[#NYCC Dia 2] Marvel faz parceria com fabricante de armas e a cancela no meio do evento

Por essa ninguém esperava. Na sexta a Marvel anunciou que estava fazendo uma parceria com a Northrop Grumman, uma das maiores fabricantes de armas do mundo, com receita anual de cerca de 20 bilhões de dólares. Extremamente inédita na área de quadrinhos, este tipo de parceria teria como objetivo divulgar o programa STEM (Science, Technology, Engineering and Math; Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemática). Contudo, muito mal recebida pelos fãs e pela indústria, a união acabou antes mesmo de começar.

Havia até um evento marcado para o último sábado, a acontecer no estande da Marvel na NYCC, mas ele foi completamente cancelado, embora a editora em si não tenha lançado na imprensa um comunicado oficial dando todas as razões do cancelamento.

Capa do quadrinho que marcaria a parceria entre a Marvel e a empresa de armas.
Capa do quadrinho que marcaria a parceria entre a Marvel e a empresa de armas.

Segundo a editora, porém, em uma explicação rápida, “a apresentação da Marvel com a Northrop Grumman na New York Comic Con teria como foco a tecnologia aeroespacial e na exploração positiva. No entanto, como o espírito dessa intenção se dissipou, não seguiremos com a parceria, incluindo a programação do fim de semana. A Marvel e Northrop Grumman continuam empenhados em apresentar o STEM a uma ampla audiência.”

A intenção do quadrinho, que seria escrito por Fabian Nicieza e desenhado por Sean Chen, era promover o STEM, mas o fato de que ele foi desenvolvido em cooperação com a Northrop Grumman pegou muito mal com os fãs. Sim, é verdade que a companhia tem em sua cartela de produtos uma variedade de empreendimentos científicos, incluindo a exploração espacial, mas ela é mais conhecida desenvolver armamento.

Em 2013, o jornal USA Today colocou a empresa em sexto lugar na lista das 10 maiores empresas que mais se beneficiaram com a guerra, o que diz muita coisa. Naquele ano, estimou-se que ela tinha obtido um lucro de US$ 2,1 bilhões nas guerra dos Estados Unidos no exterior.

Seja como for, o quadrinho, que mostraria os Vingadores com um novo grupo de batedores chamado NGENs. Sua sinopse dizia:

Quando o Red Ronin emerge do Hudson, os Vingadores se reúnem para impedir sua marcha destrutiva em direção a Nova York. Mas quando o gigante mecânico prova ser uma combinação tecnológica incrivelmente avançada, eles pedem ajuda de um novo supergrupo. Northrop Grumman Elite Nexus é uma equipe de cientistas que se especializam em aventuras inovadoras. O novo esquadrão de batedores, conhecido como N.G.E.N., corre para ajudar os Vingadores neste missão. Mas quem poderia estar por trás do misterioso ataque do Red Ronin?

A Marvel não é nova em fazer parcerias, tendo publicado, há anos, quadrinhos em conjunto com uma variedade de empresas, incluindo ESPN, Visa e NBA, bem como títulos dedicados a questões como bullying, mentoria e nutrição. É estranho que eles tenham partido para esse lado com o novo projeto, mas parece que nada disso vai mais acontecer.

  • Rafael

    Fez muito bem em cancelar.

  • Depois de culpar os leitores pelas vendas, de maquiar vendas, fazer práticas desleais aos vendedores de HQs e manter as HQs à 1 dólar mais caro que a DC, será que a Marvel quer um contador de erros como fizeram com a DC?

    • thiago

      Q história é essa de contador de erros?

      • O The Outhousers, um site americano de quadrinhos, fez um contador de quantos dias a DC ficava sem fazer merda. Isso foi lá por 2011 ou 2012. A DC sempre fazia polêmica com alguma coisa, principalmente com os Novos 52, e o contador acabou ficando famoso. O contador se chama “A DC Fez Algo de Estúpido Hoje?”.
        http://hasdcdonesomethingstupidtoday.com

        • thiago

          Cada coisa hein

    • AtmosF.E.A.R.

      O Contador foi uma das idéias mais geniais do Outhousers. Mas deveriam ter feito um pra Marvel tb.

      • Isso que eu falei ali em cima por causa das polêmicas e cagadas editoriais que a Marvel vem fazendo. Quando fui rever esse contador atualmente, parece que tá meio abandonado.

  • Eduardo

    A Hasbro e a IDW ralando pra tornar os “Comandos Em Ação” mais “palátaveis” pro novo milênio e vem a Marvel com uma (outra) aberração dessas? Jesus…

  • Static

    Obvio depios daquela tragedia em Las Vegas a Marvel tem mais é que se distanciar disso mesmo.. Ou qualquer outra coisa relacionada a armas de fogo.

    • Mariano Augusto Matos

      tipo o justiceiro? ou o nick fury? ou viloes que usam armas de fogo? que merda

      • são ficção.
        jogos violentos não induzem à violência, assim como hqs.
        Portanto, o seu “tipo” é tipo errado.
        Tem que canceIar mesmo, fora armamentismo

      • Evandro Monteiro

        Tipo o matador de Las Vegas que chacinou dezenas 2 semanas atrás, que comprou 33 armas, mas a polícia não viu problemas.

  • Evandro Monteiro

    Algo com o Fabian Nicieza não poderia dar certo.

  • AtmosF.E.A.R.

    Agora vem cá: sabe desde quando a Marvel passa pano pro complexo industrial-militar? Desde quando alistou o Capitão América antes do ataque a Pearl Harbor. Ou, se preferirem, desde quando um Tony Stark ainda jovem foi entregar armas pro Vietnã do Sul. Concordo que esse negócio todo da Grumman fede, e muito. Mas achar que a Casa das Idéias (Fracas) é isentona, é muita ingenuidade desses millenials! Achar que um veículo de disseminação de valores ocidentais, mais especificamente valores dos EUA (como livre concorrência e o direito de portar armas) não fosse abraçar a oportunidade de ficar bem na foto com uma administração como a atual, é wishful thinking demais pra uma geração pós-Occupy, que pensa saber demais sobre tudo e qualquer coisa. No cinema, os Vingadores são pouco mais do que Marines bombados, e tem gente AINDA acreditando nessa conversa de “ações positivas” e representatividade? Acorda, porra! Os EUA sempre mandaram os pobres pras guerras que arranjam mundo afora, e não vai ser a Marvel cancelando um gibizinho brinde que vai mudar isso! Pelo menos, não enquanto Ike Perlmutter for o cacique ali!