Milk shakes, mulheres e os desagradáveis leitores machistas

É tão triste escrever sobre esse assunto. Talvez uma das coisas que mais cortam o coração de uma pessoa que trabalha com jornalismo e HQs é ler casos constantes de misoginia no ramo dos quadrinhos. Novamente, temos um caso de uma profissional das HQs sendo atacada pelo simples fato de ser mulher e estar feliz. A vitima da vez é a editora da Marvel Comics Heather Antos, que virou alvo de leitores machistas pela simples fato de postar uma foto tomando milk shake com suas colegas de trabalho.

Antos é uma das profissionais que vem ganhando espaço dentro da Marvel Comics. Ela trabalha editando a revista da Gwenpool e  The Unbeatable Squirrel Girl, essa última faturando o Eisner Award desse ano como Melhor Publicação Adolescente, um fato que coroa o bom trabalho de toda uma equipe criativa. Na última segunda-feira (28), como qualquer pessoa que posta fotos sobre sua vida e divide momentos de lazer nas suas redes sociais, a editora postou uma foto tomando um milk shake com suas colegas de trabalho da Casa das Ideias. Veja o tuíte abaixo:

Após a foto do Milkshake Crew (que pode ser traduzido como “A turma do milk shake”), Antos começou a ser atacada de forma gratuita em sua conta do Twitter. O fato de estar fazendo uma pausa no trabalho e tirar uma foto com algumas das várias mulheres que trabalham na Marvel virou um momento de ataques sociais, dos mais variados. Segundo esses seres, que se escondem atrás de avatares de heróis, as mulheres que trabalham na Marvel são as culpadas pela diversidade e pelas várias mudanças de status quo dentro da editora. Tudo isso ainda é resquício da frase mais infeliz do ano no mercado, “Diversidade Não Vende”, dita por David Gabriel durante o encontro com donos de comic shops dos Estados Unidos no último mês de abril.

O grande problema do pronunciamento de Gabriel é que os ataques à mulheres profissionais de quadrinhos tem se tornado cada vez mais comum. Recentemente tivemos casos marcantes, como o de Chelsea Cain, a escritora que acabou abandonando o Twitter por causa dos constantes ataque de leitores, algo alavancado pela capa do gibi da Mockingbird (no Brasil, Harpia), em que a protagonista usava uma camiseta em que estava escrito “Ask Me About My Feminist Agenda” ( ou “pergunte-me sobre minha agenda feminista”).

Podemos trazer o caso para mais perto de nós, brasileiros, e lembrar os diversos ataques a roteirista da Turma da Mônica Jovem Petra Leão, que foi exposta a ataques de raiva misógina pelo conservador campineiro Olavo de Carvalho, que tirou do seu contexto original um quadro de um edição da Turma da Mônica Jovem, em que a protagonista dizia “Meu corpo, minhas regras”.

Lendo casos absurdos como esse, temos que realmente botar a mão na consciência e tentar entender o motivo de tudo isso. O mundo globalizado deveria unir as pessoas, não afastá-las. Pode ser surpreendente para alguns, mas não há nada de errado em mulheres trabalharem com quadrinhos. É preciso ressaltar o óbvio aqui: quanto mais delas, melhor a mídia vai ficar, já que, nos quadrinhos, sempre tivemos grandes mulheres trabalhando nas editoras, no ramo de edição e administrando os quadrinhos que esses garotos machistas lêem. Exemplificando algumas pessoas: Janette Khan, Karen Berger, Shelly BondAlex de Campi, Sana Amanat e a própria Florence Steinberg (a #FabulousFlo do tuíte de Heather Antos, para quem não pegou a referência), a segunda parte do duo inicial de funcionários que originou a Marvel, juntamente com Stan Lee.

Karen Berger
Karen Berger

Antos é apenas mais uma vítima do que nós devemos combater. E quando digo nós, eu digo todos nós. É preciso combater os machistas e misóginos vazios e que não aceitam que outras pessoas brinquem com os brinquedos deles.

O lado bom é que isso começa a acontecer de forma mais efetiva. Um grande número de artistas e leitoras começaram a apoiar a editora da Marvel com fotos e a hashtag #MakeMineMilkShake. São fotos, desenhos, textos com palavras de apoio para a funcionária da Casa das Ideias.

A tag chegou a tal nível de popularidade que a DC  também entrou na campanha contra o machismo nos quadrinhos, postando uma foto com suas funcionárias. Esse movimento ganhou uma grande proporção e mandou um recado para todos os leitores: as majors estão unidas e vão se apoiar contra os leitores que atacarem suas funcionárias.

O Terra Zero está com a turma do milk shake. Vamos apoiar as profissionais de quadrinhos. E queremos cada vez mais multiversidade nos quadrinhos, sempre.

  • Moroni Machado

    Você vai fingir que quando ela falou “meu corpo, minhas regras”, ela não estava falando indiretamente sobre aborto? Está juntando dois casos completamente oposto um do outro.

    • Pablo Sarmento

      Ela não estava falando de aborto. Eu li o gibi e ela estava falando sobre um aparelho ortodôntico. Não viaja.

      • Moroni Machado

        Beleza. Metáfora zero.

        • Luis Henrique Garavello Filho

          A metáfora está nos olhos de quem lê.

          • Daniela

            Então, caso ela tenha feito alguma menção a aborto, ela merece ser ameaçada e perseguida? Sei!
            Enquanto homens sempre reproduziram histórias de estupros, violências contra as mulheres, misoginia, mas aí tudo bem então?
            Indignação seletiva, né?
            Afinal, quem morre em decorrência do seu machismo são as mulheres e olha que coisa! Em decorrência da não legalização do aborto, também são mulheres que morrem. Poxa, vida, né? Que absurdo uma MULHER fazer menção ao fato de que MULHERES precisam ter direito a decidir sobre seus próprios corpos sem qualquer interferência de opiniões masculinas.

          • Alexandre Neves

            Bobagem, e tem muitas mulheres que SÃO contra o aborto, e suas opiniões devem ser respeitadas também.

          • Sim. Tem muitas mulheres que são contra o aborto e abortam escondido em clínicas clandestinas ou as mais ricas, em Miami.

            Assim como tem gay que detesta ser chamado de gay, ou que careca/homofóbico/bozonarista, mas por trás dos amigos, gosta mesmo é de escorregar no tomate, pegar no chuchu e queimar a rosquela.

            Assim como tem judeu que aplaudiu bozonaro no Clube Hebraica!

            A opressão por vezes é tão grande que o oprimido acaba por desenvolver aversão ao que ele é, preferindo demonstrações públicas de sentimentos contrários ao que ele realmente sente ou pensa pela questão.

            É o negro racista.

            É o pobre de direita.

            É a mulher machista.

            Meu Deus… este país está um saco!

          • Os 7 Soldados da Vítória

            E deste quando MATAR bebês no útero vai resolver alguma coisa ou trazer total “liberdade”, se tu acha que abortar não trás sequelas ao corpo e a mente está completamente enganada …

          • Felipe Mescouto

            Lógica desse pessoal é que abortar é mais fácil do que usar camisinha ou outro contraceptivo

          • Felipe Mescouto

            Warning! MiMiMi detected!

      • Moroni Machado

        Só uma coisa Pablo, tirando sua opinião sobre as pessoas que trabalham em comic shop (totalmente fora da realidade). Eu gosto muito de seus artigos. Acho que você e a galera do terra zero tem uma opinião são pessoas de boa índole e tem uma posição firme.

    • Ivanilton Junior

      Qual seria o problema dela falar indiretamente sobre o aborto? É um assunto a ser abordado pela sociedade, seja você a favor ou contra. Acho normal uma revista voltado ao público adolescente falar de temas da sexualidade e do desenvolvimento do seu corpo, bem como de questões reprodutivas. Longe de fazer ou não apologia ao aborto, mas uma discussão como essa iria enriquecer o arcabouço dos leitores, proporcionaria debates inexistentes em muitas escolas e pode ajudar a salvar vidas.
      Acredito que o Pablo tenha tentado mostrar o quanto assuntos ligados às mulheres são desvalorizados, estigmatizados, execrados e jogados para debaixo do tapete por uma público sem qualquer capacidade para o debate. O caso da Petra Leão se assemelha em muito ao da Heather Antos no tocante aos ataques misóginos e sem sentido. Veja que as duas estavam executando seu trabalho de forma impecável e, por causa de preconceitos e meias verdades, foram vítimas de acusações sem qualquer sentido. Você tem toda a liberdade para ser contra ou a favor do aborto, mas desvalorizar e tolerar o ataque aos contrários à sua ideia não é e nem deveria ser compatível com um debate civilizado e feito dentro de um Estado dito Democrático.

      • Moroni Machado

        Parabéns você fez um textao concordando com minha opinião.

        • Marcelo Pereira

          Estamos fazendo progressos. Dessa vez só tivemos um acéfalo misógino falando besteira no post.

        • Ivanilton Junior

          Olha, pela forma como você se expressou não pareceu que essa era a sua opinião. Mas, é a internet e não quero treta =D

          • Moroni Machado

            Relaxa : )

    • E qual o problema se é sobre aborto?

      • Moroni Machado

        Nenhum. Sou contra censura do artista e do crítico da arte. E acredito que aqueles que cometerem crime deve ser processado.

        • Qual crime?
          Os insultos contra as editoras Marvel?

          • Moroni Machado

            Prometer que vai matar ou estuprar alguém não é crime?

          • Claro que é. E é exatamente isso que o artigo condena.

  • Anderson

    Excelente texto Pab, é necessário que sites de quadrinhos/cultura pop sempre se posicionem quanto esse tipo de situação desagradável que mulheres e outros grupos acabam sofrendo por preconceito

  • AtmosF.E.A.R.

    Esses caras devem ter muita frustração sexual e recalques enormes pra serem assim, ou são trolls numa escala sem precedentes, puta merda!

    • Dr.Jester Chaotic

      são menininhos que não aprenderam a crescer, vivem no mundinho particular deles, mexa com algo de que eles gostam e eles ao invés de relevarem e continuarem com a vida fica fazendo barulho na net pra chamar atenção e isso se repete nas relações que eles possuem em âmbitos sociais e profissionais.

    • Dr.Jester Chaotic

      são menininhos que não aprenderam a crescer, vivem no mundinho particular deles, mexa com algo de que eles gostam e eles ao invés de relevarem e continuarem com a vida ficam fazendo barulho na net pra chamar atenção e isso se repete nas relações que eles possuem em âmbitos sociais e profissionais.

  • Hobbit

    Ótimo texto, mas quero crer que esses casos tem mais a ver com minorias ruidosas que não representam a maioria do público, e que infelizmente ganham palco por sites “click bait” que noticiam comentários irrelevantes e que não teriam qq alcance na sociedade.

    No caso de comentários mais extremos (de ameaças, incitação a crimes e injúrias raciais) já passou da hora de pessoas e empresas começarem a processar criminalmente esses indivíduos.

    • Ermicão

      eu também acho, mas é por isso mesmo que esses caras tem que pegar uma enquadrada não sou da editora ou dos autores, mas dos fãs que não compactuam com essas práticas. Todo mundo é livre pra criticar o que quiser, mas com racionalidade, respeito. É algo que devemos exigir em qualquer espaço.

    • Adriano Borges

      Foram 3 comentários agressivos, no meio de 500 outros de apoio e virou essa polêmcia toda… “oooooooooooooooohhh, como os nerds são machistas e misóginos!!!” Bem… se não conseguem lidar com uma crítica, estão trabalhando no ramo errado.

      • Pablo Sarmento

        Sim! Porque tu falar que vai transaria com a mulher e outro reforçando para assinar um contrato para ela depois não dizer que era estupro é uma crítica super construtiva… Véio, tu não entendeu porra nenhuma mesmo.

      • Hobbit

        Adriano, insultos e comentários de cunho machista/racista não são críticas e não devem ser toleradas em nenhum ramo.

        Infelizmente parece que muitas pessoas não tiveram educação suficiente para saber essa diferença.

        • Ermicão

          as vezes é só o cara lembrar da educação que os pais deram. Lembrar de valores básicos de respeito, educação. Pronto, nem precisa muito esforço. Mas as pessoas acham que internet é terra de ninguém.

      • 3 comentários agressivos. E os outros?
        Desagradáveis? Inoportunos? Raivosos?

    • Guylherme Lobo

      Infelizmente, eles ainda são a maioria. O machismo ataca desde o desenvolvimento do leitor. Quanto mais ele se interessa, mais ele procura sobre fóruns que falam sobre os quadrinhos que ele lê, fóruns estes que estão REPLETOS desses tipos de cara.

      Depois acham que a culpa de não namorarem é porque as mulheres são putas….

  • Pedro Souza

    verdadeiros covardes que se escondem de tras de uma pagina no Twitter… é por causa dessas pessoas que o publico feminino se sente desconfortavel no meio geek …

  • O Impronunciável Zweist

    Pois é. Ao invés de focarem nas revistas horriveis produzidas pelo grupo, com exceção de Gwenpool, atacaram as gurias.

  • Igor Tavares Sampaio

    “queremos cada vez mais multiversidade nos quadrinhos, sempre.” Eu entendi a referencia…

    • Hobbit

      Steve Rogers aprova!

  • “Lógica” de alguns leitores de HQs:
    1. Tem mulheres no mercado de quadrinhos, que talvez tenham uma opinião diferente da minha ou reclamam do tratamento de assédio no mercado/público ou dão um rumo a um personagem, que acredito ser ruim.
    2. Qual a solução pra isso? Chame-as de vagabundas e ameace-as de estupro, isso vai consertar as coisas e melhorar tudo pra todo mundo.

    Parabéns pra DC, pra Marvel e pro Terra Zero pelo posicionamento.

    • Você mistura alhos com bugalhos na sua apresentação.

      • O que eu estou misturando exatamente? Explique melhor.

        • A sua frase sobre um “acordão unindo STF e tudo”, quem disse isso foi Romero Jucá, mas aí coloca o Souros no meio, eu não entendi isso.

          • Ah tá! São duas frases que eu resolvi combinar, ironizando o Grande Acordo Nacional feito pelo PMDB, criticando o atual governo, e a outra ironizando o “argumento” usado por alguns demagogos de que todas as pessoas e sites são financiados por George Soros, por apoiar “ideologias que eles discordam”.
            Fiquei com uma dúvida agora: Parece meio controverso ou faz algum sentido?

          • Bem, faz algum sentido agora. Porém a comunicação, o diálogo só se estabeleceu depois de sua explicação. Quero dizer que não foi algo instantâneo e espontâneo, precisou de uma explicação, ao menos para mim, diga-se. Pode haver pessoas que compreendam o sentido do que você quer dizer sem precisar de você explicando , por outro lado.

  • Pingback: Porra de #milkshake, Marvel!()

  • Dr.Jester Chaotic

    E qual seria o problema das meninas trabalharem no ramo de Hqs? Os menininhos mimados deveriam aprender a amadurecer antes de ficarem chorando pelo herói reformulado ou o título de que não gostam.

  • É a triste cabeça do conservador, direitista e cristão fundamentalista (aqui no Brasil são mirins opressores que “votam” em bozonaro).

    • Astawke

      Cara quando vemos muçulmanos pregando o ódio e dizendo que vão reproduzir as mulheres de x país que aceitam eles,entupir o pais que nem é deles de mulcumanos não vejo nenhum comentário contra,agora quando um caso desse acontece todo mundo começa a dizer que os envolvidos são cristãos e tirar conclusão precipitada envolvendo a religião de um cara que disse:ame ao próximo como a ti mesmo e quem não tem pecado atire a primeira prova.
      Enquanto isso no oriente médio as mulheres vivem a verdadeira opressão mais não vejo movimentos para salva-las.

      • Primeiro: eu não estou no Oriente; caso algo desse tipo ocorra por lá, chama-se teocracia, é o tipo de governo que eles têm; é o mesmo que na Idade Média reinava no Ocidente, com o cristianismo queimando pessoas e livros que discordassem dele;

        Segundo: se o cara em questão disse “ame ao próximo como a ti mesmo”, esse mesmo cara também disse: “Pois cuideis que não vim trazer a paz ao mundo, mas a espada”, e diz este mesmo cara em outro momento: “Daqui por diante estarão divididos em uma casa pai contra filho, filho contra pai, mães contra filha e filha contra mãe, e o inimigo do homem será o seu próximo”. Então, a coisa é mais embaixo.

        • Astawke

          Em tempos de guerra pra uma cultura prevalecer sempre acontece desde tipo de coisa,tipo a China (país ateu) era dividido em centenas de estados,depois de anos de guerras sangrentas se dividiu em somente cinco,o estado de Qin depois que venceu todos , destruiu quase todas as biblioteca dos outros estados,só para as gerações seguintes só poderem ter acesso a cultura de Qin,essa guerra foi por expansão cultura com o objetivo de unificação não religião e hoje embora o rei para alguns seja considerado um monstro criou a segunda maior economia do mundo,sobre a religião admito que nas cruzadas foram ouveram muitas mortes no entanto foram para auto-defesa recuperar território que os islâmicos capturavam e escravisavam a população se ocorrer uma guerra no país tua mãe ,namorada ,irmão mais novo fosse escravisavam vc ficaria parado?essa guerra islâmica dura até hoje ao contrário das cruzadas que mal duraram 100 anos e a tão falada inquisição que todos falam em 1998 os 30 maiores historiadores se reuniram e calculavam os números e o total de mortes não chegou nem a 3 mil,os tribunais religiosos davam penas mais brandas que os civis nas palavras dos 30 maiores historiadores do mundo.
          Vlad o Embalador é considerado um herói na Transilvânia por ter livrado o seu povo da escravidão islâmica e escravidão está escrito no alcorão como eles devem dividir a população depois de conquista um território.

        • Astawke

          Sobre o versículo,eu pesquisei um pouco e a resposta é que a crença causa divisão é um sentido figurativo vou me reter a responde essa questão para não parece que eu sou um fanático quando nem religioso sou, como trabalho com fatos me diz qual suposto profeta liderou guerrilhas?

          • Olha, Maomé liderou algumas;
            mas é fichinha perto da destruição do mundo inteiro que Jesus vai fazer com os infiéis.
            A diferença entre o Islã e o Cristianismo é que a primeira mata logo aqui e agora, a segunda prefere ficar cozinhando em banho-maria para dar o bote fatal no último dia – mas no fim as duas dão na mesma coisa: quem não crer em Jeová/Alá vai para o inferno. Possuem a mesma raiz por sinal, Abraão.

          • Astawke

            O alcorão é uma versão da Bíblia feita pra fazer guerras,nele vai ter apocalipse também,Jesus não tem nada a ver com o apocalipse,ele morreu para salva os pecadores,Maomé é um pedófilos causado de guerras que duram até hoje, você tá defendendo a ideologia errada cara.
            E você não respondeu a minha explicação sobre a Inquisição e as cruzadas nos comentários abaixo,se tiver uma informação contrário por favor me mostre.

          • “Jesus não tem nada a ver com o apocalipse”

            Teu desespero voou alto agora.
            Quem virá nas nuvens do céu quando o mundo inteiro for destruído, pessoas assassinadas, bebês mortos em terremotos, mulheres grávidas soterradas, quem virá glorioso do céu?
            Quem revelou o Apocalipse a João na Ilha de Patmos?
            Quem vem na segunda vinda?
            Para todas estas respostas: Jesus Cristo.

            Informação contrária sobre a Inquisição e as Cruzadas?
            A defesa que você faz dos inquisidores assassinos cristãos medievais é digna de um terrorista apoiando seu grupo terrorista. Pode ter sido uma pessoas assassinada pela Inquisição, só o fato de ter sido assassinada por pensar diferente de uma crença já basta para isto ser nefasto. Quanto mais 3 mil pessoas, como diz você, baseado em seus 30 historiadores aos quais você não os nomeio. Se foram 1, 3000, 100000 ou 1000000 não interessa, o que interessa é que foram assassinadas por um sistema teocrático, opressor e conservador.

            Eu não preciso provar nada sobre as Cruzadas ou sobre a Inquisição. Quem quiser saber algo até no Ensino Médio está disponível este conhecimento.

          • Astawke

            Sobre o apocalipse,como vejo sempre a Bíblia no sentido metaforico,o apocalipse vai ocorrer pela mão do homem fudendo a natureza,quem fez maldades vai pro inferno e quem não fez vai pro céu Jesus(assim como Buda que considero ídolos que espalham mensagens de amor e ética para com o próximo)são os ideias de salvação,a Bíblia vou alterada ao bel-prazer para consolidar reinos,ajuda a população a se comportar,serve como um guia ético.
            Agora o alcorão é uma cópia da Bíblia alterada por Maomé para causa guerra e ganha servidores para os seus exercidos e para piorar é imutável para seus seguidores ou seja os muçulmanos sempre, sempre irão perseguir gays,tratar mulheres como objetos e matar infiéis,estuprar/escravisar mulheres de outras culturas.
            Entendeu a diferença,uma religião foi usada para conseguir seguidores para implantar uma ética no mundo a outra foi utilizada para fazer guerras