Parabéns, Homem-Morcego!

Faz exatos 75 anos que na edição 27 de Detective Comics, o mundo conhecia o Batman, um mix de vários personagens como o Sombra, Zorro e outros heróis pulp. Passando por inúmeras reformulações, o Homem Morcego tornou-se com o tempo um um dos maiores ícones da cultura pop, lembrado por vezes como um símbolo de justiça no nosso mundo.  Detective_Comics_27 Da história oriunda da imaginação de Bob Kane e Bill Finger, surgiram inúmeros personagens e outras histórias memoráveis, permeando vários gêneros de narrativa. Nesses últimos anos o Batman já passou por inúmeras situações, desde as mais mundanas, como investigar pequenos crimes em Gotham, até as mais fantásticas, como derrotar o deus do Mal e impedir que ele comprometa a existência do Multiverso. 

Mesmo vivendo num mundo habitado por “deuses”, Bruce Wayne superou suas próprias limitações e criou algo maior do que ele próprio, uma espécie de Übermensch dos tempos modernos que converte em força tudo o que o atinge. Uma lenda, como bem traduziu Christopher Nolan em Batman Begins. E proporcional a grandeza do herói, deve ser a força de seus antagonistas. Hoje nomes como Coringa, Mulher Gato, Charada, Pinguim e até mesmo o Bane, vivem no coletivo popular como sinônimos de vilões (ou anti-heróis, dependendo das premissas que você assume). Batman_Family Para mim, o que torna o personagem tão interessante é justamente essa força de vontade (por vezes desenfreada) de fazer justiça, transcendendo a “fragilidade” humana, tornando-o praticamente invencível. Poderia citar inúmeras obras clássicas, mas deixo a você, leitor e amigo que nos acompanha no Terra Zero a dizer quais as melhores histórias do Morcego e quais os momentos mais memoráveis nesses 75 anos de história. Por agora, resta apenas dizer: Parabéns Batman!

Bob Kane criou o Batman em 1939, herói que é o mais popular da DC Comics há décadas. Bruce Wayne virou órfão ainda criança com assassinato de seus pais pelo ladrão Joe Chill, o que mudou sua vida pra sempre. Tendo tornado-se o elemento mais sinistro e calculista do Universo DC, seu capuz já foi vestido por Jean-Paul Valley (Azrael) e Dick Grayson, mas voltou ao seu dono original. O herói marcou pra sempre o universo de quadrinhos e literário com obras clássicas como Ano Um, Cavaleiro das Trevas, Asilo Arkham e A Piada Mortal. Ainda hoje seus títulos estão entre os mais lucrativos da DC Comics, bem como sua franquia animada e cinematográfica.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com
Secured By miniOrange