Flashpoint: Mulher-Maravilha e seu casamento com Aquaman

[o artigo abaixo contém spoilers]

Os escritores Dan Abnett e Andy Lanning estão juntos mais uma vez na DC Comics para participarem do novo evento da editora, a saga Flashpoint, encabeçada por Geoff Johns e Andy Kubert. A parte do universo desta história que cabe aos autores é justamente a que envolve dois dos personagens principais, Mulher-Maravilha e Aquaman. Basicamente, na minissérie Flashpoint: Wonder Woman and the Furies, a dupla de autores tem a função de mostrar um pouco sobre a amazona e também sobre o falho casamento entre ela e o Rei dos Mares.

Muitos poderiam esperar um fracasso, ou mesmo uma história simples demais para fazer valer a minissérie, e no fim das contas Abnett e Lanning surpreendem todos com um dos melhores spin-offs de Flashpoint até o momento. Mesmo com o pouco espaço que têm, os dois nos exibem e explicam peculiaridades do universo das Amazonas e dos Atlantes como poucos conseguiram fazer com outros personagens até o momento.

Apoiados pela arte de Scott Clark e Dave Beatty, Abnett e Lanning mostram uma Diana aventureira e curiosa sobre o mundo exterior. A mulher que é princesa e futura rainha por direito, é também uma super humana com sentimentos e desejos como o de qualquer outro mortal. Com o peito aberto para abraçar o mundo fora de Temíscira, ela acaba encontrando-se coincidentemente com Aquaman em meio ao mar, e algo novo começa.

Abnnet e Lanning narram com qualidade este encontro de eras e culturas, fazendo-nos crer no casamento político dos dois e no benefício disso para o mundo. Da mesma forma que este lado é explicitado, o lado negativo também é – alguns familiares e amigos são contra a união. De um modo shakespeariano a união se desenlaça antes mesmo de ser consumada. O mundo vai mudar, e não vai ser pra melhor.

Wonder Woman and the Furies até agora foi um dos melhores materiais publicados sob o selo Flashpoint, com riqueza em detalhes, narrativa muito redonda e crível. Um ótimo trabalho de Abnett, Lanning, Clark e Beaty.

O herói marinho conhecido como Aquaman surgiu em 1941 com criação de Mort Weisinger e Paul Norris, tendo aparecido pela primeira vez em More Fun Comics #73. Tido por alguns fãs como um dos sete grandes da DC Comics e por outros como alguém dispensável, Orin ou Arthur Curry é soberano de Atlântida e possui, dentre outros poderes típicos, a habilidade de se comunicar com criaturas aquáticas. Um dos fundadores da Liga da Justiça, teve sua fase mais prolífera nas mãos dos escritores Peter David, que o revolucionou totalmente nos anos 1990, e Grant Morrison, que usou as ideias de David em sua Liga da Justiça na mesma época.

Um dos maiores ícones pop de sexo feminino a Mulher-Maravilha foi criada em 1941 pelo psicólogo William Moulton Marston. Embaixadora das Amazonas na Ilha Paraíso (também conhecida como Temíscira ou Themyscira) ela foi mandada ao mundo humano para propagar a paz. Possuindo habilidades super-humanas e seu laço da verdade ela faz parte da Trindade da DC Comics e muitas vezes funciona como o balanço entre os extremos de Superman e Batman.

WP Twitter Auto Publish Powered By : XYZScripts.com