Catarse indo Além dos Trilhos com Mika Takahashi

Há, até o fechamento desta matéria, 27 projetos abertos de histórias em quadrinhos no Catarse. Um deles é Além dos Trilhos, de Mika Takahashi, feito em parceria com a editora Pingado-Prés. A HQ já está devidamente financiada, apesar de faltarem mais de 20 dias para o término da campanha. Pedindo R$ 25 mil, o projeto já arrecadou quase R$ 35 mil – cerca de 40% além da meta estipulada inicialmente. A previsão de lançamento é dezembro de 2016.

Na obra, Mika contará a história de um coelho antropomórfico que busca um sentido e direção à vida no meio da cidade, em meio aos seus outros habitantes: gatos, cachorros, ratos, etc. A união de esforços da autora com a Pingado-Prés data de 2014, quando lançou Ink Stories, seu primeiro álbum solo, pela editora – que, por sua vez, auxilia a desenhista e escritora a conseguir uma tiragem maior: o livro anterior teve apenas 500 cópias iniciais. Além de já ter trabalhado com estúdios de animação e publicidade, como o Birdo Studio, Digital 21 e BlankBr, a paulistana participou, em 2015, do segundo volume de 321 – Fast Comics, de Felipe Cagno, e de A Samurai, de Mylle Silva.

A aposta é também na qualidade do material a ser apresentado: Além dos Trilhos terá 90 páginas em papel pólen bold, sendo 72 delas em preto e branco e 15 coloridas. A capa também possui papéis e acabamento especial. Uma edição caprichada, portanto. Como já há financiamento excedente, a primeira meta estendida já foi confirmada.

Arte de Mika Takahashi.
Arte de Mika Takahashi.

 

Além da arte delicada de Mika Takahashi, há várias outras recompensas. Por bem pouco, é possível receber a HQ digital, em arquivo .pdf, além de agradecimentos nos créditos. Com um pouco mais de investimento, o apoiador recebe a trilha sonora oficial, composta por Ivo Kai para a obra, e o livro impresso. Há pacotes que vão até R$ 1.500, com itens variados: sketchbook, ecobag temática, exemplares de Ink Stories, cartazes em papel especial e artes comissionadas em tamanhos e acabamentos variados.

O Terra Zero falou com a autora a respeito de Além dos Trilhos. Confira a entrevista:

Arte de Mika Takahashi.
Arte de Mika Takahashi.

Além dos Trilhos já passou bastante da meta inicial. Temos ainda mais de 20 dias restantes. Como é ver uma resposta tão grande ao seu projeto?

Mika Takahashi: Foi uma surpresa muito grande! Eu estava muito preocupada antes de lançar a campanha, pois o valor é relativamente alto comparado a outros projetos e imaginava que não iríamos chegar nem na metade. Eu e a Pingado fizemos uma estimativa e nosso objetivo era conseguir 25% na primeira semana. Nem acreditamos quando vimos que conseguimos 100% nos primeiros dias! Fiquei muito feliz pelo carinho que esse projeto tem recebido das pessoas. É uma história muito pessoal e por muito tempo tive medo de colocar esse trabalho no mundo, mas a receptividade está sendo tão boa que agora me pergunto porque não havia feito isso antes.
Quais são as tuas referências de obras com personagens antropomórficos, como o coelho protagonista?
Peter Rabbit. Arte de Beatrix Potter.
Peter Rabbit. Arte de Beatrix Potter.
Sou viciada em livros infantis ilustrados e essa história carrega muitas  referências a livros que fizeram parte da minha infância ou que me tocaram mesmo depois de adulta.
O coelho protagonista de Além dos Trilhos é uma homenagem ao Peter Rabbit, da Beatrix Potter. Ela é uma das minhas escritoras e ilustradoras favoritas e suas obras me influenciam muito.
Outro livro que serviu de inspiração é da japonesa Yoko Imoto, Soba no Hana Saita Hi, que conta a história de um coelhinho que encontra uma touca de uma criança e segue uma trilha de flores brancas para encontrar a mãe e o bebê para devolvê-la.
Arte de Mika Takahashi.
Arte de Mika Takahashi.

O que significa para você, enquanto artista, esse objetivo de descobrir o seu lugar e propósito no mundo?

Muitas vezes baseamos nossos caminhos em ideais que foram projetados por outras pessoas. Nos moldamos para nos encaixarmos em padrões que foram criados por outros, e estamos tão preocupados em atender os requisitos para fazer parte da sociedade, que esquecemos de ouvir nossa própria voz, ainda mais com um mundo tão barulhento e caótico. Acho difícil alguém descobrir qual o seu propósito no mundo logo de cara, mas o processo de autorreflexão é importante para entender as necessidades da sua alma e criar seu próprio caminho de forma sincera, mesmo que não seja possível prever para onde vai chegar.

Comente

Clique para comentar

quatro × 2 =

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com