[Momento do Renegado] Aquaman – Os Outros (2ª Parte)

Pelo grandioso, magnânimo, magnifico, espetacular e amigo de todo mundo (menos do Delfin) Renegado, Primeiro E Único!

Agora vou resenhar os capítulos restantes do arco Os Outros. O Pab conversou comigo e me pediu pra não escrever tanto como estava fazendo nessas resenhas do Aquaman porque os leitores estavam achando um pé no saco, ou como diria o Delfin, um pé no bigode. Então sinto muito às pessoas que estavam gostando, como aquele pessoal que não lia as histórias do Aquaman porque a revista Universo DC não chega às cidades onde moram. Sem mais delongas, vamos ao que interessa.

Os Outros – Capítulo 5 (Universo DC #11)

No começo desta história, vemos um momento de 6 anos atrás, Aquaman e os Outros estão numa câmara em ruínas. Segundo Aquaman, eles estão na tumba do primeiro rei da Atlântida. Têm várias estátuas, as estátuas com as relíquias atlantes são de sereias, só que nos Novos 52 não existe a cidade de Poseidonis onde os habitantes são atlantes com cauda de peixe em vez das pernas.

Aquaman 11.1

São seis relíquias, cada um deles pega uma para si. Aquaman conta a história do rei dessa tumba, ele fala de novo que ninguém sabe o nome do tal rei e os atlantes se referem a ele como “Rei Morto”. Aquaman conta que quando a Atlântida afundou no mar, os guardas tentaram levar o rei para naves que deixavam a cidade, mas ele lutou com eles e foi procurar a esposa e filhos que ainda estavam na cidade, só que ele não os encontrou e se afogou. Guardem esta informação, pois teremos revelações sobre este “Rei Morto” no futuro.

Então, voltamos ao presente, mais precisamente o instante em que o Arraia Negra acaba de se teleportar utilizando a relíquia que roubou de Ya’Wara, deixando Aquaman, o Prisioneiro e a Ya’Wara em Heidelberg. O Agente chega ao local e diz saber para onde o Arraia Negra foi.

Na casa do Dr. Shin, Mera se atraca com o Arraia Negra, ela tenta usar seu poder pra manipular a água do organismo do Arraia Negra e não consegue porque o traje do vilão é especialmente preparado para ser a prova disso. Arraia Negra pega o Dr. Shin e se teleporta de novo.

No avião do Agente, ele revela aos Outros que invadiu uma base do Arraia Negra e roubou informações. Ele achou um mapa para a tumba do Rei Morto, o vilão acredita que tem uma sétima relíquia atlante escondida lá, uma “mais poderosa que o tridente do Aquaman”. E Vostok chega ao avião vindo da lua. Aquaman pula do avião que sobrevoa o mar, o herói mergulha e nada a toda velocidade que é bem mais rápido que o avião.

O Aquaman chega à ilha onde fica a tumba do Rei Morto e vê duas naves do Arraia Negra na baía, dentro da tumba o Arraia Negra e seus capangas estão com o Dr. Shin. Aquaman pensa a princípio que o biólogo marinho está ajudando o vilão, porém percebe que o Dr. Shin é refém do Arraia Negra.

Aquaman 11.2

Arraia Negra e seus capangas acham nas notas do Dr. Shin que é só ativar duas relíquias simultaneamente que elas indicarão onde está a tal sétima relíquia nessa tumba. Eles o fazem e a parte da tumba onde fica um trono abre uma passagem secreta e se ergue algumas estátuas com um cetro dourado, que o Arraia Negra diz ter afundado a Atlântida. Essas estátuas que surgem são daquelas criaturas da fossa do primeiro arco do Aquaman nos Novos 52.

Os Outros – Capítulo 6 (Universo DC #12)

Na casa do Dr. Shin, o celular do biólogo toca e Mera atende. É um telefonema do Agente, ele chama Mera pra ajudar. Ela nada mais ou menos tão rápido quanto o Aquaman e chega em mar aberto rapidamente e aí dá um salto absurdamente alto da água e alcança o avião do Agente que voava acima das nuvens e ela pousa com precisão cirúrgica naquela abertura atrás do avião.

Na ilha da tumba, o Arraia Negra afirma que o cetro dourado contém o segredo para o passado do Aquaman e o segredo para a destruição definitiva do herói. Como Shin não é mais necessário, Arraia Negra manda que o matem, contudo o Aquaman que observava tudo escondido decide intervir e salva a vida do Dr. Shin. Aquaman joga seu tridente num capanga perfurando o tronco dele, que brutalidade…

Aquaman 12.1

O Arraia Negra bate com o cetro dourado no chão e isso provoca tremores de um terremoto, o interior da tumba começa a desabar. Aquaman salva o Dr. Shin de ser soterrado, todavia fica preso embaixo de entulho. Arraia Negra aproveita a oportunidade para matar o Aquaman antes que ele consiga se soltar, mas Mera e os Outros chegam para ajudar.

Aquaman 12.2

A batalha que se segue é brutal, o Agente mata alguns capangas com aqueles dispositivos nos seus pulsos que disparam projéteis e sempre acerta na cabeça dos seus alvos, Ya’Wara manda suas onças devorarem o Arraia Negra que por sua vez lança raios do seu capacete e mata uma das onças. O Arraia Negra escapole e Ya’Wara manda a onça restante devorar o Dr. Shin, Vostok impede e Aquaman revela que Shin não ajudou Arraia Negra. O Prisioneiro usa seus grilhões pra criar um redoma protetora que impede partes do teto caindo de esmagar os Outros.

Arraia Negra sai das sombras e tenta golpear Aquaman com o cetro dourado, Vostok usa seu próprio corpo como escudo e leva o golpe destinado ao Aquaman. E o Arraia Negra volta a ser esconder nas sombras. Aquaman fala que avisou a ele para não ir na tumba e Vostok diz que precisava ajudar Aquaman porque ele era seu amigo e que ele temia morrer sozinho e isso não acontecerá, então Vostok morre. Aquaman em meio a lágrimas afirma que vai matar o Arraia Negra.

Os Outros – Conclusão (Universo DC #13)

Entre Universo DC #12 e 13 foi publicada a edição #0, eu antecipei a resenha dessa da história da edição #0 e a fiz junto com as resenhas das histórias das edições #5 e 6. Quem quiser pode reler a resenha da história da edição #0, intitulada Debaixo D’Água, para relembrar pontos importantes que serão usados neste último capítulo do arco Os Outros.

A história começa mostrando um momento há seis anos atrás, logo após Aquaman e os Outros salvarem aquela aldeia na Sibéria conforme mostrado no capítulo 2 deste arco, que foi publicado em Universo DC #8. Aquaman tem uma breve conversa com Vostok que afirma que o herói aquático tem um bom coração.

Voltamos ao presente, Aquaman chora pela morte de Vostok segurando o cadáver do russo em seus braços. Aquaman, Mera, Dr. Shin e os Outros sobreviventes estão dentro de uma redoma de energia criada pela relíquia do Prisioneiro de Guerra e assim protegidos do desmoronamento da tumba. Eles discutem suas opções, pois o cetro iniciou uma espécie de terremoto que está afundando a ilha e o Arraia Negra e seus capangas restantes estão fugindo para suas naves levando as relíquias roubadas.

Aquaman 13.1

Arraia Negra e seus homens carregam nos seus veículos objetos que recolheram da tumba como algumas estátuas. Arraia Negra entra em contato pelo rádio embutido em seu capacete com uma pessoa dizendo que conseguiu o cetro dourado e combinando um local para entregar à pessoa.

Aquaman abre caminha pelos escombros até as naves do Arraia Negra, porém o vilão usa a relíquia que roubou de Ya’Wara para teleportar os veículos dali. Então, Aquaman, Mera, Dr. Shin e os Outros partem no avião do Agente e a ilha com a tumba do Rei Morto afunda completamente no mar. Não me perguntem como eles chegaram ao avião porque eu também não sei. Não tinha uma pista de pouso na ilha e o avião do Agente não é do tipo que consegue fazer decolagem vertical, posso somente especular que o Agente conseguiu subir sozinho no avião como já o vimos fazer antes e Aquaman e Mera deram um jeito de carregar o Dr. Shin, Prisioneiro de Guerra e Ya’Wara e sua onça para o avião.

No avião do Agente, eles concluem que o Arraia Negra estava trabalhando com outra pessoa, não o Dr. Shin. E os aparelhos do Agente conseguem localizar o Arraia Negra. O vilão chega com suas naves-arraia perto de uma plataforma de petróleo em algum ponto no mar, em meio a uma tempestade. Alguns instantes depois surgem veículos em forma de crustáceos em torno das naves do Arraia Negra, e esses veículos são bem maiores que as naves do Arraia.

Aquaman 13.2

Um desses veículos em forma de crustáceo se aproxima das naves-arraia e dele saem pessoas usando armaduras idênticas a aquelas do esquadrão que atacou a base da marinha na história Perdido que foi publicada em Universo DC #5. Esses homens de armadura entregam ao Arraia Negra baús com o tesouro que estava naquele navio afundado que o Arraia Negra e o pai exploravam quando o Aquaman encontrou o navio deles e matou o pai do Arraia Negra pensando ser o vilão. Esse era o pagamento por trazer o cetro para quem quer que esteja no comando desses veículos em forma de crustáceo. Uma outra parte da barganha lembrada pelo Arraia Negra é que após algum incidente que não é explicado ali a superfície seria do Arraia Negra.

Infelizmente para os envolvidos na negociação, o Aquaman chega ao local e toma o cetro do Arraia Negra antes que ele possa entregá-lo aos soldados do veículo crustáceo e completar a transação. Um dos soldados de armadura chama o Aquaman de Rei Arthur, se já tinha fiado claro que eram atlantes na história Perdidos porque dentro dessas armaduras tinha água para eles respirarem, agora ficou óbvio demais.

Mera e os Outros chegam e começa uma batalha. Aquaman quer saber quem está dentro do veículo em forma de crustáceo e acha que é o Orm, o meio-irmão do Aquaman que é o rei da Atlântida nos Novos 52. Só ouvimos a voz de alguém dentro do veículo atlante dizendo que ainda não pode ficar cara a cara com o Aquaman e manda os soldados pegarem o cetro dourado. Um dos soldados consegue roubar o cetro das mãos do Aquaman e ele entra no veículo crustáceo e todos os veículos atlantes submergem e fogem.

Aquaman impede o Arraia Negra de matar o Prisioneiro de Guerra, demonstrando que se importa com os Outros realmente. Os capangas do Arraia são derrotados e Aquaman decide poupar a vida de seu inimigo, apesar dos apelos do vilão, dando um fim a sede de vingança pelo menos da parte do Aquaman.

Todos voltam para alguma cidade costeira não identificada. O Arraia Negra e seus paus-mandados são presos pela polícia, o Dr. Shin é levado numa ambulância, o Agente decide guardar as relíquias que eram de Vostok e da vidente. Aquaman fala para o Prisioneiro para em vez de voltar para o instituto psiquiátrico na Alemanha, para o Prisioneiro ir conversar com as famílias dos soldados que o assombram e dar-lhes paz, o Prisioneiro de Guerra vai falar com a esposa e filho de um dos soldados mortos do seu pelotão.

Aquaman 13.3

A história termina com Aquaman, Mera e o cachorro deles no cais perto do farol em Amnesty Bay. Aquaman contando a Mera que seu pai esperava toda manhã ali pela volta de sua mãe. Os dois são vigiados de dentro da água, e os que os observam conversam dizendo que Mera irá ficar no caminho deles e que eles deverão tirá-la do caminho deles.

Considerações:

Uma sétima relíquia atlante?

Vendo o surgimento de mais um relíquia e sendo ela um cetro, me faz pensar o motivo de se fazê-lo. Que motivos o tal Rei Morto teria pra fazer um tridente e um cetro? Afinal, ele criou as relíquias atlantes para uso próprio e as primeiras relíquias atlantes podem ser usadas ao mesmo tempo sem problemas: um pingente pro pescoço, um elmo, grilhões nos pulsos e o tridente. A chave e o selo são objetos que ele usaria em determinados momentos, mas e o cetro? O que estou querendo dizer é que o tridente e esse cetro são grandes, são armas para se usar com as duas mãos, o Rei Morto não poderia usar o tridente e o cetro ao mesmo tempo. Seria o mesmo se ele criasse duas espadas montantes, é um tipo de espada muito grande e que só pode ser usada com as duas mãos, ele só poderia usar uma dessas espadas de cada vez. Por que não criar só o cetro ou só o tridente com o poder dos dois combinados? E aí ainda poderia fazer mais uma relíquia atlante com outro poder, como por exemplo, uma carapaça para o tórax, daí poderia usar a carapaça e o tridente ou o cetro ao mesmo tempo.

O Prisioneiro e o Agente comentam que o cetro é mais poderoso até que o tridente do Aquaman, mas por que eles acham o tridente tão poderoso assim? Que eu saiba o tridente é “indestrutível”, fora isso nunca vi o tridente utilizando qualquer poder. Seria possível o tridente ter algum poder escondido que nunca foi mostrado?

E o cetro realmente é muito poderoso, o Arraia Negra inicia uma reação em cadeia na ilha da tumba do Rei Morto que faz essa ilha afundar no mar. Mesmo se o Arraia Negra não tivesse dito, já dava pra deduzir que foi esse cetro que fez a Atlântida afundar nos Novos 52.

Quem será o empregador misterioso do Arraia Negra?

Esse cetro dourado que é a sétima relíquia é quase idêntico ao cetro do Mestre dos Oceanos no Pré-Reboot. Seguinte, o Mestre dos Oceanos fez um pacto com Neron durante a saga Vingança do Submundo e em troca da sua alma recebeu um cetro mágico. O cetro era capaz de fazer magias poderosas, contudo tinha uma pegadinha, o Mestre dos Oceanos tinha que segurar o cetro constantemente porque caso o soltasse sentia dores terríveis. E vamos relembrar o que já foi dito nas minhas resenhas anteriores do Aquaman, Mestre dos Oceanos era o meio-irmão do Aquaman, Orm, que agora nos Novos 52 além de ser meio-irmão do Aquaman também é 100% atlante e o atual rei da Atlântida. E eram atlantes envolvidos na negociação pelo cetro dourado e quando tentaram roubar o artefato em forma de “A” da base da marinha, ou seja, todos os inícios apontam para o Orm, a.k.a. Mestre dos Oceanos, como sendo quem estava negociando com o Arraia Negra.

A evolução do Aquaman

O Geoff Johns promove uma evolução no Aquaman nesta última parte do arco, quando o herói passa a demonstrar grande apreço pelos Outros e teme pela segurança deles, além da decisão de não se vingar do Arraia Negra por não matá-lo a sangue frio. Claro que antes de fazer essa evolução no Aquaman, ele promove uma involução ao mostrar que o Aquaman não se importa com ninguém e que quer matar o Arraia Negra a qualquer custo. E aliás, isso mais faz parte da personalidade dele de 6 anos atrás. Eu achei isso uma besteira, afinal já leio histórias do Aquaman faz anos e isso diferiu bastante da personalidade que ele sempre teve. Mas são outros tempos, tempos de Novos 52.

A evolução dele contou muito com a ajuda dos Outros e da Mera que o aconselharam sobre como proceder. Afirmando que o pai do Arraia Negra era procurado pela polícia por assassinato, roubo e outros crimes, alguém que por quem ninguém choraria a morte. E o pai do Arraia ainda atacou o Aquaman primeiro tentando matá-lo. A parte que a Mera encoraja o Aquaman a vestir a camisa laranja, fortalecendo seus ideais, me lembrou demais partes da Jean Grey com o Ciclope nos X-Men, quando o Ciclope duvidava de seu papel e atuação na liderança do grupo mutante. Desculpe quem gostou, mas essa parte da Mera com o Aquaman me soou forçado, do mesmo modo que esse temperamento bem agressivo da Mera pra mim é algo nada a ver.

Eu acho, e não é de hoje, que apesar do Geoff Johns ser um bom escritor lhe falta uma certa sofisticação, algo que o impede de atingir a perfeição, que o separa por exemplo do Grant Morrison que é tido como um gênio (não me bate, Remill). Não estou desmerecendo o Johns, ele tem seus méritos. Eu vejo o Geoff Johns como uma jóia que não foi lapidada perfeitamente, mas que talvez isso ainda possa vir a acontecer.

E o Aquaman continua ficando mais poderoso

Mais uma vez venho falar sobre isso, o Aquaman está bem mais poderoso que antes do Reboot. Destroços enormes caem do teto da tumba do Rei Morto em cima do Aquaman e isso não o machuca, somente o prende momentaneamente até ele removê-los. Os capangas do Arraia Negra metralham o Aquaman com suas armas e ele mostra ser impenetrável a elas, só vemos algumas gotinhas de sangue saindo de sua pele por causa do impacto das balas como se causassem pequenos arranhões nele. E no final ele destrói o capacete do Arraia Negra, sendo que o capacete foi feito pra suportar as pressões do fundo dos oceanos. E o que mais me deixou espantado foi a vez que o Aquaman pulou do avião do Agente quando este sobrevoava o mar acima das nuvens, o Aquaman mergulha no mar numa boa e nada numa velocidade bem mais veloz que o avião.

Ele não nadava tão rápido assim no Pré-Reboot, ele era tão rápido quanto uma lancha, mas isso me lembra do episódio piloto da série do Aquaman que não vingou. O piloto vazou na internet e lá tem uma cena que o Aquaman aposta corrida com uma caça da força aérea. Isso mesmo, o caça voava por cima do mar e detecta pelo o radar algo nadando muito rápido abaixo da superfície da água, o piloto do caça não sabia o que podia nadar tão rápido daquele modo, nenhum peixe ou mamífero marinho era tão veloz e não conhecia um submarino pequeno daquele jeito que era rápido assim. Era o Aquaman nadando embaixo d’água, ele percebe o caça voando acima da água e de brincadeira aposta uma corrida com o avião. Em determinado momento, o Aquaman se cansa da brincadeira e nada tão rápido que deixa o caça pra trás.

Todavia a velocidade do Aquaman nadando parece fichinha perto da velocidade da Mera, porque ela após falar com o Agente pelo celular do Dr. Shin parte a nado e alcança o avião no meio do oceano. E ela pula do mar e alcança com o salto o avião do Agente que sobrevoava o mar acima das nuvens. Esses supersaltos do Aquaman e da Mera estão cada vez mais absurdos, sem falar que eu gostaria de saber como a Mera conseguiu saber de onde saltar pra alcançar o avião.

E a Mera continua com seu temperamento agressivo e instinto assassino. Quando o Arraia Negra vai à casa do Dr. Shin, a Mera se atraca com ele e quer matá-lo como ela mesma afirma, diz que como encontrou o vilão ela pode se livrar dele e assim ela e o Aquaman podem seguir com suas vidas. Infelizmente para ela o Arraia Negra consegue sobrepujá-la e leva o Dr. Shin.

Isso me faz pensar sobre qual seria a explicação para o Aquaman poder realizar essas proezas. Após Crise nas Infinitas Terras, o Aquaman tinha sido criado por golfinhos desde quando era um bebê até encontrar com o faroleiro, essa era explicação para ele ter atributos físicos superiores aos da maioria dos atlantes. Pra quem não entendeu seria algo à semelhança do Tarzan, que foi criado na selva africana por gorilas, então ele era muito forte, ágil e tinha um físico de atleta. O Aquaman era capaz de proezas que a maioria dos atlantes era incapaz, um exemplo foi quando ele encontrou Poseidonis e foi capturado e enviado pra prisão atlante, ele ficou lá por um tempo até que ele decidiu que não permaneceria mais ali, então ele destruiu as paredes da prisão e pôs os guardas fora de combate. Nos Novos 52 não tem mais explicação para ele ser fisicamente tão superior a um atlante comum, ainda mais que agora seus atributos físicos foram tão aumentados. É como se fosse a Mulher Maravilha na era de prata, ela era filha de Hippolyta, a rainha das amazonas, só que era absurdamente mais forte e ágil que as demais amazonas, enquanto uma amazona comum era forte o suficiente para erguer um carro e jogar uns metros de distância, a Mulher Maravilha poderia sair no braço com o Superman. Não tinha explicação alguma pra isso, aí depois de Crise nas Infinitas Terras o George Perez ficou encarregado de reescrever a origem dela e chupinhou do Capitão Marvel o elemento de receber dons dos deuses. E pra piorar a situação, nos Novos 52 a Mera tem atributos físicos semelhantes aos do Aquaman: ela também tem superforça, é a prova de balas, dá supersaltos, nada rápido demais…

Em tempo, eu queria que essa parte dos golfinhos fosse mantida no passado do Aquaman, Geoff Johns poderia ter incluído os golfinhos na origem do Aquaman quando ele começou a descobrir seus poderes e se aventurar pelo mar perto do farol e aí ele teria conhecido os golfinhos que o tratavam como se fosse um deles. É uma idéia, eu acho melhor do que simplesmente apagar a existência deles da origem do Aquaman.

De resto

Um detalhe curioso é que na tumba do Rei Morto vemos estátuas de homens com armaduras muito parecidas à usada por aquele comandante na projeção holográfica daquele artefato em forma de “A”. E mais curioso ainda é aquelas estátuas das criaturas da fossa do arco “Abissais” estarem em volta da sétima relíquia atlante. Acima das estátuas das criaturas normais estava uma estátua do “rei” dessas criaturas, dá pra notar que era ele porque a estátua era maior que as outras e possuía aqueles apêndices na cara. Isso demonstra que essas criaturas têm algum tipo de ligação com o Rei Morto. Isso será revelado no futuro, aguardem.

Uma coisa que percebi é que nos Novos 52 o Aquaman não tem aquelas barbatanas nas batatas das pernas, essas barbatanas são do traje dele. Tanto que quando ele está com aquela calça com adereços junto com os Outros há seis anos atrás não tem as barbatanas. Depois de Crise nas Infinitas Terras, o Aquaman tinha realmente barbatanas nas batatas das pernas.

Por fim, achei muito corrido esse último capítulo do arco Os Outros, como se quisessem enfiar vários acontecimentos nessa história. Talvez seja só uma sensação, afinal os outros capítulos tiveram certa encheção de lingüiça, com cenas que poderiam ser rápidas sendo devagar. Aparentemente o Geoff Johns aproveitou bem o tempo pra tentar caracterizar os personagens e dar importância ao que acontecia e chegou na última parte e teve que enfiar vários acontecimentos porque já estava programado o início do crossover das histórias do Aquaman com as da Liga da Justiça em “O Trono da Atlântida”.

Na próxima resenha do Aquaman começa a saga “O Trono da Atlântida”. Preparem-se!

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com