[Review] Secret Empire #5, de Spencer, Sorrentino, Reis

Após o embate entre os Vingadores de Steve Rogers e a força de resistência ao regime da Hydra liderada por Tony Stark na quarta edição de Secret Empire, os grupos voltaram suas atenções novamente para a corrida pelos fragmentos do Cubo Cósmico. Na quinta edição da saga, Nick Spencer detalha com um pouco mais de clareza como o Capitão America mantém alguns de seus aliados mais poderosos como meros lacaios a serviço da Hydra, além dos esforços da equipe de Tony em reaver os fragmentos, os planos paralelos da Viúva Negra e, de quebra, ainda temos duas surpresas: uma aparição inusitada na dimensão onde o amnésico (outro) Steve Rogers se encontra e o retorno à vida de um Vingador original.

Apesar de Secret Empire #5 ser uma edição menos agitada em termos de ação, Spencer consegue uma variação incrível de núcleos narrativos distintos na revista. Em alguns momentos, estamos vivendo o drama da equipe de Stark pelos olhos de Scott Lang (em uma carta muito pessoal a sua filha Cassie). Em outra passagem, somos levados para o perigoso mundo de espionagem da Viúva Negra, em uma cena com uma reviravolta muito bem construída — e que dá um peso enorme para esta personagem não só na saga, mas em todo o universo Marvel. Virando algumas páginas vemos Rogers como um inescrupuloso líder, ameaçando o embaixador da nação mutante Nova Tian, Hank McCoy e, em seguida, temos o mesmo Rogers e sua relação materna com Elisa Sinclair, a Madame Hydra. Além disso tudo, temos as misteriosas cenas no limbo temporal e, ao final, a preparação para um embate titânico.

Secret Empire #5 é uma edição de preparação. Não há momentos épicos ou muito empolgantes aqui. Portanto, se você espera alguma “massaveice”, não vai encontrar aqui. A história ganha contornos tristes e sérios nesse momento. A tensão em todos os núcleos mostrados é latente e Spencer dispensa qualquer tipo de analogia política nesta parte, focando somente em personagens-chave que tracionam sua história. Mesmo pequenas participações, como a de Odinson, são escritas de forma sincera e convincente, e o leitor acaba sendo sensibilizado pela história em algum momento.

A arte de Reis e Sorrentino na quinta edição continua impecável. Dentro de seus estilos distintos, os dois conseguem deixar sua marca nesta história. Sorrentino continua abusando de sua fotografia impactante, colorização certeira e diagramação inovadora. O artista dá um tom muito soturno para uma história cheia de super-heróis coloridos. Reis continua focado em tornar a dimensão chamada Vanishing Point etérea e misteriosa, dando carga dramática para seu pequeno núcleo. Uma das páginas mais bonitas desta edição é a de Reis mostrando o retorno de um terrível inimigo do Capitão América. Aqui, também temos uma contribuição de Joshua Cassara e Rachelle Rosenberg nas cenas da Viúva Negra que, apesar de terem impacto visual menos marcante que as dos demais artistas, atendem ao roteiro. Um problema detectado na minissérie, a esta altura, é que a variação de arte entre as edições de Secret Empire acaba dando uma impressão de inconsistência gráfica para a saga como um todo. Logicamente, não há como contestar o talento e esmero de todos os envolvidos aqui, mas uma história com um único artista fixo e prazos razoáveis teria um  impacto muito maior no grande público.

Secret Empire, em sua quinta edição, se consolida como uma das sagas narrativamente mais bem executadas na Marvel nos últimos dez anos. A minissérie não necessita de momentos impactantes aqui para manter a leitura interessante e tensa. A variação de núcleos narrativos, diálogos sérios, tom desesperador e arte impactante, cada um com sua importância e propriedade mantém o nível do conjunto da obra em um patamar muito elevado. Para quem não se importa muito mais com a conversa cansativa sobre a descaracterização do Capitão América, temos aqui um dos vilões mais cheios de camadas da história da editora e, a cada personagem que Spencer dá foco na saga, percebemos o quão vasta é a compreensão deste autor sobre cada um deles. Com dois ganchos finais cativantes e a promessa de um novo embate dramático, fica cada vez mais difícil contestar a qualidade deste material lançado pela Marvel.

Comente

Clique para comentar

3 + 17 =

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com