[#Entrevista] Sidney Gusman: Graphic MSP, cinema e o futuro

O homem a frente do planejamento editorial da Mauricio de Sousa Produções, Sidney Gusman, vem ajudando a fomentar o mercado de quadrinhos no Brasil há muito tempo. Gusman conseguiu, em quatro anos, fazer vingar um projeto que está popularizando os artistas nacionais: Graphic MSP.

Na última semana, na CCXP, Gusman anunciou quatro novos títulos do projeto: Turma da Mônica 3, com os irmãos Vitor e Lu CafaggiChico Bento, com OrlandeliCapitão Feio, com os irmãos Magno e Marcelo Costa; e Jeremias, por Rafael Calça e Jefferson Costa.

O Terra Zero conversou com Sidney Gusman logo após o evento. O editor comentou o balanço do projeto, explicou seu papel na adaptação do filme baseado em Turma da Mônica – Laços e falou do futuro da Graphic MSP.

Terra Zero: Sidney, mais uma onda de lançamentos das Graphic MSP. Como você faz um balanço desse projeto?

Sidney Gusman: O balanço do projeto Graphic MSP é o melhor possível. Em quatro anos, são quatorze graphics lançadas, com números de vendas bastante expressivos e, literalmente, sucesso de público e crítica.

As únicas equipes que fecharam trilogias nas Graphics foram Danilo Beyruth e Cris Peter, com Astronauta, e Vitor e Lu Cafaggi, na Turma da Mônica. O que torna esses artistas tão especiais para cuidar desses títulos por tanto tempo?

Quando a gente fala de fechar trilogias, a gente está arriscando demais, ao usar esse verbo. Especialmente após você ler Astronauta – Assimetria, você vai entender o que estou falando. Então é assim: não tem uma receita de bolo de qual vai continuar e qual não vai continuar, qual vai durar duas, qual vai durar três, qual vai durar oito. É basicamente a gente sentir o mercado. Inclusive, como é a reação do público em relação aos materiais que estão sendo produzidos.

Capitão Feio é o primeiro vilão da turminha à ganhar histórias nesse formato e Jeremias é o primeiro personagem negro. Porque essa escolha desses personagens?

A escolha do Capitão Feio e do Jeremias é porque o projeto não tem, literalmente, limites. A gente pode falar de qualquer tipo de personagem e eu achei importante a gente falar de um personagem negro e de um vilão.
Assim como achei importante que em Mônica – Força, da Bianca Pinheiro, aborda-se uma temática que nunca foi abordado nos gibis tradicionais de linha, porque nas graphics dá para fazer isso. É uma outra pegada, público juvenil adulto. Mesmo que crianças leiam a graphic (isso efetivamente acontece), acho que a gente pode experimentar um pouco mais. Trazer assuntos à tona que geralmente não seriam discutidos com os personagens do Mauricio na linha tradicional. Esse é um dos papeis da Graphic MSP.

Chico Bento com Orlandeli, esse foi o anúncio que mais me surpreendeu, já que admiro muito os dois. Qual foi o quesito de escolha para chegar até esse artista?

O quesito – não só o do Orlandeli, como qualquer outro autor que for escolhido para as graphics – é baseado em três coisas. Primeiro, o autor querer participar do projeto, e isso é nítido quando o cara quer ou não; segundo, o cara ser bom pra caramba no que faz; e, terceiro, o cara ser um profissional na acepção da palavra, que é se tiver mimimi, de ‘oh, meu deus, não sei o quê’, ‘ai, tão me mexendo no meu roteiro’, ‘oh, meu deus, ele não gostou dessa arte aqui’, então não está talhado para o projeto, porque os autores têm que jogar com a mesma regra que eu jogo.

Então assim: eles têm liberdade? Tem. Só que não dá para fazer absolutamente tudo com os personagens do Mauricio. Ninguém vai sair matando personagem, botando cena de sexo etc e tal. Entendeu? Então são sempre esses os critérios.

Os títulos da Graphic MSP não param de crescer. Ainda vai demorar muito para vermos o Horácio?

Quando o projeto começou o Mauricio me falou: “a única coisa que eu não queria que você mexesse era com o Horácio por enquanto. Só que o Mauricio é um fanzão do projeto, é um fanzão mesmo, está muito empolgado, e eu sou muito insistente. Então quem sabe, né?

Além das graphics, podemos esperar mais álbuns especiais como Ouro da Casa e Mônicas para 2017?

Para 2017, não tem nada previsto na linha de Ouro da Casa e Mônicas, mas talvez haja mais algum álbum na linha Memórias do Mauricio, que a galera gostou bastante e do qual a Panini também gostou do resultado comercial. Então, talvez – não é certeza! – a gente tenha um álbum nessa linha.

Sidney Gusman. Foto: Valentino Melo
Sidney Gusman. Foto: Valentino Melo

A Turma da Mônica finalmente vai ganhar mais destaque no cinema. Como está sendo feita essa transição de mídia? Existe algum envolvimento seu e dos autores nessas adaptações?

Na adaptação de Laços, especificamente, a transição é feita de uma maneira muito natural. Só que assim, eu sou editor de quadrinhos. O meu papel na transição é preservar a essência da história de Turma da Mônica – Laços, do Vitor e da Lu Cafaggi. Deixando claro desde o começo, inclusive para eles e pro Mauricio, que evidentemente – a gente que lida bastante com quadrinhos, sabe disso -, é outra mídia, vai mudar a história, sim, vai haver muitas mudanças em relação à história original, mas a base, o cerne de Laços tá todo ali.

O meu envolvimento é exatamente esse, que é o mesmo dos autores. Que é: ‘oh, gostaria que isso entrasse, gostaria que isso saísse, isso aqui eu acho que sim, isso aqui acho que não’. E o Daniel Rezende tem sido muito aberto nesse sentido.

Sabendo que você trabalha com cronograma bem organizado? Já existem planos infalíveis para 2017 além de todos esses anúncios?

Não. Não existem planos para 2017, além de todos esses anúncios. Eu já falei. Eu tenho cronograma para a Graphic MSP até o meio de 2019, com os autores todos convidados, inclusive. Claro que alguém pode mudar nesse meio do caminho? Pode. A gente vai ter três graphics no ano que vem, por causa que uma pessoa que ia fazer um determinado personagem e abriu mão do projeto. Porque ele achou que não daria conta e, infelizmente, abriu mão do projeto. Então, tudo pode acontecer. Mas, assim, a ideia é sempre um planejamento adiantado, por que especialmente esses materiais tem que rodar [imprimir] na China, então preciso sempre mandar muito antes e tal. Então tem que ter já, a longo prazo, isso na cabeça.

Comente

Clique para comentar

19 + dez =

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com