Milestone 2.0: Viúva de Dwayne McDuffie processa nova empresa

falamos em diversas ocasiões o quanto Dwayne McDuffie foi importante para a indústria de quadrinhos no continente americano. Sim, no continente todo, pois o que ele fez com a Milestone nos anos 1990 (e futuramente no desenho animado do Super-Choque, carro-chefe do selo) não apenas refletiu necessidade por diversidade e mazelas do povo estadunidense; foi o retrato de uma época, com questionamentos de ordem plural, incapazes de serem representantes de apenas um povo ou cultura.

Esperava-se que a Milestone voltasse agora, com a DC cada vez mais aberta a novas possibilidades e diversidade no meio criativo e em suas publicações. Na verdade, aguardávamos pelo retorno dela em 2015, quatro anos após o triste falecimento de McDuffie, peça chave deste universo e criador de vários de seus personagens. Não aconteceu, mas, há alguns meses, descobrimos por quê. Contudo, não sabíamos de uma outra parte dessa história, que só veio à tona nesta semana.

Charlotte McDuffie, viúva do autor, está processando a Milestone Media por negligenciarem a imporância de seu falecido esposo – e de seu espólio – na nova iniciativa.

Universo Milestone encontra a Liga da Justiça em história de Dwayne McDuffie.
Universo Milestone encontra a Liga da Justiça em história de Dwayne McDuffie.

De acordo com a detalhada nota da Variety lançada ontem, McDuffie era dono de 50% da Milestone Media quando faleceu, em 2011. A outra metade pertencia a Derek Dingle, que não comprou o restante quando seu sócio faleceu. Ao contrário, ele uniu-se a outros artistas da época, como Reginald Hudlin e Denys Cowan, formando a Milestone Media Company LLC, chamada também de Milestone 2.0. O planejamento da companhia incluir utilizar personagens criador por McDuffie, como Super-Choque e Ícone, justamente os que fizeram a fama da empresa 25 anos atrás.

Charlotte alega que os artistas e empresários têm usado de táticas que protelem o processo, enquanto trabalham em parceria com a DC (como aconteceu no passado) para viabilizar o lançamento da Milestone 2.0. Segundo ela, tudo que é feito envolve propriedades intelectuais de Dwayne e da Milestone original, mas o andamento disso está acontecendo sem o envolvimento do espólio de McDuffie e o consentimento de seus herdeiros.

Em abril houve um princípio de acordo, mas as conversas para um acerto definitivo cessaram novamente. Os artistas da nova Milestone lançaram uma negação oficial das alegações contidas no processo.

Para a Milestone original, tudo começo no início da década de 1990, em uma parceria inédita com a DC. Ela permaneceria sendo uma empresa independente, com total liberdade criativa, mas seus quadrinhos seriam impressos e distribuídos pela gigante quadrinística. Separados do UDC por muitos anos, eles passaram a ser um só em 2008, pelas mãos do próprio McDuffie. Ainda não se sabe onde a nova versão da Milestone se encaixará nisso.

A Milestone foi fundada com o intuito de promover diversidade de criação e de personagens nos quadrinhos norte-americanos, não deixando de explorar problemas sociais da época.

  • Pedro Souza

    que papelão…

  • Toni Santos

    Mas que filhos da puta. Sabia que tinha algo estranho aí.

  • Galadriel

    Triste

  • Adriano de Oliveira Ferreira

    valeu morceli por essa informação, fico triste pq esta disputa politica atrapalha a publicação de novas historias com personagens bacanas, o q a industria de quadrinhos precisa hj.