[Terra 10] Indicações no Dia do Quadrinho Nacional

Hoje, 30 de janeiro, é considerado o Dia do Quadrinho Nacional. Ele acontece nesse dia pelo motivo de ser o aniversário do primeiro quadrinho publicado no Brasil, pelo artista Ângelo Agostini.

Neste dia especial, também marcado por várias comemorações, os quadrinhos nacionais mostram sua força crescente, que vem evoluindo no últimos anos e alcançando novos patamares, buscando seu espaço, na internet ou em meios impressos.

Aproveitando a festividade, o Terra Zero indica algumas leituras (não necessariamente lançamentos) para aumentar sua biblioteca de trabalhos nacionais.

Bulldogma, de Wagner Willian: foi considerado por sites e críticos um dos gibis mais interessantes do ano de 2016. Ele acompanha uma jovem publicitária que está passando por mudanças na vida e vai morar num apartamento, em que existe a lenda de que houve abduções alienígenas.

O Despertar de Cthulhu em Quadrinhos: uma coletânea editada por Raphael Fernandes e lançada pela Editora Draco. Um gibi que tenta captar no formato de quadrinhos as histórias aterrorizantes escritas pelo autor H.P. Lovecraft.

Tungstênio, de Marcelo Quintanilha: uma das grandes obras recentes dos quadrinhos nacionais. A história policial foi laureada no Festival Internacional de Quadrinhos de Angoulême.

Dois Irmãos, de Fábio Moon e Gabriel Bá: a adaptação do romance homônimo de Milton Hatoum teve grande repercussão desde seu lançamento e contribuiu para alavancar a recente adaptação televisiva; acabou ganhando o prêmio Eisner no ano de 2016.

Bear, de Bianca Pinheiro: uma aventura que nasce da amizade de uma garota e uma urso. No começo você acha que é apenas uma história bobinha, mas, com o andamento das páginas se depara com uma forte mensagem sobre confiança e a força da amizade.

Pétalas, de Gustavo Borges e Cris Peter: uma experiência que faz você pensar que, mesmo nas piores situações, ter a bondade no coração pode ser o catalizador de mudanças na sua vida.

Aventuras na Ilha do Tesouro, de Pedro Cobiaco: é o trabalho mais meticuloso desse jovem artista. Uma narrativa bem conduzida e que confirma Cobaico como um artista destinado a fazer grandes trabalhos como o pai, o vencedor do Jabuti Fabio Cobiaco.

Klaus, de Felipe Nunes: uma HQ sobre descobrimentos; uma fábula que narra como você deve lidar com desconfianças e com o mundo onde está inserido.

Guia de Viagem do Perdido, de Marília Bruno, Fernanda Chiella, Leo Finocchi, Samanta Flôor e Felipe 5Horas: este gibi une novamente a equipe premiada com o HQ Mix de Melhor Publicação de Humor do Guia Culinário do Falido, em mais uma série de histórias onde a regra é a diversão nonsense.

Valente: Para o que Der e Vier, de Vitor Cafaggi: Valente é o trabalho em que Vitor Cafaggi dá o seu melhor. Um trabalho tocante sobre um cachorro adolescente e suas desventuras.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com