Buemba! Buemba! DC quer comprar a Dynamite Entertainment!

Os últimos 5 anos de mercado de quadrinhos nos Estados Unidos ficaram sujeitos a um aumento considerável do interesse por quadrinhos de editoras fora do eixo corporativo – entenda-se Marvel e DC, cada uma parte de um grande conglomerado do entretenimento -, em especial de editoras como Image (que se revolucionou completamente com quadrinhos de altíssima qualidade artística), Dark Horse, BOOM! Studios, Valiant. E a Dynamite Entertainment, lar dos heróis do pulp, grandes vigilantes que deixaram suas marcas na narrativa fantástica e nos primórdios da ficção científica em plenos anos 1930 e 1940. Agora a DC Entertainment resolveu comprá-la.

dhdynamite

Em primeiro lugar deve-se entender que tudo são rumores até o momento, mas ambas as editoras resolveram não comentá-los, o que por si só já corrobora a teoria – a DC tornou uma parte de sua relação com os jornalistas especializados o famoso “sem comentários” para boatos que estão para se tornar fatos mais cedo do que se imagina.

A decisão não é sem precedentes. A DC fez o mesmo com a Milestone e a Wildstorm anos atrás, incorporando seus personagens em seu universo tradicional depois de deixá-los separados por alguns anos. Não se sabe qual seria a negociação das duas editoras aqui, já que o destino de Milestone e Wildstorm foi o pior possível: quase todos os seus personagens estão no limbo. Obviamente a Dynamite não aceitaria tal negócio. Por outro lado, se a DCE souber negociar, é possível manter um pé em Nova York depois da mudança para Burbank – a DE tem sua sede lá – e teria um universo totalmente novo a ser explorado, além de aumentar seu número de publicações e, claro, o marketshare. Mas nem tudo são flores.

image

As implicações para tal jogada são grandes, principalmente dentro do âmbito criativo. Alex Ross, o homem que cria todos os designs de personagens da DE e faz as capas mais desejadas pelos consumidores não está de cara virada para a DC, mas já deixou claro em entrevistas que o “reboot” dela fez com que aqueles personagens que ele cresceu adorando se tornassem estranhos. Logo, ele não desenharia mais nada para a editora que envolvesse suas principais propriedades.

Mark Waid, outro grande expoente do mercado, saiu de forma traumática de lá, perdendo tudo o que fez com o Flash para Geoff Johns logo depois de ter suas decisões minadas por seus superiores. Para quem não sabe, Waid foi contratado com exclusividade pela editora para que ao lado de Brad Meltzer, Johns e Grant Morrison levasse a DC para novos rumos, com os 4 assumindo posições de conselho criativo e editorial. Paul Levitz, então vice-presidente do grupo, no entanto, impediu que a “Crise Final” de Morrison reiniciasse o Universo DC e jogou por água abaixo muitas ideias do quarteto. Meltzer viria a sair da editora – em termos amigáveis -, assim como Waid, mas este em situação bem mais desagradável.

image

Chris Roberson é um terceiro nome na lista de pessoas que deixaram a DC de forma amarga e que fazem trabalhos eventuais para a Dynamite.

Seria bem difícil para as editoras entrarem num acordo com estes nomes e mais alguns outros que podem torcer o nariz para o corporativismo da DC. Porém, se ambos souberem entender o balanço entre hierarquia empresarial e condições de trabalho é possível que esta seja a compra da década na indústria estadunidense.

image

Recentemente a BOOM! Studios comprou a pequena (e muito boa) Archaia, causando grande burburinho na comunidade independente. Talvez esta seja a compra que cause burburinho na comunidade mainstream.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com