Sete coisas sobre as novas revistas DC

[o artigo abaixo contém spoilers]

O jornal USA Today, favorito da DC Comics pra divulgar suas notícias em larga escala, fez uma nota muito interessante sobre as novas seis revistas que a editora anunciou como substitutas de outras seis canceladas. Com uma tradução livre e mais objetiva, o Multiverso DC traz o principal de cada tópico comentado e abre o espaço para que seus leitores comentem e debatam sobre os vindouros novos títulos e suas qualidades.

1-) Batman Incorporated: Segundo Grant Morrison, a história será mais emocional, pois desta vez o Cavaleiro das Trevas trava uma batalha de proporções épicas com toda sua família envolvida: seu filho, Damian Wayne, e a mãe dele (amante de Bruce por anos e anos), Talia Al Ghul. Morrison deve finalizar tudo em doze edições, mas alerta que isso só acontecerá se o mundo sobreviver ao apocalipse Maia.

2-) Crise nas Múltiplas Terras? Os mundos paralelos estão de volta agora que James Robinson e Nicola Scott levam a Sociedade da Justiça para a Terra 2 – o que também acontece na vindoura World’s Finest, de Paul Levitz, George Pérez e Kevin Maguire, título mostrará Poderosa e Caçadora presas numa terceira Terra, procurando um meio de chegarem à Terra-2, seu lar.

3-) Disque M, de Miéville: O premiado e aclamado romancista China Miéville era fã de super heróis quando criança, e está feliz da vida por trabalhar numa revista livre de qualquer amarra em que poderá criar seus próprios heróis – além de realizar seu sonho de criança, é claro. “O negócio todo de Dial H é que o hall de capas vai mudar a cada mês, e as histórias terão horror, ficção científica e muita psicologia das pessoas, principalmente em suas ramificações para quem ligou pra elas“.

4-) Guerras: A nova série de guerra chamada G.I. Combat promete trazer o que a DC tem de mais clássico neste tema, relembrando suas antigas e adoradas revistas de batalhas militares do passado. J.T. Krul e Ariel Olivetti cuidam do contexto principal, enquanto Justin Gray e Jimmy Palmiotti, junto de Dan Panosian, lidam com outros clássicos como o Soldado Desconhecido. O escritor John Arcudi (Hellboy) conta histórias do The Haunted Tank com Scott Kolins.

5-) Crossovers: O universo DC começa a se encontrar e expandir com o lançamento de The Ravagers, por Howard Mackie e Ian Churchill. A revista é um spin-off de Novos Titãs e Superboy, ambas comandadas por Scott Lobdell, e liderá com a temível NOWHERE, apresentada nas outras duas revistas.

6-) Substituições: As novas revistas entram no lugar de seis cancelamentos (Men of War, Mister Terrific, O.M.A.C., Hawk and Dove, Blackhawks and Static Shock), mas o editor-chefe Bob Harras promete que estes personagens serão reutilizados em outros títulos correntes.

7-) Buzz: Morrison, que participa do DC Relaunch desde o começo com Action Comics, conta que lá nos arredores da Escócia, onde mora, o máximo que consegue ouvir de buzz são os insetos e animais do campo. “Parece até que eles gostando da coisa“, brinca o autor. No entanto, ele percebe que há uma grande energia positiva na indústria graças à decisão que a editora tomou. Além disso, Morrison conta que as revistas estão começando a progredir só agora: “As minhas revistas favoritas estão começando a tomar forma, há muita progressão envolvida, então percebo que esta energia ainda vai durar“, profetiza.

E você, leitor? Acredita que este sete pontos são qualidades? Estas revistas são bem vindas após apenas oito meses de Relaunch? Comente abaixo!

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com