Catarse: Hell NO! e o papai Diabo

Desde muito cedo, somos apresentados a histórias em que heróis tem de provar seu valor frente aos seus poderosos pais – geralmente, Deuses. Mas e se acontecesse o contrário? E se conhecêssemos uma história onde o protagonista é o filho do… Diabo em pessoa?

É com essa divertida trama que Leonardo Finnochi (Guia Culinário do Falido, Guia de Viagem do Perdido) busca apoio no Catarse para publicar o quadrinho Hell NO! – Meu Pai é o Diabo. Nela, acompanhamos a história de Lúcio, filho do diabo com uma humana, recém-chegado a uma escola que fica no próprio inferno. O filho de Satanás terá que, além de lidar com os problemas habituais da adolescência, lidar com o fardo de sua herança genética.

Compilando os webcomics que estão sendo lançados desde março no Tapastic, Hell NO! terá 32 páginas coloridas em formato americano. Com previsão de entrega pra setembro, o projeto ainda tem 19 dias para ser apoiado, com preços de R$ 15 a R$ 140.

Finnochi, quadrinista e animador 2D que já trabalhou para séries como Turma da Mônica, Sítio do Pica Pau Amarelo, Tromba Trem e Historietas Assombradas, conta que a intenção do seu quadrinho é “divertir”. O Terra Zero conversou rapidamente com Leonardo Finnochi, autor da HQ. Confira abaixo:

1 – Então, Léo, seu quadrinho fala sobre, bem, o filho do diabo em pessoa. Também citam na divulgação que o quadrinho faz um paralelo com a questão dos semideuses e as provações que precisam passar para serem aceitos no Olimpo. Como você vai explorar essa questão do parentesco com o diabo e as semelhanças com os semideuses, coisa que eu não me lembro de ver na cultura pop?

Vou ter que ser sincero, não pensei em nada disso quando escrevi o quadrinho e nem enquanto tô desenhando. O Guilherme Kroll, da Balão Editorial, que vai editar e distribuir o gibi, quem escreveu o release e interpretou a história que contei pra ele no pitch do quadrinho dessa forma, espero não decepcioná-lo (risos). Mas pensando bem, faz bastante sentido essa analogia dele.

2 – Seu quadrinho já está sendo lançado a um tempo no Tapastic. Como vocês sente que está sendo a recepção a esse trabalho? O que te motivou a lançar o quadrinho impresso?

Acho que foi bem recebido, muita gente veio falar comigo, elogiando. E as pessoas que odiaram estão guardando segredo. Ainda bem!

Acho que todo mundo sabe que existe o leitor que lê online e fica satisfeito e tem o colecionador, que quer ter o quadrinho, folhear, sentir o cheiro do papel. E me tomo como exemplo nessa; tem quadrinhos que eu leio online e gosto tanto que compro o impresso também!

3 – Léo, as aventuras de Lúcio tem um tom bem-humorado. A história segue esse clima ou em algum momento teremos uma mudança na narrativa?

Gosto de ler quadrinhos engraçados e despretensiosos, não acho que toda história tem que ser densa e mudar a sua vida depois de você ler. E é assim que gosto de fazer quadrinho, com a ideia de que é pra ser bem humorado, do leitor ler e se divertir, seja com as piadas, seja com os desenhos.

Meu objetivo é seguir assim nas próximas partes da história, mas apesar do roteiro já estar pronto, tudo pode mudar conforme eu for desenhando.

4 – Então Léo, além desse projeto, você tem mais algum em andamento? Ou prefere se focar bastante em Hell NO! por enquanto?

O Hell NO! vai ter 4 partes e por enquanto tô investindo nisso, mas posso dizer que tô fazendo uma outra HQ exclusica pras pessoas que estão no meu Apoia-se. E já tenho ideia do próximo quadrinho, quando o Hell NO! acabar, mas isso é só mais lá pra frente.


Você pode apoiar o projeto clicando aqui. Confira as primeira três páginas do projeto abaixo: