Panini Comics assume a distribuição de seus produtos no Brasil

Não é de hoje que os leitores de quadrinhos no Brasil reclamam da distribuição de quadrinhos. São décadas de críticas ao formato de venda de HQs e aos atrasos. Já houve muitas justificativas, mas nenhuma solução real. Porém parece que a Panini Comics Brasil chegou à um limite e, de acordo com informações do site Universo HQ, a editora está assumindo a distribuição de seus produtos em todo país.

Um dos maiores problemas das editoras de HQs no Brasil é a distribuição. O ramo de distribuição de banca era um monopólio dominado pela Total (Antiga Dinap), um braço do Grupo Abril. Muitas editoras reclamavam dos altos preços pagos para distribuição de qualidade ruim, enquanto os leitores reclamavam dos vários atrasos que os títulos sofriam ao não conseguirem adquirir seus títulos com conforto nas bancas de revistas.

No ComicPod #366, foi discutido como estava a distribuição de HQs da linha da DC com o advento da fase Renascimento nas bancas. E, em uma pesquisa informal, detectamos que havia cerca de 70% de leitores que não tinham conseguido encontrar os oito títulos lançadas pela Panini no mês de junho.

Durante a ComicCON RS, o editor Levi Trindade já havia adiantado em palestras da Panini que a editora estava para anunciar mudanças no quesito distribuição. Ele também se mostrou bastante insatisfeito com o trabalho que a Total vinha fazendo.

Levi Trindade na CCRS 2017

Na matéria que foi lançada pelo UHQ, foi entrevistado o presidente da Panini Comics Brasil, José Eduardo Severo Martins. O dirigente explica que a ideia da editora é organizar a sua distribuição e se aproximar de seu publico, cuidando do seu produto em todos os níveis. As mudanças que a editora italiana anunciou demoraram oito meses para serem concretizadas. Não foram anunciados os valores do investimento, por conta da política de não revelar valores da empresa.

Martins ainda pontua que a Panini agora assume a entrega direta de seus produtos pelo Brasil em bancas por via de distribuidoras regionais. Ele reitera que a editora não está criando nenhuma empresa de distribuição, mas passando a controlar negociações e o modo de entregar seu produto. Esse movimento de transação direta, que já era utilizado com o mercado livreiro, vai possibilitar um maior contato com a rede e a implementação de atividades promocionais dirigidas para certas regiões.

No fim da tarde de ontem (09), algumas bancas do Rio de Janeiro receberam a carta abaixo, com anúncio das mudanças na distribuição dos produtos. Ela informa que a Infoglobo passava à cuidar das entregas de HQs e mangás da Panini.

A Infoglobo é a segunda maior empresa responsável por jornais impressos no Brasil. No início de 2017, inaugurou sua nova sede e integrou as redações de suas quatro publicações, também distribuídas pela empresa, que são os jornais O Globo, Extra, Expresso da Informação e Valor Econômico. A empresa pertence ao Grupo Globo.

Vale lembrar que outras regiões deverão ser servidas por outros distribuidores.

A distribuição para livrarias e comic shops da Panini não terão alterações. Elas continuam sendo feitas pela Devir sem qualquer alteração na parceria entre as empresas