CCRS 2015: Indicações de lançamentos adquiridos no evento

Como todos sabem, o Terra Zero esteve com uma parcela da sua equipe na ComicCON RS, que aconteceu no último final de semana. O interessante é notar que vários artistas estão utilizando esses eventos para fazer lançamentos de seus trabalhos novos, dando uma visualização mais ampla para o suas HQs.

Dentro da CCRS 2015, aproveitamos o espaço entre um painel, entrevista ou fila para autógrafos, demos uma passada no Artists Alley e pegamos novidades de alguns estandes. O legal é notar a diversidade e a qualidade que temos em vários dos trabalhos que tivemos a oportunidade de adquirir no evento.

FarSouth

Lembramos que a lista não é necessariamente de HQs que tenham sido lançadas na CCRS 2015, ok? Então, prontos? Vamos as indicações:

DelfinFar South, do Stout Club, pra mim. A ideia de um sul imaginário, que seja comum ao Brasil, Uruguai e Argentina, me parece interessante de saída. Com o traço do Leo Fernandez e o roteiro do Rodolfo Santullo, isso ficou especial. Fica a esperança de que o selo do Rafael Albuquerque continue a se aventurar pela América Latina.

Dois Irmãos, de Fabio Moon e Gabriel Bá, acrescenta uma dimensão artística nova ao novo clássico da literatura brasileira, originalmente escrito por Milton Hatoum. Mesmo tendo suas páginas em preto e branco, a cor da história se faz presente de forma intensa, à medida em que a leitura avança. Daqueles quadrinhos que mostram claramente que adaptações literárias podem ser muito ricas e significantes.

Marcelo Grisa: Vou jogar essa pra um mangá: Rising Destiny. Não somente pela HQ – boa arte, roteiro de gibi de batalha honesto, que não quer te enganar pra fingir ser outra coisa – mas também pela apresentação. Rafael Sinott e companhia são caras que sabem vender o produto. E isso é só mais uma consequência das ações de editoras como a Draco e a JBC para, finalmente, se achar quadrinhos nacionais neste estilo. A primeira história, que eu também comprei em versão física, pode ser conferida gratuitamente no site oficial.

Pedro KobielskiNecro Morfus, de Gabriel Arrais e Magenta King. Arrais traz um roteiro inteligente, com conta com doçura uma história sobre morte, violência e sexo. Dois caras promissores fazendo uma HQ divertida e muito bem produzida.

Matheus “Kajima”Quadrinhos A2 é muito divertido e tu se sente praticamente amigo próximo do Paulo Crumbim e da Cris Eiko quando acaba de ler. É ainda mais legal de ler depois que tu saiu de uma experiência de evento, porque a HQ tem várias histórias de evento e a identificação é automática.

Pétalas é uma história simples, mas muito bonita. E vem para, de vez, confirmar o Gustavo Borges como um dos novos astros do quadrinhos brasileiro. Arte linda, que fala por si só. Literalmente.

Pab Sarmento: A Bandeira do Elefante e da Arara, de Christopher Kastensmidt, Carolina Mylius e Sulamoon. Uma história bem desenvolvida sobre o Brasil Colônia, exploradores das matas, lendas e sobre o retrato da escravidão do país naquela época.

Ciranda da Solidão, de Mário César, também é outra indicação. A HQ saiu pela Balão Editorial e explora relacionamentos LGBT de uma forma muito natural, mostrando angústias, desencontros e o amor são iguais independente de sua orientação sexual.

Esperamos que gostem das indicações e que em 2016 tenhamos mais novidades, lançamentos e histórias para contar.

Comente

Clique para comentar

20 + treze =

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com