[Review] Não era você que eu esperava, de Fabien Toulmé

A graphic novel  autobiográfica de Fabien Toulmé fala com emoção, humor e humildade sobre um encontro inesperado de um pai com sua filha que possui Síndrome de Down. Com 256 páginas, o quadrinho, lançado no Brasil pela Nemo, conta a história do quadrinista francês casado com uma brasileira ao se ver pai de uma filha portadora da trissomia do cromossomo 21. Não era você que eu esperava é uma história muito sincera, humilde e sensível. O autor foi muito corajoso ao admitir e relatar toda a dificuldade que teve em aceitar sua filha com Down.

Toulmé e sua esposa Patrícia já tinham uma filha, Louise, quando nasceu sua segunda filha, Julia, que eles só foram descobrir ser especial após o nascimento (os exames pré-natal não haviam revelado nada). Em seu nascimento, também foi revelado que a criança tinha um sopro no coração e que ela precisaria ser operada alguns meses depois.

Além de não esperar ter uma filha especial, Toulmé confessa que também não queria isto, e o processo de aceitação e mesmo de amor por sua filha foi difícil, revelando assim os preconceitos e ignorância inerentes do ser humano como indivíduos e sociedade. Ao longo das páginas, passamos por uma jornada emocional junto do autor: raiva, tristeza e indignação. A rejeição de Toulmé à sua filha é tão grande a ponto dele mal segurá-la no colo e assumir que não a amava por ela ser diferente, chegando a quase entrar em depressão por conta disto.

Toulmé foi muito sincero ao confessar sua rejeição a sua filha. Por isto, ao longo de sua história, podemos acreditar quando ele fala de sua mudança de atitude e sentimento em relação a Julia. Os sentimentos do leitor vão mudando à medida em que a história do autor com sua filha vai evoluindo, sendo impossível não se emocionar quando Toulmé se vê amando e aceitando a sua filha. Um momento muito natural, mas que o leva a um amor tão grande, a ponto dele produzir uma história em quadrinhos pra contar o quão sortudo se sente por ser pai de Julia.

A história conta os três primeiros anos de Júlia, em três etapas: Rejeição, Aceitação e Aprendizado. Após os primeiros meses de rejeição a sua filha, vemos Toulmé a aceitando e a amando. Após isto, vemos sua família aprendendo mais sobre a trissomia do cromossomo 21, quebrando preconceitos inerentes e descobrindo como ajudá-la a ter uma vida autônoma, lidando com a rejeição e ignorância da sociedade.

A arte de Toulmé segue a diagramação tradicional de quadrinhos e os traços são simples, porém expressivos, acompanhando as mudanças de sentimentos dos personagens, mas um detalhe muito interessante é a mudança de cor entre os capítulos, refletindo os sentimentos do artista em relação à sua narrativa pessoal.

Não era você que eu esperava é um relato  muito íntimo, sensível e corajoso de um pai que aprendeu a amar sua filha. Um amor que não foi natural, mas cativado. Uma história emocionante sobre um pai, uma filha e uma família conduzida com simplicidade, humor e doçura, sendo também um narrativa enriquecedora sobre a síndrome de Down.