[Universo em Crise] Elenco de Apoio do Capitão Marvel Jr (Parte 1)

Estamos de volta mais uma vez pra falar sobre a mitologia do Mortal Mais Poderoso do Mundo! E o assunto de hoje será o elenco de apoio do Capitão Marvel Jr!


Como Tudo Começou?

O Capitão Marvel Jr tinha suas próprias histórias, tinha uma história publicada na revista Master Comics e sua própria revista, a Captain Marvel Jr, que publicava normalmente até quatro histórias do Garoto Mais Poderosos do Mundo. Ocorre que o Júnior não tinha um elenco de apoio, personagens recorrentes nas suas histórias com quem ele pudesse interagir, diferente do Capitão Marvel, que possuía personagens de apoio: Sr. Sterling Morris, Whitey Murphy, Cissie Sommerly, etc. Mas isso iria mudar a partir de Captain Marvel Jr #52 (agosto de 1947).

Arte: Bud Thompson

Nessa edição foi publicada a história “Capt. Marvel Jr. Finds a Home” (Capitão Marvel Jr Encontra Um Lar) em que Freddy Freeman, que trabalhava numa banca de jornais, foi transferido para outra banca de jornais, em outro local da cidade. Antes ele vendia seus jornais numa esquina formada por duas ruas não identificadas ou cujos nomes variavam de história para história; a partir dessa edição, a banca dele passou a ficar na esquina da Main Street (Rua Principal) com a Oak Street (Rua Carvalho).

Arte: Bud Thompson

Anteriormente, nas histórias do Capitão Marvel Jr, sempre que ele aparecia vendendo seus jornais em cada história, eles tinham nomes diferentes: Daily Star, Evening Gazette, Daily Press, Illustrated Press, Morning Reporter, Daily Post, Daily Mail, Daily Chronicle, Daily Sheet, Evening Herald… E a partir da edição #52 de sua revista, ficou estabelecido que os jornais que ele vendia eram Daily Gazette e Evening Star. Mesmo assim, de vez em quando os roteiristas davam umas escorregadas e erravam os nomes desses dois jornais, mas isso foi ficando cada vez mais raro com o passar do tempo. E no início, as histórias do Queijinho Azul sempre começavam e/ou terminavam com Freddy Freeman escrevendo sobre essa aventura no seu diário. No entanto, mais pra frente, o diário foi deixado de lado e, no final da história, Freddy segurava um dos jornais que vendia com uma manchete sobre a aventura que ele teve.

Após o assassinato de seu avô pelo maligno Capitão Nazista, Freddy Freeman ficou morando num quarto de uma pensão, embora isso raramente fosse citado ou mostrado, e o local da sua nova banca de jornais ficava do outro lado da cidade. Então, ele teve que se mudar de mala e cuia para mais perto dessa sua nova banca.

Arte: Bud Thompson

Quando chegou à nova vizinhança, Freddy conheceu Jim Bellows, um guarda que fazia a ronda por ali. Freeman procurava uma nova pensão para morar e o Guarda Bellows lhe contou sobre a pensão da Sra. Wagner, que ficava a dois quarteirões da nova banca e era onde o próprio policial morava. Porém, a pensão estava lotada e Freddy rodou pelas ruas próximas e não encontrou quarto vago em outras pensões. Porém, Jim Bellows conseguiu que o dono de uma serraria na Oak Street deixasse Freddy Freeman passar a noite lá. Ladrões tentaram roubar a serraria durante a noite, o Capitão Marvel Jr tentou prendê-los, mas eles escaparam. O herói não se deu por vencido e investigou esse caso até prender os bandidos. Um deles morava na Pensão da Sra. Wagner. Como ele foi preso, o quarto dele vagou e Freddy passou a morar lá. E aí, foi-se construindo um elenco de apoio para as histórias do Júnior.

Arte: Bud Thompson

A Pensão da Senhora Wagner

Freddy Freeman morou na Pensão da Sra. Wagner até que a Fawcett se viu obrigada a parar de publicar histórias do Garoto Mais Poderoso do Mundo (a última edição de Captain Marvel Jr foi a #119 e da Master Comics foi a #133) e, durante esse período, a dona da pensão sempre foi referida simplesmente como Sra. Wagner e seu nome completo nunca foi revelado.

Arte: Bud Thompson

Os inquilinos da Pensão da Sra. Wagner variavam bastante. Sempre haviapessoas novas alugando quartos. Todavia, havia determinadas pessoas que formavam um elenco de apoio fixo nesse núcleo da pensão:

Leroy Marks: Trabalhava como vendedor de porta em porta, gostava de fazer piadas sem graça, pregar peças de mau gosto e fazer brincadeiras inconvenientes com os outros. Sua primeira aparição foi em Captain Marvel Jr #90 (outubro de 1950), quando era chamado de Jesse Marks, depois foi renomeado como Leroy Marks. E, em Captain Marvel Jr #53 (setembro de 1947), numa das histórias apareceu Jolly Holly, um inquilino da Sra. Wagner que também gostava de fazer brincadeiras com os outros, aparentemente um precursor de Leroy Marks.

Red O’Riley: Trabalhava num posto de gasolina que ficava numa esquina da Main Street com Oak Street. Embora nunca tenha sido explicado, e “Red” possa ser o apelido de algum nome comum nos EUA, acredito que ele seja chamado assim por ser ruivo. “Red” significa ruivo em inglês, vide a personagem Red Sonja.

Jim Bellows: É um policial e ele faz ronda pela vizinhança onde ficam a pensão da Sra. Wagner e a banca de jornais de Freddy Freeman. Ele e Red O’Riley costumavam jogar damas na pensão a noite.

Professor Edgewise: Era um cientista que morava na pensão e possuía um laboratório que, em algumas histórias, ficava numa garagem nos fundos da Pensão da Sra. Wagner, mas em outras histórias ficava no porão da pensão e, ainda em outras, ficava no seu próprio quarto. Sua primeira aparição foi em Captain Marvel Jr #93, se tornando um personagem bastante recorrente nas histórias do Garoto Mais Poderoso do Mundo. Já foi mostrado numa história que ele trabalhava no laboratório de uma universidade, todavia em outra ele dava aula numa escola e um de seus alunos era o Silvana Jr.

Papagaio: Freddy Freeman conseguiu um tipo de arara numa história em Captain Marvel Jr #108. A partir daí, o animal passou a morar na pensão e normalmente ficava num poleiro na sala de estar. Ele não possuía um nome e era chamado simplesmente de Papagaio pelos moradores da pensão. Além disso, ele pertenceu anteriormente a um lobo do mar e ele repetia o dialeto típico dos marinheiros e era muito boca suja, por isso era tido como desagradável. Sempre que o Professor Edgewise aparecia, o bicho ficava berrando “crackpot” — em português seria algo como excêntrico ou biruta.

Esses personagens da Pensão da Sra. Wagner fizeram tanto sucesso que até foram aproveitados nas histórias solo do Capitão Marvel, como Billy Batson conversando com Jim Bellows ou pedindo ajuda ao Professor Edgewise. Inclusive, alguns elementos foram copiados para as histórias do Queijão Vermelho e da Queijinho Vermelho.

Em Marvel Family #86 (agosto de 1953) foi mostrado que Billy Batson, sua irmã Mary e Freddy Freeman estudavam na mesma escola e em Marvel Family #89 (janeiro de 1954) vemos que o Professor Edgewise trabalhava como professor nesta escola e que ele dava aulas para eles. Embora, nas suas histórias solo, fosse mostrado que eles estudavam em escolas diferentes.

Em Marvel Family #87 (setembro de 1953) foi mostrado que Billy e Mary passaram a morar na Pensão da Sra. Wagner.

Arte: Pete Costanza

A Sra. Wagner, sua pensão, Jim Bellows e Professor Edgewise voltaram a aparecer nas histórias do Capitão Marvel Jr na DC. Tirando as histórias antigas republicadas, a pensão reapareceu em World’s Finest #265, 268, 269 e 277, e Edgewise deu as caras em World’s Finest #265 e 277, e sendo que vemos claramente que o Professor Edgewise está entre os libertados da esfera de suspendium em Shazam #1 (fevereiro de 1973).

Por hoje é só, leitor! Até mês que vem!

  • Banzé Menezes

    Legal a matéria, parabéns. Aquele material do Aquaman da era de prata vai retornar ???

    • Renegado Primeiro E Único

      A próxima edição da Universo em Crise será mais uma parte da série Aquaman na Era de Prata. aguarde e confira!

  • Billy Batson (Shazam)

    Excelente sua matéria. Mostrando detalhes de um dos personagens de maior sucesso da era de ouro dia quadrinhos.

  • Adriano de Oliveira Ferreira

    so posso dizer, vcs sao fodas.

  • Pingback: [Universo em Crise] 0 | Terra Zero - Notícias, Quadrinhos e ComicPod()