DC Comics Pitaco

[#Pitaco] O fenômeno Arlequina na editora da Mulher-Maravilha

Escrito por Morcelli

[Nota do editor: O Terra Zero novamente recebe um texto de sua mais nova colaboradora, Débora de Albuquerque].


Arlequina é um fenômeno, disso não há dúvidas. Suas histórias em quadrinhos vendem muito bem, ela é a rainha das cosplayers nos eventos, roubou o filme do Esquadrão Suicida e a DC até anunciou o longa animado dela com o Batman. Recentemente, o copublisher da DC, Jim Lee, declarou que ela, ao lado de Batman, Superman e Mulher-Maravilha, é atualmente o quarto pilar da DC. Contudo, Lee foi gentil com o Homem de Aço e a Princesa Amazona, uma vez que a Palhaça do Crime vende mais que os dois medalhões da editora.

A minha pergunta é: como, na editora da Mulher-Maravilha, sua personagem feminina mais famosa se tornou a Arlequina? Neste Pitaco, apresentarei algumas razões que procuram explicar como isso aconteceu.

Arlequina e Mulher-Maravilha em arte de Amanda Conner e Paul Mounts.

Arlequina e Mulher-Maravilha em arte de Amanda Conner e Paul Mounts.

Tenho certeza que não há ninguém que duvide do valor de Diana Prince na cultura pop. Ela é um símbolo feminista e pioneira das super-heroínas nos quadrinhos, mas a verdade é que suas histórias não são sucesso de vendas da DC. Mesmo bom boas histórias no começo do DC Rebirth e fazendo muito sucesso com sua caracterização no filme Batman vs Superman – sem falar no belo trailer de seu próprio longa em live action divulgado em julho.

Em compensação, a Dra. Harley Quinzel, na semana do lançamento de sua edição DC Rebirth, vendeu mais do que o Batman, o líder de vendas na DC.

Imagem oficial da DC divulgando o sucesso de vendas da Arlequina no DC Rebirth.

Imagem oficial da DC divulgando o sucesso de vendas da Arlequina no DC Rebirth.

Não pretendo comparar uma personagem com a outra, mas a verdade é que, por mais que a Mulher-Maravilha represente um ideal (até uma utopia), a Arlequina representa uma realidade, sem contar o lado cômico que ela possui. Isso faz dela uma personagem muito mais palpável ao público leitor.

Vejam só: a Mulher-Maravilha representa o ideal, a amazona que usa espada para lutar e que bate de frente com os deuses, praticamente uma utopia. A Arlequina é a mulher que teve sua vida mudada ao se apaixonar pelo homem errado. Quem nunca teve um amigo ou amiga que era vítima de um relacionamento abusivo? Daqueles que todos sabem, inclusive a pessoa abusada. Ela tem consciência de que este relacionamento não faz bem, que ela fica diferente quando está perto ou longe da pessoa que “ama”, que no fundo sabe que sofre por não conseguir se livrar deste sentimento. Quem nunca viu isso? Com amigos, conhecidos, familiares, nos noticiários ou até com você mesmo.

A história da Harley, além de causar identificação com o leitor, também gera compaixão para com a personagem. Vê-la na série animada às vezes dava pena, fazendo os fãs torcerem para que um dia ela saísse dessa vida e se libertasse de sua escravidão. É aquela pessoa que, se você pudesse, entraria na cabeça dela e a convenceria a seguir outro caminho, porque você vê de perto que ela está se prejudicando.

O Coringa abusando da Arlequina em uma das cenas mais chocantes dos dois nos quadrinhos.

O Coringa abusando da Arlequina em uma das cenas mais chocantes dos dois nos quadrinhos.

Outro fator determinante para o sucesso da Arlequina, o mesmo fator da Batgirl de Burnside, foi mostrá-la como uma garota comum dentro de toda sua insanidade. Mesmo assim, ela tem amigas e gosta de sair com elas; a Arlequina se apaixona, namora, tem vizinhos, trabalha e faz coisas comuns. No caso dela especificamente, estes elementos são misturados às suas características, sua insanidade e seu lado cômico, gerando um produto muito identificável.

Arlequina, a personagem criada para a série animada do Batman nos anos 1990, migrou para os quadrinhos e hoje está no cinema. Isso não foi de graça. O sucesso dela veio por ela ser aquela pessoa que qualquer um pode vir a se tornar se não tiver cuidado: afinal, a linha entre sanidade e insanidade é muito fina. Às vezes, basta um dia ruim, conhecer a pessoa errada e não ter forças suficientes para lutar contra isso, por ser a mulher que como outras, faz as unhas, sai pra comprar roupas, desabafa com a melhor amiga, se apaixona e ri.

Arlequina é uma mulher comum, frágil, que luta pra ser forte, que tem seus dias bons e seus dias maus. Ela não é uma utopia; ela pode ser sua amiga, sua mãe, sua irmã ou até mesmo você.

  • Denis

    Só que a DC tem duas Arlequinas em situações opostas, uma está presa com uma bomba na cabeça, se tentar fugir morre, e outra que é livre, tem um prédio, amigos, namorada e liberdade.

    • Lucaaaah

      É meio estranho o fato de as revistas de equipe serem assim em tempos diferentes

  • Pacokits

    Legal o post, eu não curto muito o quadrinho da Arlequina, mas é inegável o sucesso que ela faz, caiu no gosto do povão mermo. (:

  • SamuelNT

    Olha, eu acho que o sucesso da personagem não vem por ela se aproximar do público leitor, ser relacionável e sim apenas por ser “engraçada” e “gostosa”. A Arlequina existe desde os anos 90, mas só veio a explodir com o jogo Akrham Asylum, que é justamente quando ela usa uma fantasia fetichista de enfermeira, e ela continua com a personalidade engraçada dela. As cosplayers começaram a usar esse visual que ela tinha nos jogos, depois começaram a inventar o próprio visual, veio DC Bombshell, a Arlequina passou a ter a imagem desvinculada do Coringa e tal, veio anuncio de filme com o Esquadrão, as pessoas aparentemente preferem ver uma comédia a um drama, e está aí uma personagem de sucesso. Se as pessoas quisessem personagens realmente relacionáveis e fortes, devemos lembrar que a DC também é a casa da Mulher-Gato e da Canário Negro. Tudo bem que a Canário nunca foi assim tão conhecida como a Selina, mas não tenho dúvidas, de que, se a Mulher-Gato tivesse aparecido no primeiro jogo da série Arkham com uma roupa fetichista e uma personalidade mais engraçadinha com o Batman, e menos provocadora, ela estaria fazendo tanto sucesso quanto a Harley hoje. e Olha que há uns 3 ou 4 anos atrás, a Mulher-Gato era bem mais conhecida, se duvidar, deve ser tão conhecida quanto a Mulher-Maravilha, mas, não faz o sucesso necessário para ter seu próprio título mensal no Rebirth.