[Review] Betty and Veronica, de Adam Hughes

Team Betty ou Team Veronica? em qual lado você está? Uma das maiores dúvidas do simpático Archie é trazida de forma mais visceral nesta trilogia de Adam Hughes.

As meninas do eterno triângulo amoroso Betty-Archie-Veronica, criadas para mostrar a dúvida de um adolescente sobre qual caminho tomar, foram crescendo ao longo de seus 75 anos de existência, ganhando cada vez mais fãs, cores, camadas e personalidade. Então, se você não aguentava mais ver estas meninas brigando pelo amor do ruivo mais desastrado de todos, esta revista é pra você.

Nesta história em três partes, Hughes não coloca apenas Archie dividido pelas meninas, mas a cidade inteira! Riverdale briga para ver quem tem razão e qual caminho é o melhor para a cidade? O caminho tradicional, confortável e já conhecido, defendido por Betty? Ou o novo, ousado e ambicioso, apresentado por Veronica?

Com o pai de Veronica, o sr. Lodge, querendo comprar o Pop’s e trazer assim o estilo das multinacionais e modernas empresas para o estilo de vida da pacata Riverdale. Betty se levanta contra isto, lutando para que a lanchonete continue nas mãos do dono e que a cidade não tenha que se render ao estilo glamouroso e capitalista de vida.

Do outro lado, vemos Veronica personificando o progresso, sendo a favor da venda do estabelecimento e também das mudanças que a cidade receberia com este negócio.

Assim, começa uma luta ideológica entre as meninas e a cidade, sobre qual seria o melhor caminho a tomar.

Numa trilogia que leva a rivalidade das meninas ao extremo, vemos xingamentos, briga física e luta passivo-agressiva. Veronica, mais bitch do que nunca. Bett,y perdendo o controle, não sendo mais a doce e pacífica garota da casa ao lado.

E onde está Archie nesta história? Apenas no cenário: as meninas, em nenhum momento, brigam pelo apoio dele ou pra saber de que lado ele está.

A história consegue mostrar Betty e Veronica como as verdadeiras donas de Riverdale. As meninas se mostram extremamente inteligentes, estrategistas e no controle da situação. Não é à toa que Archie nunca consegue escolher quem quer. Afinal, ambas são simplesmente fantásticas.

Apesar de ter uma história ousada, com personagens ricas e intensas, a história sofre de alguns problemas, como um ritmo lento nas duas primeiras edições e o grande intervalo entre uma e outra, com cada edição tendo um intervalo de sete meses para a publicação. Entretanto, é uma história que vale a pena ser lida, tanto pelas personagens, quanto pela edição final, onde vemos Riverdale em chamas e um desfecho que deixará todos os fãs das personagens felizes.

Um dos grandes acertos da HQ foi o visual. Aqui, Adam Hughes é feliz pelas diferenças físicas entre Betty e Veronica. Por anos, graças ao design do ilustrador Dan de Carlo, as duas eram praticamente iguais, só mudando a cor do cabelo e as roupas. Nas mãos de Hughes, vemos duas meninas que são diferentes, tanto em personalidade quanto em aparência. Betty tem um visual mais atlético e expressões mais doces, apesar de ser extremamente decidida. Veronica já é esguia, quase uma modelo da Victoria’s Secret, e expressões de uma garota fria e acostumada a vencer. A arte da trama em si, é muito bonita, suave e bem colocada em suas expressões e momentos de ação, brigas e mudanças de humor.

Betty and veronica

E você leitor? é Team Betty ou Team Veronica? Nesta trilogia, esta rivalidade é levada ao máximo, levando as meninas aos seus extremos. Leia até o final, e escolha seu lado.

2 Comentários

Clique para comentar

3 × 4 =

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com