Direto do Front: Uma terceira semana de guerra sem fim

Meu nome é Johnny Dan Carter e esta é a terceira semana que testemunho a grande guerra que Telos chama de Convergência. Falo direto do front, mais uma vez, para você, leitor, a fim de relatar o que presenciei nestas últimas horas.

A batalha contra o ser cósmico formado há algumas semanas continua violenta; a chamada Sociedade – a estranha e jovem Liga da Justiça à qual me referi em relatos anteriores – luta contra o vilão com todas as suas forças. Agora, eles ganharam a ajuda de alguém que não conhecia: Deimos. Pelo que pude notar, ele possui ligação direta com um lugar escondido no meio do planeta: Skartaris. Esta terra de maravilhas inimagináveis nunca foi avistada por mim, leitor, e mal posso descrevê-la com palavras.

Skartaris

É fantástico que um lugar assim exista. Quando mais jovem, lia os velhos livros do meu pai, escritos por Júlio Verne e Edgar Rice Burroughs, e Skartaris é um nome que me lembro muito bem. Na verdade, Scartaris, o topo da montanha que apontava a entrada para o centro do planeta no livro Viagem ao Centro da Terra. Sim, leitor, estou numa aventura quase metalinguística adentrando o centro de uma terra estranha com o nome tirado de um livro de fantasia. Percebo que há muitas semelhanças deste local com Pellucidar, um local descrito em várias aventuras de Burroughs (ele certamente saberia descrever este local melhor do que eu).

Ao acompanhar os heróis por este grande mistério, vejo uma mulher chamada Shakira mantendo presos vários viajantes do tempo. Não ria, mas de algum modo ela fez com que todos eles dançassem. (Ok, ria, eu quase rio de desespero, alguma piada é sempre bem-vinda.) Alguns consigo reconhecer, como o Monarca, por exemplo. É engraçado que eu saiba quem ele é, mesmo que sua existência não faça parte da minha memória real. É como se ele fosse uma memória antiga, talvez até de uma vida passada – não que eu acredite nisso, na verdade, mas é o que sinto.

DC-Comics-Convergence-3-Spoilers-Review-7-e1429696250346

Mais uma vez, fui arrastado de um canto para outro das diversas linhas temporais existentes no planeta de Telos. Todavia, desta vez, consegui observar mais detalhadamente cada realidade que visitei nesta terceira semana direto do front da Convergência e farei questão de detalhar tudo para você. Este será meu legado se eu não sobreviver a isto tudo.

Antes, no entanto, gostaria de relatar a coisa mais incomum que aconteceu até o momento: um homem dourado me visitou. Foi estranho. Era como uma aparição, um espectro. Não pude observá-lo completamente, mal vi seu rosto. Mas entendi o que ele quis me dizer. Claramente. “Houve uma outra Crise, Johnny, anterior à que você presenciou. Nela, mundos morreram e colidiram em um único plano de existência. Isto foi há muitos anos, e as realidades que você está prestes a visitar ficaram congeladas no tempo antes desta Crise. Não se engane: você verá rostos familiares e grandes heróis. Em algum momento, antes mesmo de você existir, eles foram os maiores que já existiram. Você é uma peça importante, Johnny. Não se esqueça de seu nome”.

Estas duas últimas frases foram muito enigmáticas. Já notei que consigo navegar pelas realidades como uma anomalia e de forma anônima. Mas… por que sou tão importante assim? Como este homem sabe quem eu sou? Seja como for, a mensagem dele estava correta: vejo rostos familiares nas realidades que visitei nesta semana, mas eles realmente parecem estar em outro tempo. Um tempo que veio antes de mim. E, neste tempo, Gotham City é uma peça fundamental. Conheço a cidade como a palma de minha mão, mas cada Gotham que visito desta vez tem características que nunca vi antes. Em alguns momentos, seu maior protetor, o Batman, sequer é citado. Vou começar, inclusive, pela realidade que visitei primeiro: a dos Gaviões.

Convergence-Hawkman-615x475

Você deve conhecer o casal de Gaviões, caro leitor. Gavião Negro e Mulher-Gavião. Eles são do planeta Thanagar e estão protegendo uma Gotham City, ao lado da polícia. Ainda que a maior parte de seu trabalho seja ajudar a força local e prender bandidos e terroristas, as coisas ficam sinistras quando outros thanagarianos começam a ser descobertos. Ainda que eles pareçam espiões dedicados a causar mal, tudo fica claro quando Shayera e Katar (eles revelam suas identidades ao público no museu de história egípcia em que trabalham) descobrem que os “espiões” nada mais são que thanagarianos tentando entrar em contato com a força que construiu o domo (mal sabem eles que se trata de um vilão de proporções cósmicas). Através de um aparelho chamado Absorbascon (que, pelo que me lembro, era usado para os thanagarianos aprenderem línguas da Terra), eles conseguem um contato. Mas, quando o domo cai, este contato é cortado e uma batalha está prestes a se iniciar. Infelizmente, não consigo observá-la e sou arrastado novamente pelo tempo, esticado como um elástico para uma Gotham City protegida pelos Novos Titãs.

Estes não são os Novos Titãs que conheci, mas gostaria muito que eles protegessem meu mundo de origem. São a equipe mais coesa que já vi até agora. Dedicados, íntegros e, mais que tudo, extremamente inteligentes. Amigos da Patrulha do Destino, estes maravilhosos heróis encaram uma versão diferente deste time, uma que nem mesmo eu vi. Eles parecem futuristas, usam roupas muito incomuns para todos os mundos que visitei. Mesmo com todos os dramas internos que estes Titãs possuem (em geral, problemas do coração, daqueles que fazem você sentir empatia por estas pessoas em segundos), a equipe é muito centrada. Não demora para que o Asa Noturna, casado com a Estelar, perceba que a Patrulha não quer lutar com eles pela sobrevivência – ao contrário, eles pretendem descobrir uma forma de enfrentar Telos, unidos. Acredite, leitor, nunca vi jovens como estes. Se tem alguém que merece sobreviver, são estes dois times com estas duas formações.

convergence-NewTeenTitans

Antes que eu possa entender como a união destes jovens pode enfrentar o poder de Telos e de seus domos, sou levado a uma Gotham City protegida por Batman e os Renegados. Assim como aconteceu com os Titãs e a Patrulha, nunca vi estes Renegados antes. Mas há algo nostálgico neles, algo puro e anterior ao que vi. O homem dourado estava certo: estou testemunhando mundos que existiram antes de mim, e há uma sensação de proteção muito maior nestes lugares. Os heróis são muito unidos e puros, mesmo diante dos dramas que enfrentam: uma cidade sob um domo, limitações de mantimentos e caos social. Batman e o Comissário Gordon continuam sendo os grandes parceiros que conheci na minha Terra. Todos os outros membros (Geoforça, Raio Negro, Katana e os outros) buscam resolução, sobrevivência e sentido neste mundo. É então que eles, assim como eu, são surpreendidos pela queda do domo, mas nem todos apreciam a liberdade dos céus: Rex, o Metamorfo, volta a ser um monstro justamente após um ano em forma humana, desfrutando de um dos casamentos mais felizes que já vi na vida.

c5330d7567cd7da1c0925f68030f1453

É engraçado como, em meio a tanto caos nesta guerra, o que presencio nesta semana é esperança e heroísmo como nunca vi antes. E isso vale para a Gotham que visitei em seguida, protegida pelo Flash. Fico emocionado quando o domo cai e Barry Allen recupera a conexão com o que ele chama de Força de Aceleração (provavelmente a origem de seus poderes), e compartilho de seu susto quando uma misteriosa versão do Superman aparece para enfrentá-lo. Ele é negro e tem o porte de um líder mundial.

Eu me sinto mal. Algo que está me arrastando novamente, mas, desta vez, me sinto dividido. Parece uma evolução da anomalia que represento neste planeta, pois agora consigo observar três realidades diferentes ao mesmo tempo – não sei se minha mente vai aguentar, mas faço questão de me esforçar para relatar tudo isso. Estou diante de uma experiência única e preciso que as imagens ante meus olhos sejam imortalizadas para quem sobreviver a tudo isso.

Convergence-Adventures-of-Superman

Primeiramente, observo um Superman e uma Supergirl que nunca vi antes, mas que possuem o mesmo senso de nostalgia e pureza dos heróis que avistei anteriormente. Eles fazem um experimento com Lucius Fox (de onde conheço este homem? Ele me parece familiar) para chegarem a um lugar chamado Zona Fantasma. Infelizmente, não consigo acompanhá-los, fico preso à confusa linha temporal construída por Telos. Imagino que lá eles tenham seus poderes de volta, mas, assim como eles, não sei que mistérios estarão do outro lado, neste lugar que eles chamam de prisão definitiva de kryptonianos.

Ao olhar pelo canto do meu olho, esta imagem se desfaz e vejo, se sobrepondo, Lanternas Verdes – ou quase isso. Todos estão sem poderes. Isto me leva a crer que o domo não permite que eles entrem em contato com a sua fonte de poder, que, como disse Guy Gardner em uma de suas muitas declarações grosseiras, vinha do planeta Oa. Pelo que me lembro, este planeta fornece a energia para suas baterias, aquelas que recarregam a força dos aneis de poder. Vejo o mesmo Gardner determinado a ter o poder de volta, John Stewart levando sua vida adiante e Hal Jordan como nunca vi antes – nada convencido e fanfarrão, mas, sim, um homem obcecado pela busca para entrar em contato com Oa, mesmo sob o domo. Guy acredita que Hal tem as respostas que precisa, mas não demora para que eles engajem num grande conflito. Ao mesmo tempo, o domo cai, e o poder de Hal volta. Guy se prepara para enfrentar seu ex-aliado e, antes que possa testemunhar a resolução deste conflito, a imagem se transforma e, quando eu me foco, fico diante de algo até agora inédito: uma realidade em que o domo já caiu.

H-Convergence-Justice-League-of-America-1-Detroit

Aqui, Gotham City é protegida pela Liga da Justiça. Uma Liga bem incomum, devo dizer. Eles dizem que se formaram em Detroit, mas estão na cidade do Batman – que está estranhamente ausente – onde o domo os prendeu. Agora, antes que voltem ao seu lugar de origem, a equipe busca entender mais sobre o planeta em que estão e as anomalias causadas por Telos. Infelizmente, antes que eles possam avançar em suas descobertas, eles são atacados por uma formação do Sexteto Secreto que nunca vi antes. Estranhamente, eles parecem ser tão futuristas quanto a Patrulha do Destino e o Superman negro que vi anteriormente. Seriam eles da mesma realidade? Seja como for, a Liga luta bravamente. Em sua liderança estão Aquaman, Caçador de Marte e Zatanna – fazendo analogia à grande Trindade dos super-heróis – e sua coragem é tão grande quanto a desta Trindade ausente. Alguns nomes são pouco familiares pra mim: Vibro, Gládio… mas unidos eles formam uma força poderosíssima. Gostaria de poder passar a você, leitor, a emoção que sinto ao ver a resistência destes heróis. Este mundo não precisa de um Superman, um Batman ou uma Mulher-Maravilha quando se tem um Caçador de Marte, Aquaman e Zatanna nas versões mais determinadas que já vi.

Por que nem mesmo eu chamo o Caçador de Marte de Ajax? Será pelo mesmo motivo que me sinto tentado, sempre, a chamar a identidade heroica de Ray Palmer de Átomo? Isso nunca aconteceu com os três grandes.

Falando na Trindade, não demora muito para que eu seja arrastado a um mundo em que a Mulher-Maravilha habita Gotham City e a cidade é misteriosamente tomada por um culto que acredita que anjos descerão dos céus para abrir o domo e dar salvação ao povo. Mal sabem eles que a causa disso tudo é alienígena, não tem nenhuma ligação espiritual. Se Deus e os anjos realmente existem, eles certamente estão bem longe daqui. Ainda que esta não seja a realidade mais caótica que visitei, a tragédia pode ser sentida no ar, principalmente quando vejo ao longe Thomas Wayne, o Batman da Sociedade, explodir todos os inimigos que vieram de uma outra Gotham City.

convergence-grayson-thomas

Ele se auto sacrificou por um bem maior, mas mal sabe ele que o Coringa persegue seu parceiro, Dick Grayson. É então que sou tomado de assalto pela surpresa: o vilão aparece e tenta matar Grayson, mas Telos assassina o Palhaço do Crime e, inesperadamente, pede ajuda ao rapaz. Ao mesmo tempo, Diana deixa de ser uma agente do bem (na verdade, esta versão dela se assemelha a uma espiã saída dos anos 1960, curioso) e volta a ser a poderosa Mulher-Maravilha. No entanto, o culto que ela descobre na investigação acabou chamando vilões vampiros de outra realidade, e sou assustado pela versão mais medonha do Coringa até hoje! Como se isso não bastasse, outros vilões do Batman estão aqui – e todos são vampiros!

convergence-ww

O tempo (ou o espaço?) me arrasta de novo. Isso me estica entre realidades e vislumbro uma Gotham – a última – em que o Batman existe, mas não consigo vê-lo em momento nenhum. Ao contrário, sou novamente surpreendido. Sempre achei que Monstro do Pântano fosse uma lenda da Louisiana, mas não poderia estar mais enganado. Ele existe. Ele fala. É imponente como a natureza, mas o domo prejudica sua existência – ouço o monstro falar com Abigail (aparentemente uma amiga muito próxima, talvez um antigo amor) dizer que sua conexão com algo chamado O Verde foi cortada. O passar do tempo fez com que ele se regenerasse muito vagarosamente com fertilizantes vegetais, mas por pouco ele não se tornou menos que uma planta morta. Estou assustado. Primeiro pelo que vi. E segundo pelo que ver este monstro representa. Existe alguém capaz de absorver poderes da natureza, alguém que é composto por ela, ainda que se pareça com um humano. Um humano bem bizarro, admito, mas, ainda assim, um humano. Então o domo cai. Sua conexão com o Verde volta a existir e ele recupera todos os seus poderes. Abigail não poderia estar mais feliz, mas alegria dos dois dura pouco: eles são atacados por uma horda de… vampiros? MAIS vampiros?!

Convergence-Swamp-Thing

Um brilho estranho se faz à minha volta. Aparentemente, estou no futuro, em uma cidade de luz e esperança, de tecnologia e arquitetura que jamais imaginei na vida. Sinto-me esgotado. Será que terei um pouco de paz por alguns dias? Ouço o Superboy (o que ele está fazendo aqui?) – ou um Superboy – pedir calma aos cidadãos. Vejo que Brainiac 5 – que, aparentemente, nada tem a ver com o temível Brainiac que vi há algumas semanas – está pesquisando uma forma de abrir o domo e desvendar sua origem. Suas descobertas indicam algo interessante. Uma suposição minha, mas que parece fazer sentido. Cada realidade aqui é espelhada por outra. Existe uma forma de comunicação entre elas, uma que apenas Brainiac 5 descobriu até agora. Estas realidades parecem se mesclar quando os domos caem e é então que as batalhas começam. Isso me leva a crer que as lutas e a colisão de cidade não são mero acaso – ao contrário, Telos planejou tudo meticulosamente. Ele literalmente posicionou as realidades que deveriam se confrontar.

convergence-legion

Baseado em tudo que vi, fica claro que há um estreitamento entre as realidades conforme as semanas vão passando. Estaria realmente tudo convergindo? Estaríamos todos com nosso tempo contado, como se houvesse um relógio invisível, numa terrível contagem regressiva, rumando para a hora zero? Estou tão estupefato com esta descoberta quanto quando cheguei aqui, neste planeta árido povoado por realidades de universos infinitos. O mais interessante é que tudo parece literalmente convergir para algo maior e eu duvido que este algo seja a sobrevivência de apenas uma cidade, como Telos tanto quer. Na verdade, vejo que a Sociedade, que acompanho desde o começo, é a equipe que passa pela maior provação de todas as batalhas que vi até agora. A queda de Kandor (a primeira cidade capturada), ocorrida minutos antes de eu começar a navegar por Gotham de diferentes universos, só prova que esta Sociedade, esta estranha e fantástica Liga da Justiça, sofrerá a maior metamorfose de todas as equipes que vi.

Aqui é Johnny Dan Carter, encerrando mais um relato direto do front. De repente, o tempo para. O homem dourado começa a aparecer na minha frente e ele tem algo importante para me dizer. Ele me diz q…

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com