The Batman: Affleck, alcoolismo, Esquadrão Suicida e o futuro

Ao preparar nossa volta para a programação normal em 2017, lancei um texto aqui no Terra Zero falando sobre a atual situação de Ben Affleck como profissional e sua complicada relação com adaptações de quadrinhos que, apesar de ter começado mal com o Demolidor em 2003, ganhou vários elogios no momento em que ele vestiu o manto do Homem-Morcego na década seguinte. Isso não impediu que os filmes em que ele esteve até agora fossem criticados. Muito pelo contrário. Mas não estamos aqui para falar do passado.

Diversas informações surgiram no começo da semana a respeito da produção de The Batman, bem como do futuro de Affleck em projetos com a DC e até de sua saúde. Affleck é um alcoólatra assumido e já foi internado no passado outras vezes. Sem que o público soubesse o que estava acontecendo com ele nos últimos meses, Affleck novamente esteve em tratamento, o que deve ter acontecido antes, durante e pouco depois do lançamento de A Lei da Noite (seu novo filme) e de sua pequena turnê divulgação.

Ben Affleck voltará ao Morcego em Liga da Justiça e The Batman.
Ben Affleck voltará ao Morcego em Liga da Justiça e The Batman.

Em nota oficial publicada no Facebook, o ator disse (tradução do portal G1):

Completei tratamento por vício em álcool; algo com que tive de lidar no passado e que continuarei a confrontar. Quero viver uma vida plena e ser o melhor pai que eu puder ser. Quero que meus filhos saibam que não há vergonha em procurar ajuda quando você precisa, e que eles devem ser a fonte de força para qualquer um por aí que precisa de ajuda, mas tem medo de dar o primeiro passo.

Tenho sorte de ter o amor de minha família e meus amigos, incluindo a mãe de meus filhos, Jen, que me deu apoio e cuidou de nossas crianças enquanto eu fazia o trabalho que precisava. Este foi o primeiro de muitos passos sendo tomados em direção a uma recuperação positiva.

Como dizem, o primeiro passo para resolver um problema é admitir que ele existe. Essa parte costuma ser a mais difícil. Em menor escala, posso colocar a mim mesmo como exemplo, já que sou bipolar e passei anos deprimido ou com surtos de mania e pânico sem admitir que precisava de ajuda profissional. E, mesmo depois que a consegui, demorou para os médicos terem uma verdadeira noção do meu quadro a ponto de estabelecerem o tratamento adequado, já que bipolaridade é uma doença difícil de ser diagnosticada. Sofri por bons anos até achar um psiquiatra que me desse o tratamento adequado.

Foto promocional de Batman vs Superman com Ben Affleck e Henry Cavill (reprodução).
Foto promocional de Batman vs Superman com Ben Affleck e Henry Cavill (reprodução).

Não lembro se foi no UOL ou no Terra que vi o seguinte comentário sobre o caso de Affleck: “Pela milionésima vez…”. Na cabeça das pessoas, o fato de ele ser milionário automaticamente o impede de ter vícios, problemas ou doenças. Dinheiro paga muito coisa, inclusive tratamento de qualidade, mas vício em drogas (legais ou ilegais) pode ser considerado doença crônica em alguns casos. Isso é muito sério. A pessoa está sempre sujeita a recaídas. Nessas horas, principalmente quando o tema é alcoolismo, lembro-me do comediante escocês Craig Ferguson falando sobre seus anos de bebedeira e seus subsequentes tratamentos e encerramento do vício:

Voltando ao que importa para o site, é aceitável dizer que a produção de The Batman teve tantas reviravoltas devido aos problemas pessoais do ator? Sim e não. É bem provável que a autovigilância necessária para que ele se cuide daqui pra frente não permita que ele segure a pressão psicológica e emocional de dirigir um filme tão grande. Agora, jogar tudo nas costas do cara não é só maldade, é errado. Sabe-se há tempos como a Warner Bros. tem tido dificuldades para construir, sem turbulências, seu tão falado DC Extended Universe. Provas disso não estão só espalhadas em diversas notícias divulgadas ano passado e no começo deste 2017, estão também em outras notas divulgadas nesta semana.

A primeira delas diz respeito ao próprio The Batman. Sabia-se que o filme teria Ben Affleck como ator, diretor e roteirista (este último papel ele dividiria com Geoff Johns, presidente da DC Entertainment) e o Exterminador como vilão (na pele de Joe Manganiello), com rumores indicando pelo menos uma pequena participação de outros vilões do Morcego. Tudo mudou. Affleck deixou a direção a cargo de Matt Reeves, que, por estar comprometido com o novo Planeta dos Macacos até julho, só poderá se dedicar ao novo Batman a partir do segundo semestre. Além disso, o roteiro tinha sido lapidado por Chris Terrio, que trabalhou com Affleck em Argo, Batman vs Superman e Liga da Justiça, mas, segundo o que foi divulgado na terça, este roteiro foi definitivamente abandonado; ele será rescrito do zero.

A contratação de Reeves pode estar relacionada com isso, já que ele parece querer acompanhar muito de perto o desenvolvimento da história. De qualquer forma, a informação é tida como rumor, mas, levando-se em conta que nem a Warner e nem outra fonte relacionada ao filme a desmentiu, pode-se assumir que a notícia é verdadeira. Não se sabe ainda se Terrio será responsável pelo novo roteiro ou se os próprios Affleck e Johns farão isso, mas uma coisa é certa: Reeves vai acompanhar tudo e todos vão se dedicar ao máximo para que este seja o melhor filme do Batman de todos os tempos.

Ben Affleck como Batman em foto promocional de BvS.
Ben Affleck como Batman em foto promocional de BvS.

Isso significa que o Exterminador pode ser deixado de lado por causa dos novos rumos de The Batman, como alguns sites têm divulgado? Até pode, mas é improvável. O ator já está contratado. Como diria o Ogro da Floresta, um leitor das antigas do Terra Zero, “a chance do cara ser limado do filme é como a chance de qualquer outra coisa acontecer no universo”. É bem por aí. Hoje em dia, em qualquer ramo jornalístico, há casos em que “a notícia é rumor até ser considerada verdadeira”. É o mundo em que vivemos.

A segunda notícia da semana não tem relação direta com The Batman, mas é ligada ao Homem-Morcego de alguma forma. A Warner vai dar sequência à franquia Esquadrão Suicida, na qual o Batman de Affleck foi importante em vários momentos do primeiro filme (o que pode se repetir no segundo). O Hollywood Reporter divulgou que o roteirista Adam Cozad foi contratado pelo estúdio para fazer o roteiro da sequência. Ele foi autor de Operação Sombra – Jack Ryan (2014), A Lenda de Tarzan (2016), entre outros. Porém, segundo o periódico, David Ayer não dirigirá esta sequência. A busca continua, mesmo que Mel Gibson seja o favorito da Warner no momento.

Monstagem com Mel Gibson e o Esquadrão Suicida feita pelo IGN.
Monstagem com Mel Gibson e o Esquadrão Suicida feita pelo IGN.

É esperado que os membros principais da equipe (não por acaso os que foram vividos por alguns dos maiores astros do elenco) estejam de volta, como Viola Davis (Amanda Waller), Margot Robbie (Arlequina), Will Smith (Pistoleiro) e Jared Leto (Coringa), com possível participação de Affleck (Batman).

Todas essas mudanças garantem que The Batman e Esquadrão Suicida 2 serão filmes incríveis e inesquecíveis? Definitivamente não. Mas é bom ver as coisas andando, mesmo que às vezes elas pareçam ruins. Do jeito que a produção de The Batman estava conturbada, apagar o quadro-negro e começar a escrever nele novamente costuma ser a melhor saída em problemas complicados demais. É torcer para dê certo.

Só resta dizer uma coisa: com tudo sendo feito do zero a partir do segundo semestre, é improvável que o novo longa do Morcego saia ano que vem, como originalmente planejado. A não ser que ele saia em dezembro para o Natal, mas é bem difícil, ainda mais com uma propriedade intelectual que exige tanto cuidado como essa. É melhor ter um filme ótimo que demore para sair do que um filme que saia rápido e decepcione as pessoas, não é mesmo?

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com