[Necessaire] Buffy, a Caça-Vampiros

1997. Faltando três anos para a mudança do milênio e quatro para a virada do século, chega uma série que tem monstros arcaicos e uma heroína a frente de seu tempo: Buffy, a Caça-Vampiros. A série criada por Joss Whedon para a Warner contava a história de Buffy Summers, a jovem que tentava equilibrar a vida de uma jovem garota com o seu destino selado de caçadora de vampiros.

Apesar da premissa simples de misturar o colegial com terror rrash, Buffy se tornou uma das séries mais importantes de sua geração, criando ícones em seus personagens, objetos de estudo em sua trama e uma série pioneira do feminismo na transmídia.

Desmistificando o conceito da loirinha bonitinha e frágil, Whedon fez de Buffy, a lorinha, bonitinha e badass caçadora de vampiros, a jovem que recebeu o legado de proteger o mundo das forças sombrias, enfrentando, ao lado de seu Sentinela Gilles e seus amigos Willow e Xander, os monstros paranormais que atingem a pequena cidade de Sunnydale.

Considerada uma das séries mais importantes da TV, Buffy usou como sua força motriz o empoderamento feminino, de forma muito orgânica e criativa. Numa trama que era abertamente feminista, também não faltavam relacionamentos, bons e importantes personagens masculinos, conflitos pessoais, diversão, música, referência a cultura pop e um grande desenvolvimento de personagens de seu elenco.

Uma série que, em suas sete temporadas, soube crescer com sua história e seus personagens, mostrando sempre novas camadas de leitura. Colocou uma mulher forte e feminina no centro de sua história, desenvolvendo bem seus coadjuvantes. Buffy não apenas caçou vampiros, como também virou ícone e referência.

A série se tornou tão bem sucedida que ainda hoje tem uma legião de fãs e construiu seu próprio universo, o Buffyverso, com a série spin-off Angel e os quadrinhos que continuaram a série, além de games e livros.

Joss Whedon fez de Buffy um novo modelo de personagem feminina. Num mundo acostumado a ser protegido por homens, ou que mulheres fortes não tinham feminilidade, ele fez de  sua protagonista uma garota forte, apaixonada, esperta, feminina e amiga, porém longe de ser a protagonista perfeita. Buffy também precisava amadurecer e se desenvolver como personagem.

E assim, nasce o legado de Buffy. A série, que teve o modelo copiado em Smallville, também foi influente para o revival de Doctor Who para a TV, para a popular série de livros Jogos Vorazes, a feminista Gilmore Girls, s multifacetada Orphan Black, a moderna Orange is the new black, a marvete Agentes da Shield, além os quadrinhos da Batgirl,  Miss Marvel, Aves de Rapina e muito mais.

Buffy, a Caça-Vampiros reinventou na mídia a mulher forte e protagonista para o século XXI. Com personagens além de Buffy, como Willow, Tara, Cordelia e outras, com um roteiro inteligente e afiado, mostrou que mulheres podem ser amigas, aliadas, salvar o mundo, gostarem de se arrumar e que a menina bonita não é indefesa e nem burra. Ou seja,  que as pessoas são além de seus estereótipos.

Whedon fez escola de como ter uma protagonista numa série, de como desenvolver personagens femininas dentro de um mundo machista, como ter mulher forte não diminui nenhum homem. Vinte anos após o primeiro episódio ir ao ar, Buffy ainda é uma referência para o empoderamento feminino.

1 Comentário

Clique para comentar

cinco × 1 =

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com