Justice League 3001 terá elenco composto só de heroínas

Um dos escritores de Justice League 3001, Keith Giffen, disse recentemente que a equipe da Liga da Justiça do futuro terá uma formação composta somente de personagens femininas, a partir da edição de janeiro de 2016. Quem lê o título desde o começo sabe que a formação da equipe nunca foi definida permanentemente. Os primeiros números já mostraram a morte de um dos membros e o surgimento de outro. Ou de outros, dependendo do ponto de vista. Giffen e o resto da equipe de JL3001, formada pelo escritor J.M DeMatteis e pelo desenhista Howard Porter, têm construído uma mitologia própria para a revista, na qual as amarras de continuidade não existem e o futuro onde os heróis operam é uma grande caixa de areia a partir da qual os artistas podem criar à vontade.

Giffen disse que o fato da equipe se tornar só feminina foi circunstancial e não pré-definido. Acontece que, segundo o roteirista, a partir da atual edição e continuando até Justice League 3001 #8, muita coisa vai mudar e estas personagens pareceram para ele as melhores para se contar as histórias que estão planejando. Só lembrando que a ideia da equipe criativa é renumerar a revista a cada ano. Então, na verdade, a equipe feminina, como está programada para janeiro, tomará forma em Justice League 3002.

Será que Guy/Gal Gardner entra na conta de Giffen em Justice League 3001? Arte de Howard Porter.
Será que Guy/Gal Gardner entra na conta de Giffen em Justice League 3001? Arte de Howard Porter.

Sobre as personagens, Giffen disse apenas que não serão só caras novas. “Existirão personagens que você conhece e outros que estiveram na revista antes”. Especificamente, ele só falou de dois nomes: Ariel e Supergirl.

“Ariel será sempre o centro da história. Primeiramente, Ariel era só alguém que iria fugir e depois morrer. Mas, quanto mais lidamos com ela, mais percebemos que as características que demos a ela funcionavam legal com os outros personagens. Ela acabou se tornando aquela pessoa que mantém a equipe unida – meio que como um Maxwell Lord, por assim dizer.”

Já a Supergirl de JL3001 é a original, recém chegada de Krypton. Quem não lê a revista regularmente sabe que as versões futurísticas dos personagens não são tão completas quanto as versões que conhecemos. Eles têm falhas (de caráter e em seus poderes). A Supergirl que entrará neste meio, não. Ela tem todos os poderes do seu primo. Voo, visão de calor etc. Ou seja, ela é mais poderosa do que todos eles. Segundo o autor:

Ao dar a ela uma personalidade o mais próximo possível daquela que ela tinha no final dos anos 70 e início dos 80, temos um personagem que, eu acho, encerra todas as coisas boas sobre a Supergirl e ainda assim nós podemos movimentar ela em determinadas direções e mudar ela um pouco para que ela não seja confundida com uma Supergirl que aparecerá nos Novos 52 ou na Liga do Geoff Johns ou algo do tipo. Ela assim se torna nossa personagem. E eu adoro tê-la por perto. Vou lutar para mantê-la na revista.

Liga da Justiça 3000 e 3001 ainda não foram lançadas no Brasil.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com