Esquadrão Suicida e Mulher-Maravilha: sequências são delineadas

Enquanto os fãs e todos os envolvidos no filme da Mulher-Maravilha colhem os frutos do sucesso da produção, a Warner Bros. já planeja o futuro de suas produções baseadas na DC. A curto prazo o que ela tem adiante é o primeiro longa da Liga da Justiça, unindo de forma inédita os principais super-heróis da editora em uma muito aguardada aventura. Contudo, seu próximo filme com produção certa e filmagens em andamento para 2018 é apenas Aquaman, furando o plano original de ter o Flash estrelando nas salas de cinema em março.

Sendo assim, o que mais a Warner pode fazer para manter a expansão de seu universo cinematográfico e continuar batendo de frente com a concorrência? Investir no que está dando certo, é claro. Portanto, preparem-se, zeronautas, para as primeiras novidades concretas sobre Mulher-Maravilha 2 e Esquadrão Suicida 2.

Patty Jenkins e Gal Gadot, segundo nota divulgada no final de semana, estão com contratos garantidos para uma sequência. É certo que Gadot aceitará, mas Jenkins ainda não deu a resposta final por estar incerta a respeito do conteúdo — ela não quer apenas cumprir uma obrigação contratual. De qualquer forma, tudo indica que ela mesma será a diretora do possível segundo longa já que, entre bate-papos e entrevistas, ela ofereceu ideias de como um novo filme poderia ser:

A história se passará nos Estados Unidos, o que acho certo. Ela é a Mulher-Maravilha, ela precisa vir para a América. Chegou a hora.

Quando se fala de arte, não sou dessas que cumpre as coisas por obrigação. Quando se faz um filme assim, você acredita nele. Então, no meio da noite, tive uma descoberta: estou com um elenco dos sonhos nas mãos, uma personagem que amo e, agora, posso dizer o que quiser ao mundo.

Então, percebi que Mulher-Maravilha 2 é por si só um grande filme. Eu fiz Mulher-Maravilha, agora quero fazer o 2. É uma bela história a ser contada, um momento importante para que ela seja narrada, e farei isso com pessoas que amo.

Ou seja, meio caminho já está andado.

Enquanto isso, no âmbito dos filmes que foram um sucesso estrondoso de bilheteria mas que fracassaram miseravelmente nas críticas, Esquadrão Suicida 2 está entrando em movimento. Comentamos no começo do ano os rumores e reuniões que alguns diretores tiveram com o estúdio. Inclusive noticiamos que Mel Gibson é a principal escolha da Warner e ele ainda não está 100% fora do páreo. David Ayer está. Diretor do primeiro longa, ele está focado em Gotham City Sirens com a atriz Margot Robbie (Arlequina).

Outro ator deste projeto, o sueco Joel Kinnaman (Rick Flag Jr.), conversou com o Hollywood Reporter no final de semana para falar da nova temporada de House of Cards e aproveitou a oportunidade para comentar Esquadrão Suicida 2. Aparentemente, as coisas estão andando a passos um pouco mais lentos, o que é compreensível, já que a Warner vai preferir apostar em que algo que dê um bom retorno financeiro e seja bem visto pelos críticos. Ou seja, todo cuidado é necessário.

Ne entrevista, Kinnaman falou:

Até onde sei o roteiro está em fase de criação, mas o plano é que as filmagens aconteçam ano que vem. Se bem que isso pode mudar. Acredito que meu personagem voltará [para o novo filme].

Eu gostaria que David [Ayer] dirigisse, mas, caso ele não queira fazê-lo, então espero por alguém que seja bom com personagens e consiga fazer uma história mais fundamentada em situações normais. Seria ótimo ver estes personagens malucos interagirem com gente comum.

A Warner contratou Adam Cozad (A Lenda de Tarzan) para fazer o roteiro. Enquanto isso, a busca por diretores continua. Guy Ritchie é uma das opções, caso Gibson decida não abraçar o projeto.

Continuações de Esquadrão Suicida e Mulher-Maravilha são mais que esperadas, dado o sucesso comercial de ambas as produções. Claro que elas estão de lados diferentes no espectro da polarização crítica, mas o faturamento de cada uma é (ou está) alto o suficiente para que a Warner pense no futuro. Esse tipo de planejamento é bem diferente de lidar com alguém como o Batman, por exemplo. O advento da trilogia Cavaleiro das Trevas mudou tudo para o personagem, tornando investimentos nele retorno garantido para o estúdio. Ele é exceção.

Portanto, em tempos em que os super-heróis se tornaram cotidianos, inícios de franquias que têm boa recepção crítica e comercial ou apenas comercial têm chances de serem continuados ou melhorados para o futuro. Logo, novidades sobre Mulher-Maravilha 2 e Esquadrão Suicida 2 devem surgir aos montes em muito pouco tempo.