[Review] Star Wars: Jedi of the Republic – Mace Windu #1

Mace Windu fez sua estreia nos quadrinhos do Universo de Star Wars publicados pela Marvel. Jedi badass que só poderia ter sido vivido por Samuel L. Jackson no cinema, o personagem teve sua cota de histórias quando a franquia pertencia à editora Dark Horse. Agora é a vez de ele ser investido pela Casa das Ideias com uma HQ em série limitada em cinco partes intitulada Mace Windu: Jedi Of The Republic. Um nome bem adequado para o momento em que a história se passa.

Tudo acontece bem no meio das Guerras Clônicas, logo após a Primeira Batalha de Geonosis, mostrada no filme Star Wars: Episódio II – Ataque dos Clones, de 2002. Mace Windu e outros de seus aliados Jedi agora estão com patentes militares e os conflitos começam a ficar cada vez mais acirrados.

Há muita empolgação em torno de coisas que envolvem o personagem de Samuel L. Jackson, pois ele é muito querido entre os fãs de diversas faixas etárias. Contudo, este novo quadrinho deve ser lido com certa cautela.

Capa da nova HQ de Mace Windu, por Jesus Saiz.
Capa da nova HQ de Mace Windu, por Jesus Saiz.

Matt Owens, o autor, ainda é novo no mercado e está trabalhando com Star Wars pela primeira vez. Logo de cara nota-se alguma inexperiência narrativa que o autor só adquirirá com o tempo.

Na aventura, Windu reúne, com apoio do Conselho, alguns Jedi para investir em um planeta na Orla Exterior quando há sinais de que a República está sofrendo ameaças graves. Apesar da experiência, o protagonista está preocupado e abre-se com o Conselho a respeito disso para que siga mais focado em sua missão. Ao lado dele estão jedi e outras raças, como Kit Fisto, o cego Prosset Dibs e as das aeronaves, Rissa Mano. A equipe é equilibrada e Owens apresenta bem os personagens. Sua franqueza está no desenvolvimento do roteiro.

Enquanto os personagem cativam por seu carisma (e semelhança física com os filmes no traço do experiente Denys Cowan), o argumento é fraco. O que deveria ser uma ramificação da batalha dos jedi contra a misteriosa conspiração para derrubar a República comandada por um dos maiores mestres vivos, agora com patente militar, parece apenas mais uma investida genérica de jedi contra inimigos quaisquer. Nesta primeira etapa da minissérie, eles enfrentam robôs com diálogos que deveriam ser engraçados, mas não capturam a essência cômica dos droides da franquia e soam patéticos.

O vilão final também deixa muito a desejar, o que é ainda piorado pelo que traço do Cowan que, apesar da experiência e de ser ótimo com personagens, não captura a beleza e a riqueza dos cenários de Star Wars, deixando a desejar para a graciosidade da galáxia.

Mace Windu: Jedi Of The Republic teve um início equilibrado, mas, se os artistas não se esforçarem para melhorarem o próximo capítulo, esta estreia do personagem no universo de HQs da Marvel pode ser esquecida e enterrada em muito pouco tempo.