[NYCC] DC prepara Nova Era de Super-Heróis e Doomsday Clock

Além da divulgação de que Doomsday Clock estará em peso na New York Comic Con, a DC está preparando algo bem interessante especialmente para o evento: uma Nova Era de Super-Heróis. Divulgada ontem com exclusividade do Bleeding Cool, a notícia já gera especulações entre os fãs sobre o que pode estar por vir.

Quanto a Doomsday Clock, não há segredos aí. Geoff Johns em pessoa estará no painel dedicado à história apresentando todos os conceitos e páginas inéditas, aproveitando para instigar os fãs ao fazer a ponte entre Universo DC Renascimento e sua nova história. É a primeira HQ que ele escreve em mais de um ano.

Capa de Doomsday Clock #1, por Gary Frank. Prenúncio da Nova Era de Super-Heróis?
Capa de Doomsday Clock #1, por Gary Frank. Prenúncio da Nova Era de Super-Heróis?

A respeito do painel da Nova Era de Super-Heróis, que está vinculado à saga Metal, já iniciada lá fora, o anúncio diz:

A equipe por trás de Dark Nights: Metal, Scott Snyder e Greg Capullo, estarão lá para falar o mais quente quadrinho do ano! Unindo-se a eles estarão os contribuidores da Nova Era de Super-Heróis da DC, Steve Orlando, Justin Jordan, Frank Tieri, James Tynion IV, Robert Venditti, Joshua Williams e muitos outros em uma hora bem agitada de quadrinhos!

A princípio, poderia-se imaginar que este anúncio está relacionado à saga Dark Matter, oriunda de Metal, que apresentará uma série de novos super-heróis para o Universo DC, como a The Terrifics, The Silencer, Sideways, The Immortal Men e muitos outros. Já falamos sobre eles aqui.

Mas pode não ser o caso.

O que acontece é que Doomsday Clock, cronologicamente falando, acontecerá um ano após os eventos atuais do Universo DC. Qualquer coisa que for definida nela, mudará o restante deste universo para sempre. Levando-se em conta que ela durará entre 12 e 13 meses de publicação, o que os fãs verão ano que vem é muito diferente do que se tem agora. Será, como de praxe, uma mescla de coisas que deram certo até agora com novas ideias, feitas por novas pessoas.

E mesmo assim ainda há um pouco mais aí.

Com o envolvimento de Watchmen e do Dr. Manhattan, mais incisivamente, diversos acertos que ainda ficaram em aberto desde o estabelecimento do Renascimento podem ser feito. Por exemplo: as memórias confusas do Superman, que se lembra de coisas de antes e depois dos Novos 52. Pode ainda resolver de vez a questão paterna do Batman, explorada nas últimas HQs escritas por Tom King e muitos outros elementos específicos do que Renascimento instituiu ano passado, mas que agora estão prestes a findar.

Você está preparado para a Nova Era de Super-Heróis da DC, caro leitor? Comente!

  • marcos stasiaki

    Por enquanto, nada me interessou

  • André Luciano Maria

    E depois dizem que ninguém está fuçando na lixeira do Alan Moore.

    • E daí?
      E em primeiro lugar, não é lixeira.
      E em segundo, e mais importante, é da DC e não de Moore.
      E a DC tem todo o direito de fazer o que quiser com o que lhe pertença.

      • IDRIS ELBA RAMALHO

        “E daí?”
        Falta de criatividade, saga e reformulação entrando uma no cu da outra.
        Todo leitor e consumidor tem o direito de dar suas críticas, que aliás eles dizem que gostam por que a partir delas podem se reinventar e atender mais aos desejos dos leitores.

        Infelizmente é só o que fazem a anos, revirar o lixo do barbudo, Grant Morrison que o diga…

      • Cassiano Cordeiro Alves

        E daí que o Mestre Alan Moore tem razão!
        “E em primeiro lugar, não é lixeira”. Bem, Se ele, como contador de histórias, entende que Watchmen cumpriu seu propósito e a ideia deve ser “descartada”, então estamos falando de uma “lixeira” das suas ideias, sim.
        De fato, a propriedade é da DC e ela tem todo o direito de usar. Sou um dos poucos que não teve problemas com a iniciativa “Before Watchmen”. Mas isso não muda outro fato: estão reciclando os trabalhos do velho bardo em detrimento de buscar novos conceitos.

        • Não estão reciclando nada. Primeiro que nunca havia sido usado, por burrice e medo da DC em relação ao que Moore deixou; segundo, se nunca foram usados as ideias permanecem vivas e podem ser usadas; terceiro, buscar novos conceitos seria bom, mas se estes, de Moore, ainda não foram usados, pode-se começar poe eles. E se Moore realmente entendesse que Warchmen cumpriu seu propósito não deixaria aberturas na trama, pontas soltas como deixou em relação ao diário de Rorschach e ao Doutor Manhattan, ele teria fechado todo, e não fechou.

  • IDRIS ELBA RAMALHO

    Doomsday Clock = contagem regressiva para a merda.

    Passo longe. Melhor coisa que tem é se manter nas séries mais fechadas e sem essa pretensão toda de ser “REVOLUCIONÁRIA”.
    Visão do Tom King, as graphic Terra Um, Gavião Arqueiro, Cavaleiro da Lua, Homens-Aranha, coisas do gênero.

    • Cassiano Cordeiro Alves

      Concordo em parte. Gostei muito do especial Renascimento, vou dar uma chance quando sair ao Brasil.

  • Deco

    “Mudará tudo para sempre” = “Mudará tudo até a próxima reformulação editorial para recuperar vendas combalidas”