[Necessaire] Flash: o coração do DCU

Olá, queridas e queridos do Terra Zero. Vim aqui defender para vocês o motivo de eu acredtar que o Flash é o coração do DCU. No entanto, não apenas um personagem que usou o uniforme, mas o manto em si e seu conceito. E calma, fãs do Morcegão, Homem de Aço, Mulher-Maravilha, Gladiador Dourado, o que for. Não estou desmerecendo nenhum personagem e seu valor. Mas vou dizer o porquê da minha afirmação sobre o Flash.

Mudanças editoriais: Na DC, toda mudança editorial tem um Flash envolvido. Apesar de, na Era de Ouro para a de Prata, não ter ocorrido um evento específico que as separasse, sabemos a diferença de uma para outra porque, dentre várias razões, temos a mudança de personagem usando o manto de Flash: a transição entre Jay Garrick e Barry Allen. Assim, Allen tornou-se o Flash da Era de Prata da DC, e suas histórias são uma pura representação do que foi este período editorial. O fim deste período, quando da Crise das Infinitas Terras, mais uma vez teve a transição de um personagem para outro como Flash: Barry Allen morreu e Wally West, seu pupilo, assumiu o manto de seu mentor, tornando-se assim o Flash do período pós-Crise da DC. Ao final do pós-Crise, tivemos, por um breve período, Bart Allen como o Flash, mas também o retorno de Barry Allen: para resgatar a mãe, ele voltou no tempo e causou o evento Flashpoint, que até então era o que tinha causado o período editorial conhecido como Os Novos 52, com Barry como Flash e a ausência dos outros portadores do manto na Terra Principal. Ao fim deste período, tivemos o retorno de um personagem muito amado pelos fãs, Wally West, marcando o início da fase Rebirth, atual período da DC.

Flash – um catalisador de mudanças na Crise nas Infinitas Terras.

Flash para todo mundo: Como o Flash é um conceito e não um personagem, tivemos mudanças de caráter neste. Cada geração tem o seu Flash. Para os primeiros leitores foi Jay Garrick, para os próximos Barry, depois Wally West e Bart Allen. Pessoalmente, Wally é o meu Flash, e você deve ter o seu também. Para os mais novos, voltou a ser o Barry, por ele ser o detentor do manto atualmente, além de sua forte presença na transmídia.  Essa diversidade faz com que, na “Flashfamília”, sempre haja um Flash que seja relacionável para algum tipo de leitor. Isso ocorre especialmente no período pós-Crise, no qual tínhamos o Flash jovem-adulto; depois adulto, marido e pai Wally West; o Flash Jay Garrick, que era mais velho e experiente; Jesse Quick representando as mulheres, e Bart Allen, que era o representante do público infantojuvenil. Atualmente, temos o Flash adulto como o Barry, o jovem Wally e o Wally  adolescente dos Novos 52, que, além de ser representativo para a idade, é também o primeiro negro da família.

A família Flash

Equipes: A DC tem suas equipes de super-heróis, a mais famosa sendo a Liga da Justiça, além dos também famosos Titãs, Novos Titãs e a Sociedade da Justiça. Claro que também temos outras equipes, como as Aves de Rapina; no entanto, as citadas anteriormente, além de serem mais famosas, tem um alcance maior no universo DC. As Aves, por exemplo, são uma equipe de nicho. Logo, nestas equipes principais, é comum termos um Flash. Barry na Liga, Wally com Titãs e Liga da Justiça, Bart com Justiça Jovem e NovosTitãs; o novo Wally atualmente com os NovosTitãs; e Jay Garrick com a Sociedade da Justiça. Como estas equipes tem um caráter mais universal na DC, além de suas aventuras serem em âmbito maior, isso também faz com que os personagens se relacionem com outros heróis de outras famílias editoriais, como a Batfamlia, SuperFamilia, Arqueiros, Amazonas, Atlantes, Místicos  e outros alienígenas.

Sempre há um velocista nos Titãs.

Diversidade: Ok. Neste aspecto esta família tem deixado a desejar. Sim, temos a Jesse Quick, mas, além dela ser a única mulher velocista (sem contar a Iris West, filha do Wally, mas por muito pouco tempo), seu papel na mitologia e tramas é de coadjuvante, com poucas histórias onde teve maior protagonismo. Agora temos o primeiro negro com o novo Wally, que, nos Novos 52, foi tratado de forma muito estereotipada. Na fase Rebirth, esse Wally tem tido até então uma boa participação, mas isso não diminui o fato de que representatividade de minorias tem faltado aos portadores do relâmpago no peito.

Wally West nos Novos 52.

Legado: Apesar de ter ficado implícito ao longo da coluna, quis destacar separadamente o conceito de legado como mais um aspecto deste manto que coloca o Flash no coração do DCU. A DC, até os Novos 52, era a editora do legado, da passagem de manto, conceito muito aplicado nos Lanternas Verdes e Robins. No Flash,, particularmente este é um conceito muito bem desenvolvido, porque Wally West, ao assumir o manto de seu mentor, foi o aprendiz que assumiu o lugar do mentor, que deu certo e mais durou. Foram mais de 20 anos de Wally como Flash principal, onde vimos seu desenvolvimento, saindo da sombra de seu mestre e criando a própria identidade heroica (inclusive se tornando mais rápido que seu mestre). Também vimos o Bart deixando o manto de Impulso, se tornando o segundo Kid Flash e depois, assumindo o manto principal; a filha do Wally, Iris, assumindo o manto de Impulso; e todos tendo Jay Garrick, o primeiro Flash, como uma espécie de patriarca da família. Agora temos dois Flashes, porque tanto Barry como Wally fizeram por merecer este título, e um terceiro Kid Flash, com o novo Wally.

Wally West e Barry Allen. Os dois maiores símbolos de legado nos quadrinhos nas páginas do DC Rebirth.

Definição de Tom: Este aspecto anda muito ligado ao de mudanças editoriais, mas a verdade é que, dependendo de qual Flash temos, temos também um tom editorial. Por exemplo, o Barry como Flash, nos Novos 52, foi a definição do que foi este período: ausência de legado e de relacionamentos de longa data pros personagens. Quando o Wally foi o Flash, tivemos o tom do legado, diversidade e desenvolvimento de personagens em nível pessoal. Personagens  como o Flash e Superman casaram, Dick Grayson e Barbara Gordon tiveram um relacionamento longo e sério, entre outros. E com o retorno do Wally West para o DCU no Rebirth, temos a sensação de que toda DC está voltando ao lar também. Os valores de família e legado que tinham sido perdidos estão voltando, mostrando que HQs podem ser sérias e também divertidas. Exemplos claros que tivemos foi a linda passagem de manto do Superman para seu filho, Arqueiro Verde e Canário Negro se reencontrando, Damian Wayne assumindo a liderança dos Novos Titãs, um novo Kid Flash. Enfim, ciclos terminando e outros recomeçando, e nenhum personagem na DC representa tantos os ciclos da vida quanto o Wally. Seu retorno trouxe estes ciclos de volta para editora.

Os Jovens Titãs no Rebirth.

Por isto, Zeronauta, eu considero o Flash tão importante para a movimentação do DCU (sem trocadilhos). O personagem já assumiu papel de liderança na Liga da Justiça e na Sociedade, mudou todo o universo, o salvou algumas vezes, dá a cara para os heróis mais velhos, abre portas para os mais novos. É, portanto, o coração desta editora.

11 Comentários

Clique para comentar

20 + doze =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com