[Review] The Mighty Thor: Thunder in Her Veins, de Aaron e Dauterman

Buscando entender os assassinatos, Thor, que é procurada pelo reino por ser uma “impostora”, sai clandestinamente buscando descobrir o mistério e resolver a situação.Jason Aaron começa sua nova história de Thor do ponto onde Guerras Secretas deixou sua mitologia, algo que já vinha sendo construído desde meados de 2014. Odinson agora é indigno, e o mundo tem uma nova Thor: Jane Foster. Odin retorna de seu exílio autoimposto para uma Asgard diferente, agora Asgardia, que após ter sido regida por Freya, agora tem um conselho, que funciona como um senado. Freya agora está presa a mando de seu marido, Odinson desaparecido, o planeta nórdico a beira de uma guerra civil, uma crise entre os Elfos e Loki no meio de tudo isto.

É assim que chegamos na primeira edição de The Mighty Thor, que, mesmo começando do número 1, é na verdade uma continuação da história que já vinha acontecendo há algum tempo. E a história, apesar de ir sendo explicada ao longo do arco, pede que o leitor novo confira edições anteriores ou pesquise no sr. Google para se localizar na trama.

Mas, fora isto, este primeiro volume de A poderosa ThorThunder in her veins, que contempla as edições 1 a 5 (que vem sendo publicado em mensais no Brasil, pela Panini) é nada menos que brilhante. O trabalho de Aaron nesta revista é merecedor do seu sucesso, e de sua indicação ao Eisner de melhor série.

Aaron começa a edição, apresentando uma Jane Foster frágil, em tratamento contra seu câncer. A sensibilidade com que ele escreve a luta de quem passa por quimioterapia é incrível e, com isto, nos entrega a heroína forte que, apesar da debilidade de seu corpo, abre mão de sua saúde para ser a heroína que o mundo precisa.

Enquanto isto, vemos que o mundo élfico está em crise: elfos brancos são encontrados mortos em um acidente que envolve um um satélite das indústrias Roxxon, esta que já é conhecida dos fãs de longa data de Dario Agger (e se você não conhece, tudo bem, logo perceberá que ele é do mal). Seria tudo isto coincidência?

Jane, além de seu tratamento contra o câncer e suas aventuras como Thor, é senadora no conselho dos mundos em Asgardia. Este vonselho está enfraquecido, graças ao medo que muitos tem de Odin (mais egocêntrico que nunca) e ignora os assassinatos dos elfos de luz. Buscando entender os assassinatos, Thor, que é procurada pelo reino por ser uma “impostora”, sai clandestinamente buscando descobrir o mistério e resolver a situação.

E é a partir daí que começa o primeiro arco da digna Thor, numa trama que envolve conspirações, brigas de ego, traições, tensão, subtramas, mentiras, mistérios e com um embate entre dois grandes personagens de fazer tremer os nove mundos. E um primeiro encontro da Thor com um certo trapaceiro, de arrepiar os fãs de Loki e sua mitologia.

E o melhor? Você vai querer muito mais. Em Thunder in her veins, Jason Aaron deixa batalhas prontas para serem lutadas em outras edições, que continuam incríveis.

A arte de Russell Dauterman é lindíssima, expressiva, delicada e, ao mesmo tempo, imponente. As ilustrações tem a feminilidade da nova Deusa do Trovão, mas, também sua força, e só ficam mais bonitas com as cores de Matt Wilson, que arrasa como sempre, entregando uma história em quadrinhos que é um verdadeiro deleite visual e mostra todo o brilho e majestade da mitologia nórdica.

The Mighty Thor: Thunder in her veins é um arco que explora a personagem que sofre pela quimioterapia em suas veias, mas que tem a força do trovão dentro dela, e além disto, conecta a desconstrução do tradicional reino nórdico com as crises políticas de Asgardia, e as conspirações ocorrendo nos mundos entregam uma história majestosa e bela. Porém, que pede paciência do novo leitor, que precisará ler as edições posteriores para entender a primeira — ou pesquisar para entender o cenário em que ele se encontra.

  • Video gueimeiros

    Melhor gibi da marvel atualmente , aaron cravando seu nome na história do personagem, como senão bastasse ainda fez um tratamento muito bom com o odinson em unworthy thor, foster é uma personagem muito bacana, e porradeira pra caramba

  • Glaydson Melo

    Pelo que vi da arte do Russel Dauterman, percebo que ele tem muito cuidado no seu ofício. Seu estilo remete um pouco ao traço do Frank Quitely. Acredito que ele esteja ainda longe do auge. Vai surpreender muito a gente.

  • Rafael

    Mais um dos ótimos gibis que a Marvel vem produzindo. Mas aí vem gente que nem lê gibi encher o saco por conta de política e a editora pisca. Fazer o que?

  • Pingback: Marvel divulga novo visual de Thor | Terra Zero | Terra Zero()