[Necessaire] DC e o Universo CW

Olá queridas e queridos Zenonautas! Vim aqui falar com vocês sobre o multiverso da DC na CW, amado por muitos e criticado por tantos outros. Desde Arrow até Supergirl e temperada com muito couro, a verdade é que a DC conseguiu fazer neste pequeno canal voltado para o público teen, um Universo e mais que isto, um Multiverso de heróis no canal, com séries diferentes que coexistem e se amarram uma na outra, algo que exige planejamento e eficiência.

Com Arrow, The Flash, DC´s Legends of Tomorrow, Supergirl e a animação Vixen, temos o CWverso. Cada série com um tema, tom, proposta, trilha sonora e roteiro, mas todos alinhando-se entre si e mostrando uma face da DC, com vigilantes das ruas, misticismo, viagem no tempo, alienígenas, ciência e meta-humanos. O que acho interessante é como eles conseguiram colocar na estética de cada show, e em suas cores e músicas, o tom que diferencie claramente uma série da outra.

Estas séries são perfeitas? Não, mas quero que lembrem, antes de tudo, que elas são feitas para um público mais novo. Eu conheço crianças que assistem a estas séries. Logo, as tramas tem de ser mais simples, para atingir todos os públicos. Mas, como o alvo é o adolescente, claro que elas são recheadas de romances, lágrimas, lições de moral e encorajamento. Para o leitor de quadrinhos, isso pode não satisfazer todas as expectativas e exigências, mas temos que lembrar que elas são feitas para um público maior. Decisões são feitas em relação aos nossos amados personagens para caber dentro da narrativa escolhida.

Arrow-Season-Stephen-Amel

Como pioneira deste universo, mãe de todas, temos Arrow, série baseada no Arqueiro Verde e que, por ter sido a primeira da leva, também tem um caráter muito experimental. Sua proposta inicial foi uma série sombria, que se passava nas ruas de Starling City, com músicas mais graves, tons escuros e ambientes noturnos. Entretanto, com a adesão de The Flash e suas cores claras, brilhantes, felizes e seu sucesso, os produtores da série do Arqueiro, tentaram colocar isto em sua abordagem e adicionando elementos sobrenaturais na narrativa. Porém, o roteiro da série do Arqueiro não soube trabalhar com esta proposta, causando grande rejeição do público nas polêmicas terceira e quarta temporada. Entretanto, na atual quinta temporada, vemos a série voltando as suas origens e abordando os temas mais urbanos e realistas do início da série.

flash-poster

The Flash nasceu com o sucesso de Arrow. Baseada no herói Barry Allen e queridinha do canal, é uma série com um tom mais leve; divertida, mas também mais didática. Por causa dos poderes do Flash e sua ligação com a Força da Aceleração, a série usa os conceitos vindos com ela, como Multiverso, viagem temporal, o evento Flashpoint e a própria Força da Aceleração como elementos narrativos – usando tudo de forma simples e ensinando elementos, conhecidos apenas de leitores mais avançados de quadrinhos, a um público leigo.

Arrow e The Flash são as series mais próximas do Multiverso da CW se passando nas mesmas linha temporal e Terra. Ambas também trabalham a jornada do herói, mostrando os caminhos deles até se tornarem os que nós conhecemos e amamos, ou o mais perto disto, dentro da narrativa escolhida.

Ambas expandiram e tiveram uma filha. Na verdade duas: a série animada Vixen e a série DC’s Legends of Tomorrow. Vou começar falando de Vixen, por sua narrativa ser nas mesmas Terra e época das outras duas.

Cena da animação Vixen. Reprodução.

Vixen é uma minissérie animada da DC/CW  exibida na internet. A série conta a história da estilista Mari McCabe que, ao descobrir a história de sua família biológica, também descobre uma herança: um totem que lhe confere poderes mágicos, concedendo a ela habilidades de animais selvagens. Vixen segue a linha sombria de Arrow, porém temperada com misticismo. A animação tem a participação dos heróis das outras séries (e da mesma Terra).

Arte promocional de DC's Legends of Tomorrow.

DC’s Legends of Tomorrow é, de fato, filha de Arrow e The Flash, apesar dos personagens serem da mesma linha temporal das outras séries. Por ser de viagem no tempo, a trama se passa ao longo de várias épocas e lugares. A série aproveitou personagens que apareceram em ambas as séries que a originaram, formou um time, colocou todos numa nave e virou a série mais descomprometida deste universo. Com um grupo de heróis e vilões desajustados, a série é desprendida da jornada do herói e seus conflitos. A primeira temporada foi prejudicada por dois de seus protagonistas e seu vilão: o casal Gavião e Vandal Savage. Entretanto, eles saíram no final da temporada. A segunda, livre dos personagens que a emperravam, tornou-se mais interessante e divertida – apesar de também cutucar a sociedade e fazer episódios mais emotivos. Legends of Tomorrow é uma série de aventuras no tempo e espaço e que usa isto de forma muito divertida, com personagens que tem uma boa química entre si. Vale a pena ver, se você quer se divertir e se encher de referências à cultura pop e a personagens menos aproveitados da DC.

supergirl-banner-cw-season2

Supergirl, por fim: a série que nasceu para ser da CW, mas que começou na CBS. Após sua primeira temporada, mudou de emissora e, agora, se passa no mesmo lar de suas séries irmãs, mas em outra Terra, o que faz a CW ter um Multiverso  em sua grade (o que, em teoria, já acontecia, graças a iZombie). Na série, temos a fofíssima Melissa Benoist interpretando uma cativante Kara Danvers e uma maravilhosa Supergirl. Diferente de Arrow e The Flash, não temos a jornada da heroína: a protagonista já é bem resolvida e as tramas são em torno de suas aventuras e nos desenvolvimentos de seus relacionamentos. Supergirl é uma série tão esperançosa quanto o S em seu peito: uma trama leve, cativante e consciente. A narrativa de Supergirl usa de elementos quadrinescos para abordar temas da realidade atual, como empoderamento feminino, racismo, tolerância e imigração.

Este Multiverso não para por aí. Recentemente, em Legends of Tomorrow, foi apresentada a Sociedade da Justiça, nos anos 1940, mostrando que heroísmo já existe na Terra desde outros carnavais. Em The Flash, tivemos a Terra 2 com sua nova Flash, Jesse Quick, e também o Flash daquela que, na série, seria a Terra-3: Jay Garrick. Em Supergirl, foi mostrado o anel da Legião dos Super-Heróis e. também. temos  um personagem clássico dela agora, Mon-ElArrow teve a participação de John Constantine, da série cancelada da ABC, mas que o colocana mesma linha temporal da série do Arqueiro Verde. A emissora se prepara para lançar a animação do herói Ray, que, talvez como sua colega animada Vixen, também faça uma participação em carne e osso nas outras séries. Ray, nos quadrinhos, é membro dos Combatentes da Liberdade.

cw-president-reveals-info-about-super-crossovers-and-calista-flockhart

Eu sei que nem todas as séries, em todas as suas temporadas, têm um roteiro tão bom e que ser juvenil não é desculpa, mas a verdade é que, mesmo nos quadrinhos, nem sempre as histórias são boas e, nelas, a mitologia por vezes se perde. Então, antes de jogar a primeira pedra, reconheça todo o universo criado nesta emissora. Talvez as séries não sejam mais para você, mas use-as para apresentar este mundo para uma nova geração e, assim, ajudar a manter a indústria em movimento, bem como personagens poucos conhecidos (e até mesmo pouco aproveitados) vivos no imaginário do público –o que talvez faça com que eles ganhem mais espaço nos quadrinhos.

Em poucos dias, teremos o terceiro crossover do Multiverso CW, com quatro episódios, começando em Supergirl, indo pra The Flash, Arrow e terminando em DC’s Legends of Tomorrow. Você pode ler a descrição aqui. Nossos heróis lidarão com uma invasão alienígena.

Eu estou curiosa e, e claro, vou assistir. Convido vocês a também aproveitarem esta Liga da Justiça da CW. Divirtam-se.

  • Ultra NIPO-COMUNISTA

    CW VERSE>>>>>>>>TUDO DA MARVEL!

    • Brito Carlos

      uhauhauhauhauhauha SIM

    • Lucaaaah

      Ia falar de homem formiga mas a ação e o GCI dele são bem legais

  • Ciborgue from the Future

    Texto ótimo Débora. Parabéns. Abordou muito bem as séries.

  • VictorMex

    A gente sabe que as séries devem fazer esses roteiros mais “leves” certamente para serem melhores aceitas pelo público geral, mas há episódios ótimos, principalmente em The Flash e agora em Legends, que me lembram muito a era de Mark Waid comandando o velocista escarlate.
    Enfim, texto muito bom (merecia uma revisãozinha), parabéns e esse deve ser o espirito, diversão em primeiro lugar; quem não gosta, fazer o que?! Mude de canal ou então tentem fazer melhor.
    Abraços.