[Atualizado] Mike Deodato Jr. e Bonelli cortam relações

O desenhista paraibano Mike Deodato Jr. é um dos profissionais de quadrinhos mais famosos do Brasil e do mundo. Certamente é um artista que dispensa apresentações e que tem uma carreira invejável em diversas editoras ao redor do mundo. Ainda que muitos de seus fãs o conheçam por seus trabalhos mais recentes na Marvel, Deodato também explorou outras possibilidades da narrativa sequencial com material nacional e italiano. E foi justamente com os italianos, mais especificamente com a Sergio Bonelli Editore, que o artista teve, em suas próprias palavras, uma das piores relações profissionais – talvez a pior – de sua carreira.

A revelação da situação amarga com a Bonelli foi feita por Deodato na tarde desta segunda-feira (23) em seu perfil oficial no Facebook. O que o artista disse pode ser lido na íntegra na imagem abaixo:

bonelli

Maiores detalhes sobre o que aconteceu não tinham sido revelados nem pelo artista e nem pela editora. Todavia, numa atitude inesperada, o editor da Bonelli, Mauro Boselli, resolveu se pronunciar, por meio de uma nota divulgada na internet.

Em sua página no Facebook, Deodato (ou talvez um de seus fãs) fala de “sonho quebrado”. O problema é que ele era um sonho muito caro para a Bonelli, pois o bom Mike (“o homem mais legal do mundo”, como ele chama a si mesmo no Facebook) queria uma cifra (que não estou autorizado a divulgar), que é cerca de duas vezes o que é pago para o nosso desenhista mais antigo. E Mike exigiu tal cifra para fazer APENAS O LÁPIS. Nós dissemos a ele que não era possível. Ele nos pediu um tempo para pensar. Ele disse que o dinheiro não era um problema. [Ele pensou, mas] Manteve sua opinião. Então foi esta a questão. Bem, é uma questão genuína. Então nós dissemos adeus por e-mail, mas eu cometi o erro de pedir-lhe para não dar mais entrevistas sobre o seu desejo de fazer Tex, visto que a colaboração era impossível devido à falta de acerto financeiro. Erro meu, porque as entrevistas foram dadas ANTES e eu não tinha percebido. Mike poderia ter me avisado sem ficar enraivecido. Mas ele ficou enraivecido. E muito.

 

Segundo o artista, o que foi divulgado pela Bonelli distorcia o que realmente aconteceu, o que o obrigou a revelar a discussão entre eles na íntegra. Ela pode ser lida, em tradução livre do Terra Zero, conforme foi divulgada pelo próprio artista brasileiro em post público no Facebook, logo abaixo:

Mike Deodato (escreveu em 06 de Novembro de 2014):

Antes de mais nada, eu gostaria de me desculpar por perder nossa reunião no sábado em Lucca. Eu estava muito doente, me desculpe. Foi a primeira vez em quase treze anos de viagens que eu perdi um dia de convenção.

Como nosso amigo em comum, xxxxxxxxx, deve ter dito, eu sou um grande fã de western e adoraria a chance de trabalhar em uma história do Tex algum dia.

Então, por favor, me diga: quem eu tenho que matar para conseguir isso?

Mauro Boselli (escreveu em 07 de Novembro de 2014):

Não se preocupe! Antes de mais nada, você tem que desenhar alguns estudos, ou modelos, ou seja lá como você os chame, dos personagens principais da série: Tex Willer, Kit Carson, Kit Willer e Tiger Jack. Você conhece eles? Quer que eu te mande uma dúzia ou mais de livros do Tex? Me avise assim que possível.

Mike (escreveu em 03 de Dezembro de 2014):

Aqui vai meu estudo do Tex, Mauro. Farei o resto do grupo depois, assim que eu tiver um tempo livre na Marvel.

Mauro (escreveu em 04 de Dezembro de 2014):

É bonito, mas não muito útil.

Você precisa desenhar um modelo REAL (rosto, corpo, estático, ação, com cavalo, de frente e de perfil), e não uma ilustração como essa. Eu não consigo entender sua interpretação do personagem.

Desculpe.

Mike (escreveu em 04 de Dezembro de 2014):

Sem problema, Mauro.

Se não for incomodo, poderia me mandar por e-mail alguns dos exemplos de modelo do Tex feitos por outros artistas?

Eu quero ter certeza de fazer tudo certo dessa vez.

Mauro (escreveu em 04 de Dezembro de 2014):

Me desculpe, mas nós não guardamos essas coisas. Leve o tempo que precisar.

Mike (escreveu em 07 de Dezembro de 2014):

Feito!

Mauro (escreveu em 09 de Dezembro de 2014):

Nossa! Você trabalhou rápido… e bem!

Estou impressionado com sua técnica e estilo, apesar de algumas liberdades interpretativas. Você trabalha apenas com “mezzatinta”? O diretor Macheselli tem algumas diferenças quanto à isso. Não fazemos o Tex assim, mas poderia ser em cores…

Pode me ligar amanhã pela manhã? Aliás, aonde você mora?

Mike (escreveu em 09 de Dezembro de 2014):

Fico feliz de que tenha gostado, Mauro. Eu trabalho em vários estilos. Eu queria emular o Milazzo nesses modelos. Se você não quer o “mezzatinta” eu posso fazer em preto, sem problema. Geralmente, meu estilo é mais firme, menos solto, mas eu pensei que se encaixaria melhor na história se eu fizesse assim.

Eu vivo no Brasil, então temos 4 horas de diferença aqui. São 7:47 da manhã aqui, no momento.

Posso te ligar, sim, qual é o seu número? O meu é (55 código do Brasil) 83xxxxxxx

Mauro (escreveu em 09 de Dezembro de 2014):

Certo. HOJE NÃO. Me ligue AMANHÃ de manhã às OITO. Será de tarde para mim.

0039 xxxxxxxxx

Mike (escreveu em 22 de Dezembro de 2014):

Desculpe por demorar tanto para responder, Mauro. Depois de muito conversar, a Marvel finalmente me deu permissão de desenhar uma história do Tex se você ainda tiver interesse.

Meu trabalho na Marvel é prioridade, então vai levar um bom tempo para mim terminar, visto que eu só vou trabalhar nela no meu tempo livre. Pode levar de seis meses há um ano, difícil dizer visto que eu não sei o volume de trabalho que está por vir da Marvel (em condições normais, eu sou bem rápido: eu terminei o último número de Original Sin – uma história de 30 páginas – em 30 dias).

Tudo de bom e boas festas!

Mike

Mauro (escreveu em 23 de Dezembro de 2014):

Fico feliz em ouvir isso. Vamos falar depois das festas. Eu vou voltar lá para o dia 6 de Janeiro. Talvez possamos fazer algumas páginas só para ir aquecendo e ver aonde isso vai dar. Eu estou ocupado com muitos projetos agora e não vou poder começar um agora, mas acho que posso arrumar um tempinho em fevereiro, se estiver ok para você.

Fica aberta a questão do pagamento e nós iremos discutir isso depois das férias. SE você for trabalhar no projeto, vai ter que fazer lápis, arte final E cores por muito menos do que você recebe na Marvel. Pense nisso. Talvez você não concorde, afinal!

Boas festas.

Mike (escreveu em 23 de Dezembro de 2014):

Fevereiro está ótimo para mim, Mauro!

Boas festas.

Mauro (escreveu em Março de 2015):

Oi! Como estão as coisas? Eu acabei de ler sua entrevista para o Fumo di China!

Mike (escreveu em 19 de Março de 2015):

Oi, Mauro!

Quase tão ocupado quanto você, especialmente com todas essas mudanças que estão ocorrendo no universo Marvel ultimamente.

Não sei o que disse nessa entrevista, provavelmente é uma das dúzias que eu dei na Lucca.

E quanto à você, cara, muito ocupado?

Mauro (escreveu em 19 de Março de 2015):

Eu estou SEMPRE ocupado. Eu me lembro vagamente de nossas conversas. O que eu não me lembro é se tínhamos decidido alguma coisa.

Mike (escreveu em 19 de Março de 2015):

Nós falamos rapidamente sobre dinheiro. Você me disse que, diferente da Marvel, a Bonelli não paga royalties, e eu disse que estava tudo bem, por mim, desde que vocês pudesse cobrir meu preço de xxx por página.

Mauro (escreveu em Março de 2015):

Ah, eu me lembro bem. Por favor, então, PARE de dizer ao público e à impressa sobre sua ambição de trabalhar em uma história do Tex. Não é verdade e não é justa. Você havia me dito que dinheiro não era problema, mas não estava sendo sincero.

Desculpe, Mike. Adeus.

Mike (escreveu em 20 de Março de 2015):

Wow, não vamos perder a cabeça aqui, Mauro!

Primeiro, a entrevista que você leu e todas as outras entrevistas sobre o assunto são de antes de começarmos à negociar, então eu estava falando sério sobre isso.

Segundo, permita-me refrescar sua memória, você me disse no fim de nossa última conversa que você apenas teria tempo para um roteiro em fevereiro e que nesse meio tempo eu deveria pensar sobre a questão do preço por página. E eu fiz o que você pediu.

Então, para resumir, visto que você tem uma memória convenientemente curta: 1 – Eu não menti. 2 – Eu não gostei de sua atitude. 3 – Eu não quero trabalhar mais com você. Nunca mais.

Adeus.

Mauro (escreveu em Março de 2015):

Bem, VOCÊ NUNCA ME RESPONDEU sobre a questão dos custos. E fevereiro já passou faz tempo. Eu tive que te escrever, e só no segundo e-mail você sacou a indireta e veio pedindo a MESMA QUANTIA! Nada mudou na SUA atitude.

Bom, a quantia que você pediu é impossivelmente alta. Você, na certa, sabe que Tex vende bem, mas não se deu conta que cada número tem 110 páginas! Não podemos pagar uma soma tão astronômica e você já sabia disso.

Bem, eu me pergunto aonde foi a sua boa fé…

E, no fim das contas, nós não procuramos você… VOCÊ NOS PROCUROU!

Adeus.

Mike (escreveu em 23 de Março de 2015):

Diferente de você, EU SOU um profissional, eu não aceito indireta, eu vou direto ao ponto. Você me pediu para pensar sobre o que falamos no telefone, eu pensei, eu respondi sua questão e ao invés de agir como um profissional e recusar educadamente, explicando seus motivos, você me tratou de forma desrespeitosa.

É um milagre que você ainda esteja nesse trabalho. Eu sei que a Bonelli Editore está passando por um período difícil desde a morte do Sergio. Um período bem difícil. Cinco anos atrás, com o Sergio vivo, nada disso teria acontecido. Todos os talentos eram tratados com o respeito que cada um merecia. Ao ler coisas assim só fico triste pelo estado da indústria Italiana.

Pessoas como você, que não tem respeito pelos outros, não merecem ser respeitada, então eu tenho três palavras pra você:

VAI SE FODER!

Mike Deodato, Jr.

Procurado nosso colaborador Émerson Vasconcellos no dia 23, Mike Deodato deu a seguinte declaração:

Prefiro não entrar em detalhes, Émerson, a não ser que ele venha a falar algo em público, aí sim eu daria minha resposta, mas por mim o assunto está encerrado.
No entanto, apesar do espaço que abrimos, Deodato preferiu falar na quarta-feira (25) com o site inglês Bleeding Cool. A seguinte declaração do artista brasileiro foi publicada no site de Rick Johnston:

“Aquele que te ira, te conquista.” – Elizabeth Kenny

Eu aprendi nesta semana como isso pode ser verdade.

Nesta semana eu perdi a cabeça e mesmo tendo várias razões para isso, eu sinto que eu perdi uma batalha para eu mesmo.

Não, eu não me arrependo de nenhuma palavra que eu disse ao editor da Sergio Bonelli.
Ele sabia o que estava por vir.
Ele foi desrespeitoso, rude, ele mentiu.
Ele não foi profissional, e isso é o mínimo que você poderia esperar neste e em muitos outros negócios.
Mas eu me arrependo que vocês leitores tenham que ter testemunhado aquilo.

Minhas desculpas.

Eu peço desculpas que vocês tenham que saber, por mim, a maneira com que a Sergio Bonelli Editore trata seus talentos.
É uma vergonha. A Sergio Bonelli Editore é um tesouro nacional da Itália, o fruto nascido do trabalho duro de Sergio Bonelli e seu pai, Gian Luigi Bonelli, que não merecem ter seu legado jogado na lama por causa de um comportamento abominável de um de seus empregados. Sim, porque como uma grande editora, ele representa sim a companhia.

Eu recebi várias mensagens de outros artistas que receberam o mesmo nível de desrespeito deles e estão com muito medo de reclamar em público. Está além de mim pensar em como eles fazem isso com alguns dos melhores artistas do mundo. A Itália é uma referência em arte para o mundo.
Artistas deveriam ser adorados e não tratados como lixo.

O mundo está menos agora.
A Internet nos fez todos vizinhos, e coisas como essa não vão mais ficar escondidas.

Pessoas falam.
Pessoas ouvem.

Minha única esperança é que minha reação pública tenha pelo menos um lado positivo alertando a Sergio Bonelli Editore que é hora de mudar o curso: vocês são um tesouro nacional. Deem esse respeito de volta, livrando-se das más sementes e tratando seus talentos da maneira que eles merecem.

Nunca é tarde para começar.

Mike Deodato, Jr.

Certamente esta é uma história que não vai acabar tão cedo, visto que as duas partes tomaram partido publicamente sobre o assunto. Este tipo de questão entre artistas e editores não é incomum, mas é raro que conversas privadas entre eles venham a público. Na sexta-feira (27), uma nota oficial da editora foi veiculada, também no site Bleeding Cool.
Vale dizer ainda que Tex Willer é um personagem muito querido pelos leitores brasileiros e as artes que Mike Deodato fez para o personagem estão entre as mais divulgadas e adoradas no país.
Fiquem ligados no Terra Zero para mais novidades sobre o assunto.
Colaborou Marcelo Grisa.

15 Comentários

Clique para comentar

1 + 10 =

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com