do que provado que justamente essa busca (de meia dúzia de interessados) por esse dinheiro é o maior problema do DC Films. Espero que a AT&T tome as rédeas e coloque novos nomes, competentes e que deem liberdade (de verdade) para os seus diretores, como eles vem dizendo que 2018 será o ano do recomeço, torcemos pra que a DC tenha também o seu “Rebirth” no cinema.

  • Luiz Felipe Oliveira Champloni

    Kevin Tsujihara é com certeza o maior responsável pelo fracasso do DCEU. Sua visão covarde e imediatista de cinema comprometeu um projeto sólido e diferenciado de Nolan e Snyder e acabou desfigurando pra pior tudo em que tocou.

    Espero que arranje emprego em outra área, como venda de carros usados.

    • Fernando Alves

      Apoiado e mil vezes apoiado..Tamanha irresponsabilidade de um produtor que nem sabe nada de Hq..Podia ser ótimo,gostei do filme,mas eu acho que ia ser mais legal com Darkseid e tudo o mais que ia aparecer antes.Dividir em dois era uma ótima ideia.E colocar o Joss Wedon para refilmar,ficou com cara de Marvel e Vingadores que ele mesmo dirigiu.Uma pena,espero que a DC volte a fazer coisas boas para cacete.Coitado do Snyder.

  • Felagund

    Muito triste com essa historia da Liga. Particularmente, eu não gosto desse Batman desde o BvS, por outro lado gostei das outras caracterizações. Principalmente desse Super da Liga.

    Mas ao menos uma noticia boa vem ai. Um novo texto do Delfin. Espero que tenha muitas palavras, e quem sabe uma promessa de participar de novos comicpods próximo ano. . ;)

  • Emerson Pinheiro

    Mesmo com todos esses problemas, o filme teve um resultado satisfatório (imaginem se fossem bem trabalhado). Mas, como disse o Morcelli outro dia, o “ouro” esta nas series…kk
    Desejo um otimo 2018 para toda a equipe do Terra Zero com muita saude, paz e sucesso. Abs.

  • Cassiano Cordeiro Alves

    “Felizmente tivemos a volta do Grisa”. Sem dúvida, foi um bom retorno. Mas, para mim, o pulo do gato foi a volta do Vlad aos podcasts.

  • Da Roça

    A matéria do The Wrap é esclarecedora em diversos aspectos, não só em mostrar os bastidores da Liga, mas também como o universo DC no cinema vinha sendo gestado, e como os erros foram se acumulando até que a relação da Warner e o Snyder azedaram de vez. O texto cita por exemplo que o produtor que deveria supervisionar o trabalho do Snyder, deu carta branca para o diretor, a ponto de não acompanhar e revisar o roteiro de “Batman v Superman”. Pessoas envolvidas na produção citam que o filme não foi considerado apenas sombrio, mas “o sombrio da mais escura escuridão”.

    “O que poderia ser mais escuro do que o Superman matar ? Que tal o Superman morrendo? “Batman v Superman” (que é sequência de Homem de Aço) terminou com ele no túmulo”. cita o The Wrap

    Um analista ouvido pelo The Wrap, explica que algo deste tipo corrói qualquer marca, e que “BvS” foi muito ruim para a marca DC nos cinemas. O filme foi tão mau recebido, que afastou o interesse do público em ver a Liga da Justiça.

  • Eduardo Cesar Diniz

    Pessoal, parabéns por mais um ano! Parabéns pela volta do Vlad (como esse cara fazia falta!) e do Grisa! Sei que vcs estão mais ocupados do que nunca, mas para 2018 gostaria de ter mais o Delfin, o Brunão e o Morcelli nos podcasts! Vlw!

  • Marcelo Pereira

    O filme terá um resultado satisfatório. A bilheteria terá quedas normais para um filme que está em cartaz há 3 semanas, mas a arrecadação segue sólida. O UDC cinematográfico seguirá em frente com as lições que precisam ser colocadas em prática. Em Tempo: Não seria o caso da Warner transpor esse pessoal que comanda tão bem o arrowverse da TV para coordenar o UDC cinematoráfico?

  • Luiz Magno

    Não seria a hora da DC buscar inspiração nas sua séries de tv? Heroísmo e diversão na medida certa.
    Embora tenha maneirismos de roteiros, eu veria numa boa um filme de Legends of Tomorrow, por exemplo.

    • Cassiano Cordeiro Alves

      Legends ainda não assisti, mas gostei muito das primeiras 2 temporadas do Flash que assisti. Mesmo a criticada Arrow acho que traz boa diversão e mantendo a essência dos personagens. Concordo com você. As séries trazem heroísmo e diversão na medida certa, talvez seja o tom certo para os filmes DC no cinema.