Colunas Destaque Emulador de Críticas Marvel Comics

[Emulador de Críticas] Por que a Marvel não sai do loop?

Escrito por Pablo Sarmento

E aí, pessoal! Ultimamente, estamos vendo algo que fazia tempo que não presenciávamos. A DC acabou concebendo um grande evento verdadeiro e chamando a atenção da mídia dos quadrinhos, com várias notícias de HQs novas, minisséries, novas linhas editoriais comandadas por nomes com respaldo junto ao público e anúncios de artistas exclusivos, tudo isso motivando os leitores a fazer com que a editora vendesse muito mais nos últimos meses. O que me leva ao ponto: o que diabos está acontecendo na Marvel que ainda não rebateu nenhuma das coisas que aconteceram neste ano na DC?

O silêncio está ensurdecedor.

Escrevo isso porque estávamos discutindo no conselho editorial do Terra Zero e percebemos que a Marvel não anda anunciando coisas grandes nos quadrinhos. Parece que sua tática de sufocar os leitores com muitas estreias e anúncios gigantescos não estão surtindo efeito. O fato é que talvez exista uma explicação interessante (não para os fãs) para as coisas não andarem bem na Casa das Ideias.

A Marvel começou um movimento cirúrgico quando criou Miles Morales. Ela criou seu primeiro herói de legado realmente interessante para todos os leitores da editora. Fez com que ele estrelasse a melhor revista do universo Ultimate e realmente conseguiu fazer com que os leitores questionassem se Peter Parker era, de fato, um bom cabeça-de-teia – ou, mais ousado ainda, se poderia existir alguém melhor que ele. Considero que Miles Morales tem a mesma importância que Wally West possui, na DC, para leitores dos anos 1990.

milesmorales-0
Porém, ocorre um erro mortal no planejamento da Marvel. Ela comete a mesma falha que quase levou a editora à falência no final do século passado. Se observarmos com atenção, nota-se que a editora apenas foca em uma única vertente, deixando toda sua linha com a mesma cara, dificultando para que o leitor com alguma experiencia encontre um porto seguro.

Lembra-se da época em que tudo virava uma grande saga dos X-Men e tudo tinha a ver com os mutantes? Ou quando o Homem-Aranha era tomado por sagas que duravam anos e não conseguíamos entender nada que estava acontecendo, dado o grande número de publicações (Saga do Clone, um abraço!)?

Pois então perceba: isso está acontecendo de novo na Marvel.

Você olha hoje para o line-up da Marvel e tudo está mudado. A editora tem, na sua trindade, personagens de legado. Dentre eles, algumas grandes alterações de status quo e uma forte influencia da franquia dos cinemas, sendo exercida da forma impositiva no editorial. Dado o fato que a Disney e a FOX continuam brigando por causa de direitos, eles não chegam a um consenso. Quem perde diretamente com isso é o leitor dos X-Men e do Quarteto Fantástico.

ff2

Mas falando propriamente do legado. Avalio que essa é uma das melhores cartas existentes dentro das HQs. Ela demonstra que o conceito de personagens pode ser infinito e leva ao pé da letra a ideia que quaisquer pessoas com grande habilidades podem defender o mundo. Isso é extremante especial.

Todos sabem que sou muito fã de personagens de legado. Mas, na Casa das Ideias, este conceito vem se tornando a regras nas histórias, devido ao sucesso de personagens como Miles Morales, Sam Alexander e Kamala Khan. Isso tirou boa parte dos seus grandes personagens originais dos títulos que deram fama à editora. Personagens icônicos foram simplesmente substituídos, e continuam sendo, algo que nunca aconteceu tanto tempo dentro da editora.

tumblr_o0bya6jwot1u496xso1_500
Mas isso está, aos poucos, afastando os leitores mais antigos do universo criado por Stan Lee e Jack Kirby. Pois, afinal, para onde estão indo os personagens criados pelas duas lendas dos quadrinhos?

Se você começou a ler os personagens há uma, duas ou três décadas atrás, certamente você percebeu que algo mudou, e não necessariamente para melhor. Em dois anos, foram perdidos o Quarteto Fantástico, Wolverine, Tony Stark, Professor Xavier, Odinson, Steve Rogers (que estava aposentado e agora está longe de sua forma clássica) e assim por diante. Os leitores perderam muitas referências de modo muito veloz, o que é um jogo arriscado: a formação de um novo cânone está passando pela imposição deste panteão em substituição aos heróis que Lee e Kirby inseriram na cultura popular mundial, por meio de quadrinhos e de desenhos animados, principalmente.

logandeath

A DC recentemente tomou um grande solavanco por ter tentado algo inovador, emulando o movimento da Marvel, e também sem preparar seus leitores para essa mudança. O DC You foi comercialmente um fracasso e a editora entendeu que deveria voltar ao básico.

Sabemos que leitores de quadrinhos estadunidenses gostam de algum conservadorismo. Tanto é que a DC voltou a jogar no certo e suas vendas estão crescendo. A aposta da DC é a mesma da Marvel, pode-se questionar neste momento. Sim, é verdade, as duas apostam nos personagens de legado. Mas a DC está preparando o público para isso desde os anos 1980, com a passagem do manto do Flash após um evento drástico, como foi a Crise nas Infinitas Terras. E a Marvel parece estar preocupada com mercados mundiais, de modo conglomerado, e está acelerando o processo de modo mais rápido do que os leitores podem assimilar.

criseterras

É muito difícil de inovar em um mercado cheio de burocracias. Todo leitor quer boas histórias, quer sagas fantásticas, mas não quer necessariamente que mexam com seus personagens. É uma corda bamba, a vida dentro das grandes editoras do EUA. Todos sabem disso.

Gostaria de deixar claro que esses momentos de extrapolação sempre deixam marcas boas nas editoras: para a Marvel isso é visível, com Ms. Marvel, America Chavez e a excelente série da família do Visão.

vision-1-650

Voltando à pergunta do título: assim como o Surfista Prateado, na edição já histórica de Dan Slott que venceu o Eisner deste ano, a Marvel, com suas novas novas novas novas novas iniciativas que já nem mudam mais de nome, parece estar presa a um loop editorial do qual não consegue sair, cercada que está por compromissos com estúdios, com a pressão por novidades e, claro, com a concorrência à sua frente. Simplesmente não consegue enxergar a saída e, para vê-la, nem é preciso dobrar a realidade: a solução para esses problemas é equilíbrio.

Personagens de legado são extremamente importantes, mas utilizá-los em toda a linha de uma vez é temerário. Os personagens clássicos precisam ter o seu papel, como heróis ou mentores, e precisam de boas histórias para que evoluam para outros patamares. Se eles não têm esse papel, o que a editora faz é afastar seu público cativo e se desconectar dele. A não ser que seja exatamente isso o que a Marvel queira. Parece coerente para você? Para mim, não.

Até a próxima! E o lembrete é: amigos marvetes, tentem não me matar!

As colunas do Terra Zero expressam a opinião de seus
colunistas e não necessariamente a opinião do site.
  • Ogro da Floresta

    Pode ser um tiro n’água, ou estratégia, do grego strategia.

    Estamos próximos de Vingadores: Guerra Infinita nos cinemas. O que será do MCU depois disso? Mais Homem de Ferro? Mais Capitão América? Mais filmes medianos do Thor?

    Talvez esse seja um teste para termos novos protagonistas nas telonas.

    Quadrinhos não fazem mais a grana que faziam, mesmo… O que vale hoje em dia pros super-heróis é uma ótima bilheteria nos cinemas, talvez uma venda absurda nos jogos, muito merchandising e nada mais.

    • Lizandro Sathler

      Mesmo que os quadrinhos não fazem a grana que faziam antigamente é certo ela deixar de lado isso? Afinal ela é uma editora de quadrinhos não de cinema,e é por causa desse pensamento mesquinho dela de se focar apenas nos cinemas que só trazem histórias rídiculas e fracas e pra gerar polêmicas pra vender.

      Sério foi a gota d’água que a Marvel fez com o Homem Aranha ressucitando a Gwen Stacy e o pai dela,aquele momento tão iconico na carreira do herói que o fez famoso por anos foi pra descarga a baixo.

      Nem preciso dizer também aquele retcon rídiculo do Capitão América ser da Hydra,só serviu apenas pra vender,tanto que foi uma das revistas mais vendidas da Marvel naquela época.

      • Joel Ciclone (!$@@¢)

        Não só o top 10, mas o top 20. 17 das 20+ são da DC no mês de Setembro.

        • Lizandro Sathler

          Então a situação era pior que eu imaginava,Marvel literalmente está em decadencia nos quadrinhos e nem está ligado,quer ficar na sua zona de conforto.

          Inclusive eu reclamei disso num post do Dr.Estranho lá no O Vicio,mas parece que ninguém liga,quem tá afudando a Marvel não é só ela mas seus fãs que a grande maoria são posers dos filmes.

    • Welerson Pawlak

      Não vai ter mais Homem de Ferro solo, e eu duvido que tenha mais Thor solo depois do Ragnarok. Mas não se preocupe, o MCU já está muito bem encaminhado:

      Pantera Negra, Dr. Estranho, Homem- Formiga, Capitã Marvel, Guardiões da Galáxia, Inumanos Homem-Aranha com parceria da Sony, quem sabe uma trilogia descente do Hulk?(Acho difícil)

      Isso seguindo o padrão de trilogias já dá 17 filmes ainda não produzidos. Sem contar filmes dos Vingadores.

      Vamos supor 20 filmes, com uma média de 3 filmes por ano, já são quase 7 anos, até lá, quem sabe não temos Quarteto Fantástico de volta? Novos projetos com mais personagens secundários dos quadrinhos?

      Mesmo que os personagens que darão continuidade sejam desconhecidos pelo público geral, eles já angariaram o público com o universo atual, agora é só continuar movendo eles filme a filme, o que vai ser bem fácil, tanto pelo nome da Marvel, quanto pelo universo interligado.

      Se estabelecerem um núcleo central nos Vingadores, que depois do fim dos filmes solo podem ser trabalhados como a ligação base do MCU, vai ser foda.

      Tem muita coisa pela frente no MCU, e acho muito difícil que os quadrinhos estejam sendo usados para novos filmes.

      E veja que depois de todo esse texto eu nem citei a Netflix. ^^

  • Eduardo Faria Guimarães

    A MARVEL tem que parar de fazer histórias que só tragam polemicas,até agora ela não trouxe desafiador.

    A DC tá dando um banho nela por que apostou em trazer histórias pra aquela galera oldschool,os roteristas estão fazendo estão dando aquele ar de esperança que os quadrinhos tinham antigamente,já a MARVEL só quer viver de retcons e polemicas.

  • Daniel

    Ótimo texto. Refletindo a respeito aqui. Que situação complicada para a Marvel. :/

  • Absolute Superman

    Trindade na Marvel? Isso non ecziste!! Vai, sombra!

    • Lucaaaah

      X-men,quarteto e boas histórias

      • Absolute Superman

        Se esse for o conceito de trindade, bom, o primeiro e o segundo sofreram traumas terríveis… e o terceiro é subjetivo. Portanto…

        • Lucaaaah

          Só estava sendo sarcástico cara

    • Adriano DeSouza

      A Marvel tinha uma trindade sim, eram Capitão américa, homem de ferro, e Thor. Mas eram tres caras brancos. Eles ficaram com invejinha da DC, e decidiram que a trindade tinha que ser representativa, então o Thor virou mulher, e o capitão américa ficou negro, com um caso entre ambos. Ah, e o latinha agora é adotado. Não vejo problema na diversidade dos quadirnhos, até apoio, mas do jeito que a Marvel faz não é só muito artificial, como é cretinamente demagógico com objetivos puramente comerciais, sem nenhuma preocupaçaõ com o desenvolvimento das historias e personagens.

  • Deco

    A Marvel parece obcecada com empoderamento das minorias…
    A intenção até pode ser boa, mas o resultado é pavoroso.
    Sou leitor de quadrinhos desde 1987 e sempre preferi a Marvel, mas hoje não dá vontade de ler nada do que ela publica..

  • Eduardo

    Os Vingadores sempre foram um ótimo exemplo de “transições” no Universo Marvel, praticamente uma equipe nova a cada arco histórico, com pelo menos um membro original monitorando. Por outro lado, os XMen dos anos 80/90 me embrulhavam o estômago porque eram puro Claremont/Byrne pasteurizado e extremista; tiveram que vir o Grant Morrisson e a diaba da Emma Frost pra dar uma revitalizada no grupo. E tb o Quarteto Fantástico tinha uma estrutura avessa a novos membros (alguém lembra que Crystalys e Mulher Hulk foram da equipe?).
    Tanto os personagens “clássicos” reaproveitados (Cavaleiro da Lua, Gavião Arqueiro) como os de legado (Ms. Marvel) precisam de um tempo pra se consolidar, desenvolver um cânon, mas isso não é respeitado na Marvel (e nem na DC). Todos parecem tapa-buracos entre a megassaga do dia e a próxima. Que leitor gosta de ser enganado, sabendo que as “mudanças profundas” só duram seis edições?
    (Vocês aí no fundo da sala, podem abaixar as mãos, eu já entendi…)
    Por que não investir em títulos exclusivos digitais, até pra testar os personagens de legado e/ou artistas e escritores iniciantes?
    Não é (apenas) uma preocupação com “empoderamento das minorias” ou “briga por direitos” ou “universo multimídia compartilhado”. O que falta são (1) boas histórias (2) feitas por equipes que realmente entendam os personagens com os quais trabalham e (3) a Marvel tomar vergonha na cara e achar que seus leitores são trouxas e aceitam qquer coisa.

  • Gilberto Santos Junior

    realmente, estou muito curioso para ver o que acontece nesta guerra entre DC x Marvel. Quem vencerá? e de que forma vencerá? acredito, que em dezembro do ano de 2017 vamos ter uma boa visão desse embate.
    A minha critica é: o que adianta colocar “minorias” no lugar de heróis de destaque sem discutir problemas que as atinge? No máximo se discuti superficialmente, como visto no embate da Thor com Odin. (exceção é a Miss Marvel – perfeita). Tanto tema bom: morte de negros por policiais, tratamento da mulher na sociedade (assédio), Bullying na escola que causa massacre na escola, etc.
    A Marvel que levantar a bandeira das minorias só para ganhar dinheiro. Isto é evidente e não engana ninguém. Só espero que a DC não embarque nesta canoa furada (caso da Mulher-maravilha bissexual), não precisa, tem bastante herói na DC que representa minorias.

    • Hanna_Barbarian

      O Capitão América Sam Wilson tá enfrentando EXATAMENTE uma questão dos direitos civis da população negra com os Americops, que representam a violência policial do establishment branco e burguês que criminaliza cidadãos não-brancos. Ele já entrou em conflito com o USAgent (Agente Americano), que foi contatado por um lobby armamentista e de direita pra tomar o escudo do Sam, só que perdeu a luta. No final da edição, o Steve Rogers (agente da Hidra) convence o Agente Americano a continuar o que estava fazendo, que é lutar nessas guerras dos EUA no Oriente Médio.

      • Gilberto Santos Junior

        Isto não chegou no Br ainda. Aqui tivemos o espantalho e um ex inimigo de Stive Roger, arcos bem despretensiosos. Demorou para chegar neste arco, antes tarde do que nunca. tomará que não pare por ai…

  • geo

    O Batman tem um monte de personagem de legado, mas nenhum substitui o original, o mais perto foi o Asa Noturna, quando o personagem vem imposto pela editora isso gera uma rejeição, foi o caso do Besouro Azul na DC. Fora outros problemas como desconstrução de personalidades, e o citado exagerado empoderamento de minorias e eu não vejo reclamação só dos leitores antigos não.

  • Esse tipo de discurso é leviano. A DC ficou abaixo da Marvel em vendas por muito tempo. Não estou discutindo qualidade. Mas, enquanto a DC insistia nos Novos 52, a Marvel emplacou inúmeras iniciativas que sempre garantiram boas vendas, mesmo depois do famigerado #1.

    Investir no legado é dar andamento a própria cronologia do universo. Concordo em achar que isso é arriscado, mas discordo plenamente que isso é um loop.
    Os personagens velhos deviam se aposentar, deviam morrer e novos deviam tomar o lugar.
    Essa ideia de cronologia estagnada devia ser repensada. O movimento da Marvel pode dar errado, mas considero essencial para que se repense o “quadrinho de super herói”.
    Além disso, todo o discurso de empoderamento de minorias da Marvel é extremamente relevante e atual, trazendo novos leitores à arte e mostrando que quadrinhos de supers podem ser mais do que mega-saga de de herói derrotando ameaça alienígena.
    Ser escravo de fãs antigos e conservadores é o que paralisou a indústria do entretenimento por anos, hora de alçar novos vôos.
    A DC tentou matar a ideia de cronologia e, muito infelizmente não deu certo. Então, emplacou o Rebirth.

    Deixa a Marvel brincar com seus legados, se tudo der errado, eles fazem o MARVEL REVIVAL.
    Mas espero que dê certo.

  • Ultra TAKAOSISTA

    CHUPA MARVEL! EM LOOP!

  • Moroni Machado

    A DC está produzindo histórias melhores que a Marvel. FATO.

    Agora dizer que SÓ a Marvel está em loop?

    1º A DC lançou não 1, mas 2 números 1 de TODA LINHA editorial no mesmo mês. Vou repetir. 2 números 1 no mesmo mês de TODA LINHA editorial.
    2º A maior parte do top 10 e top 20 é toda linha do BATMAN ou ESQUADRÃO SUICIDA que teve filme agora pouco.
    3º Em três messes na nova linha, a DC já fez um crossover com TODA linha do batman. Em menos de três messes.
    4ºA DC tem numero 1 programado até janeiro de 2017.
    5º A DC só sabe contar historias de origem ou universo alternativo… Só esse ano a Mulher Maravilha teve 3 histórias de origem recontada.
    6°A DC teve um reboot total em 2011, um reboot seletivo ano passado em 2015 e esse ano teve um reboot seletivo DE NOVO em 2016. Aposto que em 2018 vai ser um reboot mensal com cada terra multiversal. etc..

    Agora que esse ano vou ser terminar o ano como DCnauta. Porque deathstoke, batman, superman, patrulha do destino está muito bom, muito bom.

    • João Souza

      “vou repetir”.
      kkkkkkkkkk

      acho que na maioria dos pontos vc tem razão mesmo… só não acho que lançar números 1 até janeiro/17 é um ponto a ser apontado como loop. tem personagem do rebirth que já voltou e tem uns que só voltam mais para frente… até ai normal. não precisa ser “novos 52” que foi uma enxurrada de coisa sem qualidade pra banca.

  • Leandro Banner

    Excelente artigo, concordo com praticamente tudo. Já passei dos quarenta e leio quadrinho desde os 5 anos, ou seja, no barato, há mais de 3 décadas. Comecei com o Hulk, Aranha e depois para os mutantes e a Marvel de uma forma geral. Com o passar dos anos o gosto pelos quadrinhos me levou também à DC e às outras editoras independentes. Acompanhei as principais mudanças da Marvel e DC e acredito ter sido um privilegiado por ter vivido e testemunhado momentos marcantes como a Morte de Gwen Stacy, o retorno de Jean Grey para formar o X-Factor, a esplêndida fase do Quarteto por John Byrne, o primeiro (e muito superior) exílio do Hulk na Encruzilhada por Bill Mantlo e Sal Buscema entre vários outros eventos, sem a menor necessidade de megassagas anuais ou eventos catastróficos que vão mudar tudo pra sempre apenas pra não mudar nada. Mas o que a Marvel está fazendo hj é simplesmente assombroso. Como é muito bem colocado no artigo, me sinto REPELIDO pela Marvel… depois de Guerra Civil (de Mark Millar) fui forçado a deixar de acompanhar por um tempo…. mas alguns anos depois, quando tentei retomar a leitura, me senti um estranho e completamente deslocado. Não eram os personagens que eu havia conhecido, seja por conta de retcons, seja por conta do cinema, decisões editoriais etc.
    Infelizmente, esse LOOP (a definição foi genial e perfeita) parece ter vindo para ficar. Não me disponho mais a acompanhar a Marvel hoje em dia, nem ao menos o Hulk, meu personagem preferido de todos os tempos, completamente massacrado com péssimas histórias (salvo alguma coisa do Mark Waid na encarnação anterior do título), em cujas histórias hoje em dia quase TODOS seus personagens coadjuvantes são Hulks, com qualquer um podendo se “hulkificar” com tremenda facilidade; praticamente todos os personagens são mais poderosos que ele e, pra piorar ainda mais, Bruce Banner não é mais o Hulk (óbvio que não ficará morto por muito tempo (aliás, nenhum personagem de quadrinhos fica, não é mesmo?) mas sabe lá o que o aguarda quando ressuscitar).
    Minha esperança é garimpar coisas anteriores à Guerra Civil, encadernados da Salvat com histórias clássicas, publicações clássicas que a Panini se disponha a produzir quando lhe der na telha e algumas edições importadas, quando possível. Os únicos quadrinhos hoje que ainda me disporei a adquirir e conhecer serão justamente os da DC quando Rebirth aportar por aqui. No mais, é com grande tristeza a constatação… ao menos para MIM, a Marvel acabou!

    • Moroni Machado

      Você leu os vingadores do Hickman, o demolidor do Waid, o visão do King, o velho logan do Lemire, os supremos do al ewing,o cavaleiro da lua do ellis e lemire, o miles morales?
      Nossa tem muita coisa boa depois da guerra civil do Mark millar

      • Moroni Machado

        Thor do Jason Aaron.

        • Leandro Banner

          Sim, li. A despeito do esquecimento em mencionar, as histórias iniciais do Jason Aaron em Thor (a meu ver, claro) foram acima da média do que se tem hj em dia (e, por incrível que pareça, estou me empenhando em adquirir os encadernados com essas histórias), o mesmo valendo para os Vingadores de Hickman (ainda que não ache superior à fase de Roger Stern e John Buscema, da década de 1980). Também acompanhei o Demolidor de Mark Waid (tenho os 5 primeiros volumes (preciso correr atrás dos seguintes)), que realmente me surpreendeu. Mas são poucas coisas que realmente VALEM a pena hj em dia na Marvel, até em função das razões que estamos debatendo.
          Provavelmente eu me ressinta MUITO das péssimas fases do Hulk nos últimos anos (exceção à infelizmente breve passagem do Mark Waid pelo título) e isso certamente me deixa MUITO amargurado; e não aposto que a DC vá conseguir manter o bom desempenho de Rebirth por muito tempo, como vc menciona acima, mas pelo que venho acompanhando, ela vem tentado restabelecer alguns conceitos que possam agradar não só aos leitores novatos, mas tb aos veteranos, numa direção bem oposta à da Marvel. Só nos resta aguardar para ver no que isso vai dar.

          • Moroni Machado

            Cara começar lendo hulk com peter david e ver a situação atual é triste mesmo

  • Mauri Link

    Leio Marvel ja tem 3 décadas, não quero mais ler nada com Rogers & cia. AVANTE LEGADO! <3kamala

    • Adriano DeSouza

      Ok, mas não precisa DESTRUIR o Rogers num processo o transformando num nazi. Era melhor quando ele foi morto e o Bucky assumiu no lugar. Não precisa fazer o thor deixar de ser digno e perder o martelo. Era melhor deixar ele continuar morto, a jane achar o martelo e ser a nova Thor. ISSO NÃO É LEGADO. O Terra Zero está ERRADO.

      Legado é o que a DC fazia. Voce tinha um novo Flash, mas o Barry ficava preservado. O que a Marvel faz é cuspir no passado em nome de um novo imediatista para uma geração para que tudo envelhece em poucos dias.

      • Não destruiram o personagem, a história mostra ele sendo convertido através de lavagem cerebral. A história de ambos os capitães está muito bem escrita, o Rogers vilão está se mostrando uma grande ameaça e óbvio que eventualmente ele vai voltar a si e o processo dele se redimir e reconquistar a confiança dos aliados pode ser muito legal.

        • Hanna_Barbarian

          Exatamente! O material é consistente e sólido, mas como a história ainda não foi concluída, o reacionarismo de parte do público fica de butuca lá no porão da casa da mãe, reclamando que “no meu tempo era melhor”. Mudanças são imprescindíveis se essa mídia quer ser reconhecida por um público mais amplo. Conservadorismo cada vez mais arraigado (e grisalho) só tende a desaparecer na medida em que aquela geração (da qual faço parte, inclusive) vai desapegando dessa leitura e buscando novos patamares intelectuais. Leitura de gibi foi importante em diversos aspectos, pra diversas pessoas, mas o mundo é muito mais amplo do que isso. Talvez seja a hora de certas pessoas desistirem disso, e passarem pra posteridade.

  • Aquaman, O Lego Emo

    Acho muito bacana, muito legal, mas…assim como DC You foi uma iniciativa LOUVÁVEL, a da Marvel também é. Um dos grandes problemas dos quadrinhos pra mim é esse congelamento de tudo. O leitor que quer ler histórias do Batman (Bruce Wayne), mas não é qualquer história não, histórias detetivescas, porque ele é um detetive, e qualquer coisa que fuja disso…

    É muito bacana ver que estão se apostando em novas personas, numa ‘nova” identidade. Por mais que isso não venda tanto, é o tipo de movimentação que pode trazer coisas boas. Triste mesmo, ao meu ver, é pensar que a DC tá fazendo sucesso trazendo o Superman clássicão de volta…escrevento histórias do Superman classicão…, boas, sem dúvidas, mas que, mais uma vez, simbolizam o mais um retorno de mais um personagem depois de mais outra fase em que ‘tudo mudou”. Outro Loop que, mais pra frente, é capaz de se repetir…de novo…

  • Adriano DeSouza

    Não tocaram no principal ponto que é a qualidade das histórias. Na verdade até pouco tempo a qualidade de ambas as editores estava ruim, mas a Marvel vendia mais devido ao fator dos filmes e mais mega-eventos (que são semestrais na editora). Quando a DC começou a trazer boas histórias, não só vendeu bem os numeros 01, as edições no numero 07 estão vendendo tão bem quanto. Leio muitos comentários no bleeding cool e comic book resources de como a DC está conseguindo MANTER o público que resolveram dar uma chance com o relançamento das revistas, porque causa da QUALIDADE das histórias. Não é que a Marvel perdeu muitos leitores, é que a DC TROUXE DE VOLTA muitos leitores antigos, e o pessoal das comics shops gringas comenta como a DC conseguiu trazer PÚBLICO NOVO pra comprar quadrinhos. Coisa que as iniciativas da Marvel não vem conseguindo fazer. Eles começaram a relançar a Marvel Now, e o que muitos estão dizendo é que, adivinhem, “são os mesmos de sempre que estão comprando”. Se os leitores da marvel não fossem tipo a gaviões da fiel, compram por ser torcedores, mesmo que os gibis sejam uma droga, a situação seria muito pior, acreditem.

  • Silvio César

    Bem, eu acho que a Marvel como conhecemos realmente morreu no começo de Secret Wars. Eles estão apostando em renovação e no público mais jovem….resta esperar se isso vai durar ou não.

  • Fernando Pinheiro

    Pois é, depois de 15 anos resolvi voltar a colecionar HQs (coleciono somente encadernados e deixo pra ler as mensais via scan – se não o bolso não aguenta!)…

    Confesso que fiquei assustado com tanta, tanta, tanta novidade na Marvel que preferi ficar com o “novo do velho” da DC…

    Enfim, da Marvel estou relendo o passado, algumas coisas que perdi (por ter sido um adolescente sem grana), mas quando vi o que tem de novo, penso que o caminho para chegar no que chegou, precisa ser bem justificável… enfim, perdi a afinidade…

    Quanto à DC, além de reler o velho e não ter gostado dos “novos 52”, o Rebirth tem me trazido de volta as esperanças de acompanhar um universo diferente do que é a vida real…

    ;)

  • Pingback: PQP, Marvel Cagona Arrega Para Justiceiros Sociais! (De Novo…)()

  • Feike do luiz

    Não gosto das revistas e da gestão atual das duas empresas. Mas, devo concordar que a Marvel tem chances grandes de ”falir”

  • Rerman Andriz

    Meu Deus…. A tapadice pós moderna infesta tudo mesmo!